Ouro Fino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Ouro Fino
Vista de Ouro Fino

Vista de Ouro Fino
Bandeira de Ouro Fino
Brasão de Ouro Fino
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 16 de março
Fundação 16 de março de 1749
Gentílico ourofinense
Lema CHARITAS
Padroeiro(a) São Francisco de Paula e Nossa Senhora de Fatima
CEP 37570000
Prefeito(a) Maurício Lemes de Carvalho (PMDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Ouro Fino
Localização de Ouro Fino em Minas Gerais
Ouro Fino está localizado em: Brasil
Ouro Fino
Localização de Ouro Fino no Brasil
22° 16' 58" S 46° 22' 08" O22° 16' 58" S 46° 22' 08" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008 [1]
Microrregião Poços de Caldas IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Monte Sião (sudoeste), Inconfidentes (sudeste), Bueno Brandão (sul), Andradas (noroeste), Ipuiúna (nordeste), Santa Rita de Caldas (norte), Jacutinga (oeste) e Borda da Mata (leste)
Distância até a capital 459 km
Características geográficas
Área 533,795 km² [2]
População 31 733 hab. (MG: 104º) –  Estimativa IBGE/2011 [3]
Densidade 59,45 hab./km²
Altitude 908 m
Clima tropical de altitude
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,798 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 312 147,539 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 644,60 IBGE/2008[5]
Página oficial

Ouro Fino é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2011 era de 31 733 habitantes[3] sendo a 16 maior do Sul de Minas Gerais. Ouro Fino está situada numa região montanhosa, sendo cortada por vales, com altitudes variando entre 997 e 1591 metros.[6]

Seu clima é tropical de altitude, com verão chuvoso e ameno e período seco no inverno, com noites e madrugadas frias. Temperatura média anual de 18°C, com máximas de 36°C no verão e 5°C no inverno.


História[editar | editar código-fonte]

O arraial que deu origem à cidade foi fundado por volta de 1748 em decorrência da descoberta de jazidas de ouro na região. Foi elevado à condição de cidade em 1880.[7]

São Francisco de Paula, foi o motivo da construção da primeira capela na região de descoberta de ouro entre São Paulo e Minas Gerais, dando origem ao povoado chamado inicialmente São Francisco de Paula de Oiro Fino. É que São Francisco de Paula havia igualmente previsto para o reino português a descoberta de novas terras com enorme riquezas e aqueles navegadores, bandeirantes e descobridores homenageavam e agradeciam naquelas montanhas a precisão do acerto. A atual cidade de Ouro Fino guarda sua devoção, onde uma basílica ao santo milagreiro continua a antiga tradição da fé de seus povoadores. A bandeira da cidade, ao lado das bateias de ouro, leva o lema do santo padroeiro: CHARITAS.[8]

A divulgação da existência de ouro na fronteira limite de São Paulo e Minas Gerais, o crescimento populacional, agrícola e comercial no entorno da capelinha de São Francisco de Paula de Oiro Fino levou as autoridades políticas e religiosas de ambas capitanias a tentarem, ao mesmo tempo e a seu modo, pela lei ou pela força, tomar posse da região. D.Luís de Mascarenhas, conde d´Alva, capitão-general e governador da capitania de São Paulo entre 1739 e 1748, considerava que Oiro Fino estava em suas terras e se armou para defeder seu direito nas margens do Sapucaí. Mas entre 1748 a 1765, o Rei D. João IV, diminui o poder e autonomia da capitania de São Paulo ficando esta adjudicada à capitania do Rio de Janeiro, deixando larga vantagem para o avanço de Minas.

Antônio Gomes Freire de Andrade Primeiro Conde Bobadela

O Governador de Minas Gerais Gomes Freire de Andrade então pediu e obteve do Rei ordem para um levantamento e demarcação dos limites das duas capitanias através da provisão régia de 09 maio de 1748. O desmbargador Tômas Rubim de Barros Barreto foi o imcubido desta missão. Entretanto o primeiro bispo de São Paulo, Bernardo Rodrigues de Nogueira, que mal chegara de Lisboa para assumir seu posto, falece em 07 de novembro de 1748, antes do resultado da demarcação civil de Rubim e antes que o Frei Antônio da Madre de Deus Galvão assuma o bispado em 1750. Sede bispal vacante, o vicário capitular Conego Lourenço Leite Penteado[9] , administrando o bispado em interino, manobra e passa, aparentemente, a Provisão de 8 de março de 1749, que cria, eleva a paroquia, a capela de São Francisco de Paula de Oiro Fino em 08 de março de 1749. Esta data é a primeira da qual se tem notiícia de uma menção oficial de São Francisco de Paula de Ouro Fino na história. Daí a razão de ter sido escolhida e declarada como data comemorativa do aniversário da cidade.

