Rã-arborícola-europeia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaHyla arborea
Hyla arborea01.jpg

Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Amphibia
Ordem: Anura
Família: Hylidae
Género: Hyla
Espécie: H. arborea
Nome binomial
Hyla arborea
Linnaeus, 1758
Distribuição geográfica
Mapa Hyla arborea.png

A Hyla arborea, também conhecida como rela (em Portugal) ou rã-arborícola-europeia, é uma pequena pertencente à família Hylidae. Podem ser vistas em dias húmidos e nublados, porém, atingem os níveis máximos de actividade durante a noite.

Historicamente, as relas foram utilizadas como barómetros devido ao facto de começarem a coaxar ao sentirem a aproximação de chuva. Dependendo da subespécie, temperatura, humidade ou disposição da rã, a sua cor pode variar entre as tonalidades verde-tropa a verde intenso, passando pelo cinzento, castanho e amarelo. Vive no máximo 10 anos.

Morfologia[editar | editar código-fonte]

A sua cabeça é arredondada, o lábio superior é descaído, a sua pupila tem a forma de uma elipse horizontal e o tímpano é facilmente identificável. Os machos podem ser distinguidos das fêmeas pela sua cor castanho-amarelado e grandes sacos vocais na zona da garganta. O seu amplexo (acasalamento) é axilar. Tanto machos como fêmeas adultas atingem tamanhos entre 30–40 mm, podendo mais raramente atingir os 45–50 mm. O dorso suave, brilhante e normalmente de um verde-folha, está separado do ventre acinzentado a branco-amarelado por uma risca escura, que se estende desde os nostrilos, sob o olho e tímpano, até à virilha. Ambas as suas pernas anteriores e posteriores comprida, com 4 e 5 dedos, respectivamente. Nas patas posteriores apresentam membranas interdigitais relativamente bem desenvolvidas.[1]

Distribuição[editar | editar código-fonte]

Distribuída por toda a Europa desde a Ucrânia e Bielorrússia, até aos Balcãs, Creta, Itália, Benelux, Alemanha, a maior parte da França e as zonas temperadas do noroeste da Península Ibérica (Portugal e Espanha). Está ausente das ilhas Britânicas, da maior parte da Escandinávia e Dinamarca, dos Alpes e de pequenas áreas do norte dos Países Baixos e Alemanha.

Habitat[editar | editar código-fonte]

Vive nas orlas dos charcos, lagoas e ribeiras com vegetação emergente alta e densa (juncos, canas ou silvas) que utiliza como refúgio. Também pode ser observada em prados húmidos e terrenos encharcados, com vegetação herbácea e arbustiva abundantes.

Alimentação[editar | editar código-fonte]

A sua alimentação consiste essencialmente em invertebrados diversos, nomeadamente aranhas, formigas, moscas, centopeias, percevejos e pequenos escaravelhos.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

O período reprodutivo inicia-se na Primavera, quando os machos cantam durante a noite nas orlas dos charcos e ribeiras onde se reproduzem e são as primeiros a chegar a esses locais. Cada fêmea pode depositar cerca de 200 a 1400 ovos.


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Wikispecies Diretório no Wikispecies

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  • Böhme, W., Kuzmin, S., Tarkhnishvili, D., Ishchenko, V., Tuniyev, B., Papenfuss, T., Anderson, S., Sparreboom, M., Ugurtas, I., Beja, P., Andreone, F., Nyström, P., Schmidt, B., Anthony, B., Ogrodowczyk, A., Ogielska, M., Bosch, J., Vogrin, M., Tejedo, M., Cogalniceanu, D., Kovács, T., Kiss, I., Puky, M., Vörös, J., Lizana, M., Martínez-Solano, I., Salvador, A., García-París, M., Recuero Gil, E., Marquez, R., Cheylan, M. & Haxhiu, I. 2006. Hyla arborea. In: IUCN 2007. 2007 IUCN Red List of Threatened Species. www.iucnredlist.org. Acedido a 13 de Setembro de 2007.
Ícone de esboço Este artigo sobre anfíbios é um esboço relacionado ao Projeto Anfíbios e Répteis. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.