Província autónoma de Bolzano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Província autónoma de Bolzano
(província italiana)
Brasão da província de Província autónoma de Bolzano
Região: Trentino-Alto Ádige
Capital: Bolzano
Área: 7 400 km²
População
 Total
 Densidade:

500 030 hab.
67,6 hab/km²
Comunas: 116 (lista)
Website: www.provincia.bz.it
Bolzano posizione.png

A província autónoma de Bolzano,[1] [2] também chamada Alto Ádige ou Tirol do Sul é uma província italiana [3] uma das duas partes constituintes da região autônoma do Trentino-Alto Ádige. Tem mais de 500 000 habitantes e ocupa uma área de quase 7400 km², sendo a mais extensa província da Itália. Sua capital é Bolzano/Bozen.

A maioria da população é de língua alemã, pouco mais de um quarto fala italiano como língua materna e uma pequena minoria fala o ladino dolomita, uma língua românica, aparentada com o reto-romance suíço.

Topónimo[editar | editar código-fonte]

Em alemão a denominação oficial é Autonome Provinz Bozen-Südtirol. Na linguagem corrente a província é chamada simplesmente Südtirol, isto é, Tirol do Sul ou Tirol Meridional.

O nome próprio italiano é Provincia autonoma di Bolzano-Alto Adige. O topónimo "Alto Ádige" é a tradução do francês Haut-Adige, o nome que Napoleão deu a este departamento quando a Itália foi sob o seu domínio, e também se refere ao curso superior do rio Ádige.

A forma ladino-dolomítica do topónimo é Provinzia autonòma de Balsan ou Südtirol.[4] [5]

Geografia[editar | editar código-fonte]

A província faz fronteira a norte e a este com Áustria (estados de Tirol e Salsburgo), a sudeste com a região do Vêneto (província de Belluno), a sul com a província de Trento, a sudoeste com a Lombardia (província de Sondrio) e a oeste com Suíça (Cantão dos Grisões).

O Ortles (it.) ou Ortler (al.) é com 3 905 m a montanha mais elevada desta região caracterizada pela paisagem alpina. O rio mais importante é o Ádige (Etsch em alemão), que da à província o seu nome italiano.

Existem 116 comunes (municípios), reagrupados em 8 distritos. Os principais são:

Comune (município)
(em italiano)
Comune (município)
(em alemão)
Habitantes
Bolzano Bozen 100 324
Merano Meran 35 602
Bressanone Brixen 19 504
Laives Leifers 15 962
Brunico Bruneck 14 148
Appiano sulla Strada del Vino Eppan an der Weinstraße 13 325
Lana Lana 10 458
Caldaro sulla strada del vino Kaltern an der Weinstraße 7307
Renon Ritten 7147
Sarentino Sarntal 6669
Castelrotto Kastelruth 6247
Vipiteno Sterzing 5947
Silandro Schlanders 5908
Valle Aurina Ahrntal 5641
Naturno Naturns 5201
Laces Latsch 5050

Línguas[editar | editar código-fonte]

Placa de trânsito bilíngue na Província de Bolzano

A província possui dois idiomas oficiais, o alemão e o italiano. Àqueles se soma o ladino em algumas vales orientais (Val Badia e Val Gardena).

Todos os oficios públicos são bilíngues, cada cidadão tem o direito de utilizar a própria língua materna com a administração pública, também nos tribunais. As escolas são separadas em escolas alemães e italianas.

Na repartição dos empregos públicos se aplica o sistema da proporcional étnica. Em ocasião do censo decenal cada habitante tem que declarar a sua pertinência a um dos três grupos linguísticos. Conforme os resultados, é possível proceder à repartição étnica.