Retrato de Bernardo Rodrigues Nogueira. Acervo do Museu de Arte Sacra de São Paulo

Conego Penteato basea seu ato de posse de Ouro Fino, nada menos que na autoridade do Papa, que, segundo seu parecer, através da Bula de Bendedito XIV datada de 6 de dezembro de 1746, estendeu a diocese de São Paulo até às margens do Rio Grande e Sapucaí. Assim sendo, segundo ele, São Francisco de Paula de Oiro Fino pertenceria a sua jurisdição religiosa, a diocese de São Paulo. Entretanto, demarcando a região a pedido de Minas Gerais, Tomas Robim finaliza o levantamento em 19 setembro de 1749, concluíndo em Auto Oficial, lavrado no Arrail de Sant'Ana (hoje Sivianópolis) que São Francisco de Paula de Oiro Fino era pelo lado Civil pertecente e definitivamente integrado, a Capitania de Minas Gerais. Pelo lado eclesiástico Ouro Fino continuava paulista, pelo lado civil passava a ser mineiro. "Alma para um lado, e corpo para outro".[10] Bicéfalo, com a população apaixonadamente dividida entre escolher São Paulo ou Minas Gerais, em todo caso, nascia assim oficialmente a Frequesia de Ouro Fino.

Selo Comemorativo do Bicentanário da Cidade de Ouro Fino

A igreja passou por diversas reformas estruturais. Primeiro foi uma simples capela de troncos de árvores erguida as pressas nos acampamentos improvisados, os primeiros agrupamentos, fogos. Depois sempre no mesmo lugar, veio outra de pau a pique barreada, modesta mas já com linhas de um barroco tardio. Sabe-se que durante a liderança espiritual do Pe.Joaquim Curimbaba (que administrou a paróquia entre 1848-1893) a Capelinha inicial ganhou novos materiais, mais espaço e volume. Mas nada comparado as modificações que sofreu no final do século XIX, quando a Matriz enfrentou obras importantes, devido a ameaça de cair, exigindo frequentes projetos, colaborações físicas e financeiras de todos fiéis. O aumento e a riqueza de parte da população gerados pelo lucro do café exigiram uma Matriz mais elaborada e ampla. Trabalhos de "modernização" se arrastaram por diversos sacerdotes, entre eles: Pe. Camilo Petrocelli (1864-1902), Pe. Eugênio Martini (1899-1902), chegando se ao ponto de totalmente destruir a velha igreja colonial. Reconstruíram a igreja, sendo reinaugurada com todas as pompas na noite de Natal de 1900, como relatou Pompeu Rossi: "procedeu-se à consagração da Nova Matriz, construída no mesmo local das anteriores, desde a primeira". Terminada porém a terceira Matriz, a de 1900, a torre rachou e tudo começou a vir abaixo. Projeto mal feito? Dinheiro desviado? Coisas do Diabo? O caso é que novos trabalhos voltaram a assombrar a Matriz, desta vez com o severo Cônego de origem austriaca Heriberto Goetrsdorf (1913-1916). Estacionaram com sua doença e morte. Reiniciaram com força, a partir da base, desde o início, um novo projeto, uma quarta Matriz no lugar de todas as anteriores, em 1925 com o Monsenhor Teófilo Guimarães (1916-1945), em longos anos de trabalho que deram à, então, Matriz de São Francisco de Paula, a estética, a forma e o volume que conhecemos atualmente. Símbolo de indentificação da cidade, seu cartão postal, é obra conjunta da fé secular dos ourofinenses, da admistração de Manoel Gomes Damasceno frente a todos membros da Irmandade do Santissimo Sacramento, do construtor Rogério Gissoni, do arquiteto José Sachetti e, entre outros artistas e artesãos, o escultor espanhol Celestino Roig Artigas. A inauguração da nova Matriz de 1949 -hoje santuário- no centro da cidade de Ouro Fino, foi feita por ocasião dos festejos do Bicentenario da Cidade, com direito a um selo comemorativo.[11]

