Naquichevão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Naxçıvan Muxtar Respublikası
República Autônoma de Naquichevão
Flag of the Nakhichevan ASSR (1937-1940).svg
1989 Flag of Azerbaijan.svg

Brasão de Nakichevan ou Naquichevão

Brasão

Lema nacional
n/d
Hino nacional
n/d
Localização de Nakichevan ou Naquichevão
Continente Europa
Capital Naquichevão
Governo República autônoma do Azerbaijão
Período histórico n/d
 • 1989 n/d
 • n/d de {{{ano_evento1}}} n/d
 • 1989 n/d
 • n/d de {{{ano_evento_posterior}}} n/d
Área 5 500 km²
População
 • {{{dados_ano1}}} est. 33,000 
     Dens. pop. 0/km²

O Nakichevan[1] ou Naquichevão[2] [3] (em azeri Naxçıvan, em armênio Նախիջեվան) é uma república autónoma do Azerbaijão, que geograficamente constitui um exclave do Azerbaijão entre a Arménia (a norte e a leste), o Irão (a sul e oeste) e uma pequena fronteira com a Turquia ao longo de apenas 9 km, no rio Arax.

Ocupa uma superfície de 5500 quilômetros quadrados. Faz fronteira com a Armênia em 221 quilômetros, com a Turquia 9 quilômetros e com o Irã 179 km.

Sua capital é a cidade de Naquichevão (33.000 habitantes), e conta com uma universidade.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Naquichevão é uma região semidesértica do Azerbaijão separada do resto do país pela Armênia. As montanhas Zangezur ao leste compõem a sua fronteira com a Armênia, enquanto que o rio Aras ao oeste define sua fronteira com o Irã.

Trata-se de um território extremamente árido e montanhoso. Seu ponto mais alto e característico encontra-se no monte Kapydzhik, que chega aos 2.415 m.

Segundo a lenda, a fenda de seu cume foi produzida pela quilha da arca de Noé enquanto o barco descia com a diminuição da inundação após o dilúvio universal.

Divisão administrativa[editar | editar código-fonte]

Divisão administrativa da República Autônoma de Naquichevão

Naquichevão é composta por oito divisões administrativas, sete delas são raiones e uma é cidade, a capital Naquichevão (em azeri Naxçıvan şəhər).

1: Babek
2: Julfa
3: Kangarli
4: Cidade de Naquichevão
5: Ordubad
6: Sadarak
7: Shakhbuz
8: Sharur

História[editar | editar código-fonte]

A região de Naquichevão fazia parte da Armênia mesmo que tinha uma importante população turcófona, em especial após o massacre da população armênia em 1905; os otomanos a ocuparam em meados de 1918. O governo do Azerbaijão em Gandja, aliado aos turcos, foi o beneficiado da medida pois graças a sua influência sobre seus compatriotas o território ficava sob seu controle. Após a retirada turca no final de mesmo ano 1918, os azeris proclamaram na região a República de Araks (novembro de 1918), sob a direção de Jafarkuli-Khan mas os britânicos invadiram a zona e os armênios recobraram a região em junho de 1919.

Após a tomada do poder pelos comunistas no Azerbaijão (abril de 1920) instalou-se a guerra entre ambos os países pela posse do Naquichevão, Zangechur e Alto Karabag, regiões em poder dos armênios e que os azeris reclamavam. Os nacionalistas turcos também se haviam rebelado contra o tratado de Sevres e atacavam a Armênia que recebia ajuda em armamento da Grã-Bretanha. Em junho, a Armênia, atacada por duas frentes, pactó un alto el fuego con Azerbaijão com a promessa de atender a todas as suas demandas, e em julho de 1920 os comunistas azeris, com apoio turco, tomaram o poder em Naquichevão e proclamaram a República Soviética. Em setembro um acordo de paz entre Armênia e Azerbaijão pôs fim à guerra, e Armenia viu-se pressionada a ceder os territórios em litígio e reconheceu o governo de Naquichevão, o qual em 1921, Lenin entregou Naquichevão junto a Nagorno-Karabagh (Alto Karabaj) à República do Azerbaijão, perdendo a Armênia, outra parte de seu território histórico. Nesse mesmo ano, as autoridades do Naquichevão expulsaram grande parte da população armênia da zona.

Com o Azerbaijão, dentro da República Federal Socialista Soviética da Transcaucásia entrou na União Soviética, em cujo período não se registraram acontecimentos de especial importância. Foi elevada a República Socialista Soviética autônoma em 9 de fevereiro de 1924.

Em 1989 foi uma das primeiras regiões onde surgiu o nacionalismo azeri. Após o golpe de estado contra Gorbachov a República proclamou-se independente, proclamação que aos poucos foi anulada.

Bandeiras[editar | editar código-fonte]

A República Soviética (que foi independente juridicamente), utilizou a bandeira do partido comunista Hummet, que era vermelha com meia lua e estrela no cantão.

Como República Socialista Soviética Autônoma teve sua primeira bandeira vermelha com iniciais douradas no cantão em 1937 e o modelo modificou-se na bandeira vermelha com franja azul na parte inferior e iniciais douradas no cantão debaixo da foz e martelo com estrela.

A bandeira atual foi adotada após a queda da União Soviética sendo similar à nacional mas com a borda central vermelha de doble anchura.

Existe também uma versão criada pelos separatistas, que é parecida à bandeira nacional azeri, mas com a borda inferior amarela em vez de verde, com a estrela e meia lua também de cor amarela.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • NDU.edu.az (Universidade estatal de Naquichevão; em inglês).

Notas e referências

  1. Enciclopédia Mirador Internacional.
  2. Correia, Paulo. (Outono de 2008). "Geografia do Cáucaso". A Folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias (n.º 28): 11, 13. Sítio web da Direcção-Geral da Tradução da Comissão Europeia no portal da União Europeia. ISSN 1830-780-9. Página visitada em 7 de outubro de 2012.
  3. Lello Universal. Porto: Lello & Irmão, 1993.