Protágoras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Protágoras de Abdera)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Protágoras
Pré-socráticos
Salvator Rosa - Démocrite et Protagoras.jpg
Nome completo Πρωταγόρας
Escola/Tradição: Escola sofística
Data de nascimento: ca. 480 a.C.
Local: Abdera
Data de falecimento ca. 415 a.C. (75 anos)
Local: Sicília
Principais interesses: Linguagem, semântica, relativismo
Trabalhos notáveis "O homem é a medida de todas as coisas.";

As "Antilogias", que consistem em duas premissas: a primeira é "Antes de qualquer incerteza duas teses opostas podem ser validamente confrontadas", a segunda é o seu complemento: a necessidade de "fortalecer o argumento fraco".

Influenciado por: Heráclito
Influências: Platão, Jeremy Bentham, Friedrich Nietzsche, F.C.S. Schiller

Protágoras (em grego antigo: Πρωταγόρας; Abdera, c. 490 a.C.Sicília, c. 415 a.C.[1] ) foi um sofista da Grécia Antiga, célebre por cunhar a frase:

"O homem é a medida de todas as coisas, das coisas que são, enquanto são, das coisas que não são, enquanto não são."

Tendo como base para isso o pensamento de Heráclito. Tal frase expressa bem o relativismo tanto dos Sofistas em geral quanto o relativismo do próprio Protágoras. Se o homem é a medida de todas as coisas, então coisa alguma pode ser medida para os homens, ou seja, as leis, as regras, a cultura, tudo deve ser definido pelo conjunto de pessoas, e aquilo que vale em determinado lugar não deve valer, necessariamente, em outro. Esta máxima (ou axioma) também significa que as coisas são conhecidas de uma forma particular e muito pessoal por cada indivíduo, o que vai contra, por exemplo, ao projeto de Sócrates de chegar ao conceito absoluto de cada coisa.

Assim como Sócrates, Protágoras foi acusado de ateísmo (tendo inclusive livros seus queimados em uma praça pública), motivo pelo qual fugiu de Atenas, estabelecendo-se na Sicília, onde morreu aos setenta anos.

Um dos diálogos platônicos tem como título Protágoras,[2] onde é exposto um diálogo de Sócrates com o Sofista.

Referências

  1. Károly Simonyi. A Cultural History of Physics. CRC Press; 2012. ISBN 978-1-56881-329-5. p. 612.
  2. (em português) Protágoras de Platão - acessado em 17 de Abril de 2010.
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Protágoras