No dia 18 de julho de 1957, o Papa Pio XII enviou para o Santuário de Ouro Fino rara relíquia de São Francisco nascido na cidade de Paula, região de Reggio de Calabria, Itália. Rara porque somente alguns ossos do Santo haviam resistido ao tempo e ao fogo. O santo que faleceu na Sexta-feira Santa do ano de 1507, aos 91 anos de idade, sendo canonizado em 1519 por inúmeros milagres que segundo relatam, lendas ou fatos, incluem curas, previsões e até ressurreições, teve seu corpo naturalmente incorrupto até 1562. Nesse ano, durante as Guerras de Religião, os protestantes calvinistas – como o Santo havia predito – invadiram o convento de Plessis, na França, onde estava enterrado, tiraram seu corpo do sepulcro e ao ver seu corpo em tão bom estado, queimaram-no.[12] Mesmo assim, um fragmento do osso do santo pode chegar a Ouro Fino enviado pelo Vaticano, para iluminar ainda mais o que fora o modesto templo, marco inicial da cidade, rustico, humílimo no alto da colina, cercado por mata virgem. A capelinha do período colonial cresceu e prosperou junto aos mineradores, aventureiros, agricultores e um povo que a fé a São Francisco de Paula assentou.

A Matriz de Ouro Fino foi elevada a Santuário aos 13 de maio de 2007, tendo como co-Padroeira Nossa Senhora de Fátima. A Festa dos Padroeiros é desde então o dia 13 de maio.


Monumentos[editar | editar código-fonte]

  • Baronesa - Praça Paulino Paulini
  • Estátua de Júlio Bueno Brandão

Praça da Matriz

  • Herma do Monsenhor Teófilo

Praça da Matriz

  • Marco dos 250 anos – Praça da Matriz

O Bateador – Em frente a Prefeitura

  • Obelisco

Praça Francisco Bueno Brandão [13]

  • Menino da Porteira
O Menino da Porteira, no trevo de Ouro Fino

Integrante do famosos Circuito das Malhas, junto com mais cinco cidades, a indústria de malhas em Ouro Fino vem crescendo num ritmo acelerado e destaca-se por sua qualidade, criatividade e inovação nas confecções, tornando-se um dos principais segmentos da economia do município.

Lazer[editar | editar código-fonte]

  • Turismo Ecológico e Esportes de Aventura
  • Tirolesa na Fazenda Itaguaçu
  • Canoagem
  • Cavalgada
  • Motocros
  • Off-road
  • Paraglider
  • Passeio de Bóia
  • Pesca
  • Trekking
  • Trilha de bike[14]

Eventos anual[editar | editar código-fonte]

Carnaval: Ourofolia - fevereiro e março Aniversário de Ouro Fino - março Festa Italiana do Circolo Italo-Braziliano - maio Encenação da Paixão e Morte de Cristo - Semana Santa Feira das Indústrias e Ouromalhas - feriado de Corpus Christi Festa Junina Comunitária - Festival de Interpretação de Música Sertaneja " Troféu o Menino da Porteira" que é promovido pela Rádio Difusora Ouro Fino 680 AM - julho Trilha Menino da Porteira de Jipeiros, Gaioleiros e Motoqueiros - Festa do Peão - agosto Ouro Rock - setembro - outubro Corrida Rústica Menino da Porteira - final de dezembro[15]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localizado na mesorregião do Sul e Sudoeste de Minas e na microrregião de Poços de Caldas, o município tem uma área de 533,49 km2.[6]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Idade Homens Mulheres
0 a 4 1.198 1.195
5 a 9 1.245 1.157
10 a 14 1.329 1.313
15 a 19 1.425 1.381
20 a 24 1.344 1.260
25 a 29 1.204 1.150
30 a 34 1.170 1.122
35 a 39 1.085 1.148
40 a 44 1.062 899
45 a 49 843 852
50 a 54 682 785
55 a 59 638 540
60 a 64 550 464
65 a 69 316 510
70 a 74 368 354
75 a 79 163 238
80 a 84 94 158
85 a 89 32 74
90 a 94 46 22
95a 99 -- --
100 -- --
Total 31 733 [16] .

