Ouro Preto do Oeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município do Ouro Preto do Oeste
"OPO"
"Liberdade e Trabalho"
Bandeira do Ouro Preto do Oeste
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Aniversário 16 de junho
Fundação 16 de junho de 1981 (33 anos)
Gentílico ouropretense
Prefeito(a) Alex Testoni[1] (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização do Ouro Preto do Oeste
Localização do Ouro Preto do Oeste em Rondônia
Ouro Preto do Oeste está localizado em: Brasil
Ouro Preto do Oeste
Localização do Ouro Preto do Oeste no Brasil
10° 44' 53" S 62° 12' 57" O10° 44' 53" S 62° 12' 57" O
Unidade federativa  Rondônia
Mesorregião Leste Rondoniense IBGE/2008[2]
Microrregião Ji-Paraná IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Jaru e Vale do Paraíso (N), Ji-Paraná (L), Nova União (O), Teixeirópolis (S).
Distância até a capital 330 km
Características geográficas
Área 1 970,151 km² [3]
População 37 928 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 19,25 hab./km²
Altitude 280 m
Clima Bandeira OuroPretodoOeste Rondônia Brasil.pngequatorial Am
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,727 alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 381 340,816 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 10 267,11 IBGE/2008[6]
Página oficial

Ouro Preto do Oeste é um município brasileiro do estado de Rondônia. Localiza-se a uma latitude 10º44'53" sul e a uma longitude 62º12'57" oeste, estando a uma altitude de 259 metros. Sua população estimada em 2014 é de 40.010 habitantes.

Possui uma área de 1.969,85 km².

História[editar | editar código-fonte]

O município de Ouro Preto do Oeste teve início com a implantação do Projeto Integrado de Colonização Ouro Preto (PIC Ouro Preto), no início da década de 1970. O nome Ouro Preto advém do fato de o projeto ter sido implantado em áreas de seringais, dentre eles, o seringal Ouro Preto, de propriedade de Vicente Sabará Cavalcante, que por sua vez, lhe deu este nome numa deferência à Imperial Cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais, por sua riqueza na época da exploração do ouro. (SEBRAE, 1999; IBGE, 1995).

De acordo com o senhor Assis Canuto, Executor do Incra no início da colonização de Ouro Preto, o nome Ouro Preto se deu exatamente por causa do nome do Seringal. Como o projeto seria implantado no antigo território federal de Rondônia, o então Capitão Silvio Gonçalves de Farias começou a fazer o levantamento para verificar quais terras do território eram da União e quais eram particulares. Como foi constatado que as terras dos seringais entre Igarapé Miolo e o Km 70 (Ji-paraná e Jaru) não possuíam escritura pública, decidiu-se por iniciar o projeto naquela região. Além do mais, eram terras muito férteis e ideais para a colônia agrícola a qual o governo se propunha. O Capitão Sílvio teve papel decisivo nesse processo, pois conseguiu fazer a desapropriação das terras públicas sem conflito. Após todo o levantamento das áreas devolutas da União, Assis Canuto, volta de Brasília com a incumbência de implantar o projeto (PIC - Projeto de Implantação e Colonização) e assentar as famílias, inicialmente, 4 km de cada margem da Rodovia Br 364. Decidi, então, construir a sede do Incra ao lado da Serra de Ouro Preto (Morro Chico Mendes hoje). O projeto se chamou PIC Ouro Preto, justamente em homenagem ao seringal Ouro Preto, como afirma Assis Canuto.

Outra versão para a origem do nome da cidade diz que o município de Ouro Preto do Oeste recebeu esse nome porque quando as primeiras famílias começaram a chegar aquela terra, elas achavam muitas pedras escuras. Daí surgindo o nome de Ouro Preto, só mais tarde quando passou a ser município é que ficou com o nome de Ouro Preto do Oeste, para diferenciar de Ouro Preto de Minas Gerais.

