Osso longo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Novembro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Os ossos longos são aqueles nos quais o comprimento excede a largura e a espessura, como o úmero, rádio, e ulna no membro superior, e o fêmur, tíbia, fíbula no membro inferior. Estão incluídos também os metacárpicos, metatársicos, e falanges.

O osso longo tem duas extremidades, que são em geral articulares. O corpo do osso é chamado de diáfise, e suas extremidades geralmente são chamadas de epífises. As epífises estão separadas do corpo pelos discos epifisais cartilagíneos (formados por cartilagem hialina), responsáveis pelo crescimento ósseo.

O corpo de um osso longo é um tubo de osso compacto cuja cavidade é conhecia como cavidade medular, por abrigar a medula vermelha, ou a medula amarela (medula flava), ou até mesmo ambas.

A diáfise de um osso longo está envolvida por uma lamina de tecido conjuntivo conhecida como periósteo. O periósteo é constituído por uma resistente camada fibrosa externa (que age como membrana limitante), e uma camada interna mais celular, dita oseteogênica, por ser responsável pelo crescimento(gênese) do osso em espessura. O periósteo também serve para a inserção de músculos e tendões. As fibras colágenas de um tendão se espraiam no periósteo, podendo alguma penetrarem até o osso.


Ícone de esboço Este artigo sobre Histologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.