Turismo[editar | editar código-fonte]

O município faz parte do circuito turístico Malhas do Sul de Minas[17] e é servido pelas rodovias MG-290 e MG-459.[18]

Aeroporto de Ouro Fino no Bairro Jardim Aeroporto

Abaixo alguns dos pontos de lazer desta cidade.

  • Cachoeira do Taboão - situada no Bairro do Taboão, de águas negras, formada por diversas quedas d'água.
  • Malhas - Ouro Fino é uma das cidades que integram o circuito das malhas. É considerada pela elite da moda brasileira, como uma das melhores fornecedoras das belas peças de todo o circuito.
  • Montanhas e matas preservadas.
  • Grande estátua do Menino da Porteira, com mais de oito metros de altura.
  • Foi nesta cidade que se assinou o Tratado café com leite durante a República Velha.
  • Tradicional Festa Italiana que ocorre todos os anos no dia 1˚ de Maio.

Veículos[editar | editar código-fonte]

Tipo de veículo Número de veículos
Automóveis 9.286
Caminhões 535
Caminhões-trator 41
Caminhonetes 1.088
Micro-ônibus 73
Motocicletas 3.456
Motonetas 96
Ônibus 83
Tratores 1
Utilitários 31
Total 15.086[19] .

Temperatura[editar | editar código-fonte]

  • Temperatura máxima anual: 26.4 C
  • Temperatura mínima anual: 14.3 C
  • Índice médio pluviométrico anual: 1744.2 C15

Ocupação[editar | editar código-fonte]

SERVIÇO16 Total
Agropecuária 4529
Comercio 2016
Industria 4359
serviços 3938

Ouro Fino ja esta em construção o centro industrial que ficara na saída do Shopping o Portal. Na área agropecuária destacasse o cafe e a cana.ACAIOF

Hospitais[editar | editar código-fonte]

  • 65 Leitos
  • 64 Leitos
  • Hospitais privados
  • 46 Leitos SUS 17

Comunicação[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. a b Estimativas para 1º de julho de 2011. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1º de julho de 2011). Página visitada em 1 de outubro de 2011.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. a b Ouro Fino. Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Página visitada em 9 de fevereiro de 2013.
  7. Ouro Fino (PDF). IBGE. Página visitada em 9 de fevereiro de 2013.
  8. Papa Benedito XIV, Bula Papal Extedendo a Diocese de São Paulo até as margens dos rios Grande e Sapucaí, 06 de dezembro de 1746; Leite Aureliano, São Francisco de Paula de Ouro Fino nas Minas Gerais, Gráfica Sauer Rio de Janeiro, 1940, p.47; Rossi Pompeu, Historia de Ouro Fino, Imprensa Oficial Belo Horizonte, 1981, p.177.
  9. Genealogia Paulistana - Silva Leme - vol III - pag 370.
  10. Leite Aureliano, São Francisco de Paula de Ouro Fino nas Minas-Gerais, Grafica Saeur, Rio de Janeiro, 1940
  11. Alba Icaro, na Revista da Academia Ouro-Finense de Letras e Artes, Ano II numero 2, dezembro 2013.
  12. F. L. Cross (ed.), The Oxford Dictionary of the Christian Church, Oxford University Press, third edition, 1997, p. 1090.
  13. http://www.guiatur.com.br/img-cadastros/destaques/minas-gerais/ouro-fino/
  14. http://www.guiatur.com.br/img-cadastros/destaques/minas-gerais/ouro-fino/
  15. http://www.guiatur.com.br/img-cadastros/destaques/minas-gerais/ouro-fino/
  16. Etária Título não preenchido, favor adicionar. IBGE. Página visitada em 02 de dezembro de 2012.
  17. Listagem dos Circuitos Turísticos (PDF). Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais. Página visitada em 9 de setembro de 2011.
  18. Circuito Turístico Malhas do Sul de Minas. Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais. Página visitada em 27 de maio de 2012.
  19. Frota municipal de veículos. IBGE. Página visitada em 20 de junho de 2012.
  20. 105 FM. Ouro Fino.
  21. 91 FM. Ouro Fino.
  22. Rádio Difusora Ouro Fino.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.