Uma outra versão que surgiu no final dos anos 80 é de que Ouro Preto tinha esse nome devido a cor da terra, pois quando a Ceplac se instalou em Ouro Preto foi feito um estudo e se constatou que a terra era de cor roxa, preta. Porém, a Ceplac fez esse estudo bem depois do início da colonização e o nome Ouro Preto já existia.

Em 1978, a localidade Ouro Preto foi transformada em distrito, passando a município em 1981, já com o nome de Ouro Preto do Oeste. Na década de 1990, o município de Ouro Preto do Oeste cedeu território e população para a criação dos municípios de Vale do Paraíso, Urupá e Mirante da Serra, em 1992, e posteriormente, em 1994, para a criação dos municípios de Nova União e Teixeirópolis

Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

A educação de Ouro Preto, como em qualquer outro município em desenvolvimento, começou de forma precária. Porém, nos primeiros anos, o Incra dava a assistência para que as primeiras escolinhas fossem construídas. As primeiras professoras eram leigas, geralmente as esposas dos próprios colonos, mulheres de muita boa vontade e dedicação. A primeira escola a ser construída foi a Escola Joaquim de Lima Avelino no ano de 1971 em modalidade de internato. Depois começou a expansão para as escolas rurais. Nesse ano já existiam algumas escolinhas rurais e aos poucos foram construídas uma de 4 em 4 km. Geralmente se construía uma escola e uma igreja no mesmo local. Funcionava na modalidade multisseriado, 1ª e 4ª série de manhã e 2ª e 3ª série a tarde. Nesse modelo, as professoras tinham que fazer de tudo: dar aulas, limpar a escola, fazer a merenda e cuidar da documentação dos alunos. Ouro Preto teve mais de 150 escolinhas nesse modelo.

Ensino básico[editar | editar código-fonte]

Ouro Preto do Oeste possui várias escolas municipais, estaduais e particulares, dentre elas, estão:

  • EEEF Joaquim Nabuco - pública(Estadual)
  • EEEF Profª Margarida Custodio de Souza - (Estadual)
  • EEEFM 28 de Novembro - pública(Estadual)
  • EEEFM Aurelio Buarque de Holanda Ferreira - pública(Estadual)
  • EEEFM DR. Horacio Carelli Mendes - pública(Estadual)
  • EEEFM Joaquim de Lima Avelino - pública(Estadual)
  • EEEFM Maria de Matos e Silva - pública(Estadual)
  • EEEFM Monteiro Lobato - pública(Estadual)
  • EMEF 22 de Dezembro - pública
  • EMEF Benjamim Constant - pública
  • E.M.E.F. Fernando de Azevedo - Municipal
  • EMEF Manoel Santos - pública
  • EMEF Maracatiara - pública
  • EMEIEF Rondominas - pública
  • Escola Adventista - Particular
  • Colégio Uneouro - Particular

Mídia[editar | editar código-fonte]

Sites:[editar | editar código-fonte]

  • OuroPretodoOeste.com
  • Gazeta Central

. Ocentralro.com

Emissoras de Rádio:[editar | editar código-fonte]

  • 91.5 Rádio Rondônia
  • 104,9 Rádio Comunitária

Emissoras de TV:[editar | editar código-fonte]

Jornal impresso:[editar | editar código-fonte]

  • Correio Central

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Bairros[editar | editar código-fonte]

  • Alvorada
  • Bela Floresta
  • Centro
  • EMBRAPA
  • INCRA
  • Jardim Aeroporto
  • Jardim Bandeirantes
  • Jardim Novo Estado
  • Jardim Tropical
  • Jardim Novo Horizonte
  • Liberdade
  • Nova Ouro Preto
  • Setor Industrial
  • Setor das Chácaras
  • União
  • Zona Rural
  • Colina Park
  • Cohab
  • INTER

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Todos os prefeitos eleitos em Rondônia - Eleições 2012. Página visitada em 19/01/2013.
  2. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios de Rondônia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.