Príncipe de Condé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde Maio de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Luís II, o Grande Condé, 4° Príncipe de Condé.

Príncipe de Condé é um título aristocrático francês, utilizado entre os séculos XVI e XIX, por membros de um ramo da casa de Bourbon, descendente dos Condes e Duques de Vendôme. O título não corresponde a um principado, como o principado do Mónaco, e é equiparável à designação conde ou duque. Da mesma forma, os Príncipes de Condé não representam príncipes da casa real de França, isto é, filhos de monarca, embora tenham antepassados em comum: Luís de Bourbon, primeiro Príncipe de Condé, era tio por via paterna do rei Henrique IV de França.

Os Príncipes de Condé ocuparam o topo hierárquico da aristocracia francesa, em termos de precedência, protocolo e cerimonial de corte com a designação de Premier Prince du Sang Royal (primeiro príncipe de sangue real) e o tratamento oficial de Monsieur le Prince. Apesar da contestação da casa de Guise, o estatuto manteve-se até 1710, quando a distinção passou para a casa de Orléans após a morte de Luís III. A partir desta data, os Príncipes de Condé, apesar de assim se conservarem, passaram a preferir usar no dia-a-dia o título Duque de Bourbon e o tratamento Monsieur le Duc. Os filhos mais velhos dos Príncipes de Condé eram conhecidos como Duque de Enghien e as filhas solteiras, como era hábito na alta aristocracia da França absolutista, utilizavam propriedades subsidiárias da casa paterna como título de cortesia, por exemplo, Mademoiselle de Gex ou Mademoiselle de Sens. A casa de Bourbon-Condé ramificou-se, por sua vez, em 1629, quando Henrique II conferiu o título de Príncipe de Conti ao seu filho mais novo, Armando de Bourbon.

As propriedades dos Príncipes de Condé estão associadas ao senhorio de Condé-en-Brie, em Champagne, adquirido pela casa de Bourbon-Vendôme em 1487, através do casamento de Maria do Luxemburgo, Condessa de St.Pol, com Francisco de Bourbon, Conde de Vendôme. O único filho do casal, Carlos de Bourbon, tornou-se primeiro Duque de Vendôme e líder da casa de Bourbon em 1527, após a morte sem descendentes de Carlos III, Duque de Bourbon. Do seu casamento com Francisca de Alençon, Duquesa de Beaumont, Vendôme teve dois filhos. António, o mais velho, herdou o seu título em 1537, tornou-se rei consorte de Navarra, através do casamento com a rainha Joana III e foi o pai do futuro Henrique IV. Luís, o mais novo, herdou o condado de Soissons, os senhorios de Meaux e Nogent e tornou-se no primeiro Príncipe de Condé, por carta parlamentar datada de 15 de Janeiro de 1557.

A casa de Condé depressa ganhou relevo político e militar no meio dos conflitos dinásticos e religiosos da França do século XVI. Luís I e Henrique I foram generais activos da causa protestante que morreram em batalha. O terceiro Príncipe, Henrique II, foi o herdeiro presuntivo da coroa de França entre 1589 e 1601, data do nascimento do futuro Luís XIII. Seu filho mais velho, Luís II, mais conhecido como o Grande Condé, foi um dos generais mais importantes do início do reinado de Luís XIV e foi alcunhado como o Alexandre francês.

O elevado estatuto social da casa de Bourbon-Condé é evidente pelas uniões matrimoniais contratadas com as principais casas de França ao longo de toda a sua história, incluindo a casa de Orléans e casamentos recíprocos com a descendência ilegítima do rei Luís XIV de França: Luís III de Condé casou com Luísa Francisca, Mlle de Nantes, e a sua irmã Ana-Benedita com Luís Augusto, Duque de Maine. Talvez por existir à partida um laço familiar, a maioria dos matrimónios dos Condés foram com a casa de Bourbon-Conti.

A casa de Bourbon-Condé extinguiu-se em 1830, quando o último príncipe, Luís Henrique II, morreu sem descendência, após a morte prematura do seu filho Luís António, executado por ordens de Napoleão Bonaparte.

Príncipes de Condé[editar | editar código-fonte]

As armas dos Príncipes de Condé.
As datas representam nascimento – herança - morte