Os italianos, que se estabeleceram na província durante o período da italianização fascista, vivem principalmente nos centros urbanos. A capital Bolzano e outros quatro municípios são majoritariamente italófonos. Em 103 de 116 municípios, a etnia dominante é a alemã – até 99,81% em San Pancrazio (Sankt Pankraz).

língua 1991 2001
alemão 67,99 % 69,15 %
italiano 27,65 % 26,47 %
ladino 4,36 % 4,37 %

História e cultura[editar | editar código-fonte]

O território da atual província de Bolzano faz parte da região histórica tirolesa, sempre importante no contexto político europeu, desde Carlos Magno e o Sacro Império Romano-Germânico até a Segunda Guerra Mundial, pois é uma região de passagem por entre os Alpes.

A província denominada Alto Adige/Südtirol permaneceu unida à Áustria por muitos séculos e o próprio nome Tirol tem origem no Castelo Tirol, morada dos condes que dominavam a área na Idade Média e que dividiam o poder com o Príncipe-bispo de Trento.

Após a Primeira Guerra Mundial (1918) este território, quase completamente germanófono, foi anexado à Itália, juntamente com a Província autônoma de Trento, de maioria de língua italiana, porém até então sob domínio austríaco.

Como resultado da italianização na época fascista hoje 135 mil pessoas usam o italiano como língua materna. Aproximadamente 330 mil pessoas falam a língua alemã.

Culturalmente rico, o folclore tirolês permanece vivo nas pequenas aldeias e cidades, com os tradicionais Jodler (canto de passagem rápida da voz de peito para falsete) e o Schuhplattler, sapateado de origem celta mantido nos Alpes.

Na gastronomia, merece destaque o speck, um presunto ligeiramente fumado, que constitui uma denominação de origem protegida.

Autonomia e política[editar | editar código-fonte]

Identidade bilíngue na Província de Alto Ádige

Depois da Segunda Guerra Mundial, o Acordo de Paris chancelou que o Tirol do Sul tinha que permanecer italiano com a condição que se respeitaram os direitos da minoria de língua alemã e lhe fosse garantida uma ampla autonomia. O presidente do conselho italiano, Alcide De Gasperi, originário da província de Trento, decidiu estender a autonomia aos seus concidadãos, criando a região autónoma do Trentino-Alto Ádige. Dessa maneira, a auto-administração da minoria alemã se tornou impossível.

Este fato e a imigração de mais italianos provocaram uma resposta violenta que culminou no terrorismo do BAS – Befreiungsausschuss Südtirol (Comité pela liberação do Tirol do Sul), que queria a reunificação à Áustria. Numa primeira fase os atendados se dirigiram contra edifícios públicos e monumentos fascistas. A segunda fase foi mais sangrenta: 21 pessoas foram mortas, entre elas 15 agentes da policia italiana, 4 terroristas e 2 simples cidadãos.

Em 1972, foi aprovado um novo estatuto de autonomia, que transferiu os poderes legislativos e administrativos da região para as províncias de Trento e Bolzano. A província de Bolzano mantém 90% de todos os impostos e é hoje a região mais rica da Itália [6]

Politicamente o partido dominante é o Südtiroler Volkspartei, no poder com maioria absoluta desde 1945. O atual presidente da província (em alemão Landeshauptmann) é Arno Kompatscher[7] , sucessor de Luis Durnwalder, que ocupou o cargo entre 1989 e 2014.

Imagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Italian Republic. Encyclopedia Britannica. Página visitada em 06-07-2007.
  2. Trentino-Alto Adige. Encyclopedia Britannica concise. Página visitada em 06-07-2007.
  3. Estatuto de autonomia. Página oficial da Província. Página visitada em 20-11-2009.
  4. http://www.c11.tn.it/documenti/Documenti%20contabilit%E0/Approvazione%20Rendiconto%202003%20(A.C.).doc
  5. http://www.noeles.net/modules.php?name=News&file=article&sid=1418
  6. PIB na UE - 2009
  7. Molto seguito dagli esperti il convegno "L'impatto dell'UE sull'autonomia legislativa della Provincia". Provincia Autonoma di Bolzan0 - Ufficio Stampa (11 de abril de 2014). Página visitada em 13 de abril de 2014.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Província autónoma de Bolzano


Europa | Itália | Trentino-Alto Ádige
Bolzano | Trento