Olympic Airlines

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Olympic Airlines
IATA
OA
ICAO
OAL
Indicativo de chamada
Olympic
Fundada em 1957
Principais centros
de operações
Aeroporto Internacional de Atenas
Outros centros
de operações
Salónica (Thessaloniki)
Programa de milhagem Icarus


Frota 41 aeronaves
Destinos 77 localidades
Companhia
administradora
Olympic Airlines S.A.
Sede Atenas, Grécia
Sítio oficial www.olympicairlines.com

A Olympic Airlines (Ολυμπιακές Αερογραμμές - OA) foi a principal companhia aérea da Grécia, com sede em Atenas, a partir de onde operava a maioria dos seus voos regulares. A empresa cessou as suas operações em finais de setembro de 2009, dando lugar desde 1 de Outubro de 2009 à nova empresa sucessora, a Olympic Air. A nova empresa privada "Olympic Air" não está ligada à estrutura da antiga Olympic Airlines, mas continuará a utilizar o logótipo da Olympic Airlines, e é apontada como o sucessor tradicional e como "companhia de bandeira" da Grécia.

História[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

A companhia foi criada em 1930 com o nome Icarus, no entanto faliu pouco tempo depois devido a graves problemas financeiros e ao limitado interesse por parte da Grécia na aviação comercial à época. Porém, mais tarde, foram criadas várias outras empresas estatais de aviação. Em 1951, existiam três companhias oficiais de aviação na Grécia que, devido a problemas financeiros, foram unidas numa só, a Hellenic National Airlines (T.A.E.).

Aristóteles Onassis[editar | editar código-fonte]

Em questão de alguns anos, a nova e única empresa voltou a ter problemas financeiros. Em 1956, o Governo grego fez um acordo com o magnata Aristóteles Onassis, para vender a empresa. Concluído o acordo em 1957, nasceu uma nova empresa: a Olympic Airways (Ολυμπιακή Αεροπορία).

A partir desse ponto, a empresa cresceu e expandiu-se no mundo inteiro como empresa privada. No entanto, em 1973, um incidente mudou o rumo da companhia aérea. Alexander Onassis, filho de Aristóteles, morreu em um acidente aéreo e Onassis, arrasado, decidiu vender todas as suas acções da companhia aérea ao Estado.

De volta ao Estado[editar | editar código-fonte]

Como empresa estatal, embora tenha crescido através da expansão da frota e da abertura de novas rotas pelo mundo, a empresa voltou aos resultados negativos, que foram acumulados ao longo das últimas décadas. A empresa sobreviveu com subsídios por parte do Estado grego, devido à sua importância para a Grécia e à imagem de sua marca.

Nos últimos anos foram tomadas muitas iniciativas para tentar encaminhar a empresa para resultados positivos, mas todas falharam. A última, que visava à reestruturação, foi feita em 2003. A empresa decidiu juntar todas as suas companhias subsidiárias (Macedonian Airlines – empresa de voos charter, e Olympic Aviation – empresa de voos regionais e inter-ilhas) e voar com um único nome, pelo qual a empresa é hoje conhecida, Olympic Airlines. No entanto, este processo pouco mudou ou melhorou os resultados. Nem a mudança para o novo Aeroporto Internacional de Atenas (em 2001), nem os Jogos Olímpicos de Verão de 2004 ajudaram a melhorar a imagem da empresa.

Uma tentativa de privatização em 2004 falhou e uma ajuda estatal de 500 milhões de euros foi declarada ilegal por parte da Comissão Europeia.

Frota antes do encerramento[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Olympic Airlines