O País do Carnaval

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O País do Carnaval foi o primeiro romance escrito por Jorge Amado, e foi publicado pela primeira vez em 1931.

É um relato sobre a intelectualidade brasileira na década de 1920. Paulo Rigger é o personagem principal do livro.

Neste romance inicial, já se encontram, embora embrionários, os vários temas da obra o autor. Paulo Rigger, intelectual brasileiro de formação européia, deseja participar da vida política e intelectual do páis. Contesta, através, sobretudo, do Carnaval, a mestiçagem que acha ser um forte fator de atraso. Desiludido, volta para a Europa.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Paulo Rigger: filho de rico cacauicultor recém falecido, de volta de Paris.
  • Julie: a francesa, amante de Paulo que desembarca com ele no Rio.
  • Pedro Ticiano: ateu, homem cético, o terror dos letrados.
  • Ricardo Braz: piauiense, tentando a vida na Bahia. Poeta, funcionário público, estudante de direito.
  • A. Gomes: jornalista, diretor de uma revista, sonha ficar rico.
  • Jerônimo Soares: o mais apagado dos amigos. Mulato, ingênuo, sem vaidades, tem sua vida calma perturbada pela dúvidas incutidas por Pedro Ticiano.
  • José Lopes: o mais estranho de todos. Batia de frente com Ticiano.
  • Maria de Lourdes: jovem pobre, por quem Paulo Rigger se apaixona, desiludindo-se.


Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.