Plano Colômbia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Colin Powell, ex secretário de Estado americano, em visita a Colômbia em 2004.

O Plano Colômbia é um plano criado pelo governo dos Estados Unidos em 2000.[1]

Destina-se oficialmente a combater a produção e o tráfico de cocaína na Colômbia, porém tem o também propósito de desestruturar as guerrilhas de esquerda, como as FARC, com ajuda financeira e militar dos EUA ao governo colombiano. O plano recebeu várias críticas e elogios ao longo do tempo. Se por um lado, ajudou a fortalecer o governo colombiano e suas forças armadas, aumentando a paz dentro do território nacional, alguns criticam essa 'eficiência'. Uma das questões mais criticadas foi a fumigação das plantações de coca que acabaram também infectando o solo e até atingindo outras plantações, colocando em risco a vida de milhares de consumidores e arruinando negócios de pequenos produtores.[carece de fontes?]

Até 2008, cerca de US$ 1,3 bilhões de dólares já haviam sido repassados à Colômbia através deste plano.[2]

Referências

  1. Helping Colombia Fix Its Plan to Curb Drug Trafficking, Violence, and Insurgency The Heritage Foundation. Página visitada em 26 de abril de 2006.
  2. Plan Colombia: Drug Reduction Goals Were Not Fully Met, but Security Has Improved; U.S. Agencies Need More Detailed Plans for Reducing Assistance (PDF) US Government Accountability Office. Página visitada em 14 de novembro de 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]