Patriarcado Latino de Alexandria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Patriarcado Latino de Alexandria
Patriarchatus Alexandrinus Latinorum
País Egito
Tipo de jurisdição Patriarcado titular
Criação do Patriarcado 1215
Extinção do Patriarcado 1964
Rito Romano
Atualmente suprimido

O Patriarcado Titular Latino de Alexandria (em latim: Patriarchatus Alexandrinus Latinorum) foi um patriarcado titular da Igreja Católica do rito latino, criado em 1215 pelo Papa Inocêncio III, após o Grande Cisma do Oriente. Foi suprimido em 1964.

História[editar | editar código-fonte]

Fora conferido o Título de Papa, pela primeira vez na história, ao Patriarca São Héraclas (232-247), em 232, e depois ao Patriarca Teófilo I (385-412), em 390, porém, o Quarto Concílio Ecumênico conferiu ao bispo de Alexandria o título de Papa e Patriarca e deu-lhe o segundo lugar após o Patriarca de Constantinopla, entretanto o patriarcado de Alexandria jamais aceitou a supremacia de Constantinopla, o que favoreceria o monofisismo.

Foram cobertas de êxito as intervenções do Patriarca Teófilo de Alexandria para promover a paz entre o Patriarca Sérgio II de Constantinopla e Basílio II Bulgaróctone, imperador bizantino, o que valeu-lhe o título de "Juiz Ecumênico," o que facultou-lhes e aos sucessores, o direito de usar duas mitras e dois "Petrarchiles" durante a Santa Missa.

Em 1210, o Papa Inocêncio III, buscou uma aproximação com o Papa e Patriarca de Alexandria, Nicolau I de Alexandria e, em 1211, solicitou a este a ordenação de um diácono latino, no que fora atendido. No ano de 1213 solicitou ao patriarca de Alexandria que participasse do Primeiro Concílio de Latrão, e este se fez representar.

O Patriarcado existiu, de forma titular, até 1964, quando foi suprimido.

Patriarcas[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Patriarcado Latino de Alexandria

Referências

  1. Infante de Aragão, filho do rei Jaime II de Aragão