Nobreza da Bélgica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

A nobreza belga refere-se às famílias nobres do reino da Bélgica.

Características[editar | editar código-fonte]

O castelo de Westerlo, da família Mérode.

Em 2003, a nobreza belga continha aproximadamente 1.300 famílias, das quais 20.000 membros eram titulados. A linhagem de cerca de 400 famílias datava antes do século XVII. Muitos dos sobrenomes têm um de (influência francesa) e um van (influência neerlandesa) como prefixo.

É conhecida por ser maioritariamente católica (90%). Famílias antigas ainda possuem seus castelos (ver lista de castelos da Bélgica) e residem neles.

A Bélgica é uma das poucas monarquias do mundo em que títulos nobiliárquicos ainda são concedidos (anualmente) pelo rei dos belgas, atualmente, Filipe. Muitos cidadãos tornam-se nobres por terem adquirido mérito no comércio, na política, na ciência, nas artes, nos esportes, etc. Entre eles, estão Dirk Frimout (visconde), Ilya Prigogine (visconde) e Eddy Merckx (barão).

Como a Bélgica é uma monarquia constitucional parlamentarista, não há privilégios legais para os membros da nobreza.

Príncipes[editar | editar código-fonte]

O título de príncipe (prince em francês e prins em neerlandês) é o mais elevado da série. Membros das famílias listadas abaixo têm o direito de se chamarem "príncipes" e "princesas" em combinação com seus nomes de família. Tais famílias são de linhagem muito antiga, e seus ancestrais frequentemente detiveram títulos inferiores. Além disso, alguns nobres detêm ainda títulos estrangeiros.

  • Príncipe de Habsburgo-Lorena: o arquiduque Rudolf da Áustria e seus descendentes da linhagem masculina foram incorporados à nobreza belga em 1978;
  • Príncipe de Ligne: são príncipes desde 1601;
  • Príncipe de Mérode: são príncipes desde 1930, mas receberam vários outros títulos até lá;
  • Príncipe de Riquet: são também príncipes de Chimay e Caraman;
  • Príncipe de Arenberg;
  • Príncipe de Croÿ;
  • Príncipe de Lobkowicz: a família tem origem checa e teve seu título reconhecido na Bélgica após fugir da comunista Checoslováquia;
  • Príncipe de Béthune-Hesdigneul;
  • Príncipe de Looz-Corswarem: são príncipes desde 1825;

Membros da família real belga são "príncipes da Bélgica".

Duques[editar | editar código-fonte]

Membros das seguintes casas detêm o título de duque (duc em francês e hertog em neerlandês), que é o segundo mais elevado da série e jamais foi concedido no Reino da Bélgica.

  • Duque de Croÿ-Solre;
  • Duque de Looz-Corswarem e Duque de Corswarem-Looz;
  • Duque de Beaufort-Spontin;
  • Duque de Arenberg;
  • Duque de Ursel;

O título duque de Brabante é usado pelo príncipe-herdeiro do trono belga.

Marqueses[editar | editar código-fonte]

Membros de onze famílias belgas são marqueses:

  • Marquês de Beauffort (somente o chefe da casa; os demais membros são condes ou condessas);
  • Marquês de Clerix;
  • Marquês de Mérode (era usado pelos familiares do Marquês de Westerlo, título criado em 1626 por Filipe IV da Espanha);
  • Marquês de Trazegnies;
  • Marquês de Parc Locmaria (somente o chefe da casa; os demais membros são condes ou condessas);
  • Marquês Imperiali des Princes de Francavilla;
  • Marquês de Radiguès de Chenneviere;
  • Marquês Ruffo de Bonneval de la Fare;
  • Marquês van der Noot;
  • Marquês d'Yve (somente o chefe da casa; os demais membros são condes ou condessas);
  • Marquês van Tongerloo d'Effaye;

Condes[editar | editar código-fonte]

Há cerca de noventa famílias belgas cujos membros são condes ou condessas.

Os títulos conde de Hainaut e conde de Flandres são títulos dinásticos usados por membros da família real.

Viscondes[editar | editar código-fonte]

Existem 450 viscondes (vicomte em francês e burggraaf em neerlandês) na Bélgica.

Barões[editar | editar código-fonte]

Mais de 300 indivíduos são barões ou baronesas.

Cavaleiros[editar | editar código-fonte]

Há aproximadamente 200 cavaleiros (chevalier em francês e ridder em neerlandês) na Bélgica. Não existe versão feminina deste título; as mulheres comumente recebem o título de "baronesa" e não dama.

Nobres não-titulados[editar | editar código-fonte]

Nobres sem um título como os mencionados acima chamam-se de escudeiros (écuyer, em francês) ou jonkheer (literalmente "pequeno senhor" em neerlandês). O feminino de jonkheer é jonkvrouw, e écuyer não tem equivalente feminino. Se constituem como nobres não-titulados os membros de famílias nobres belgas que não detém um título nobiliárquico para si.

São centenas de nobres não-titulados na Bélgica, havendo várias razões para essa falta de título.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Nobreza da Bélgica