Refinaria de Duque de Caxias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Refinaria de Duque de Caxias - Reduc é hoje a mais completa e complexa refinaria do sistema Petrobras, tendo sido inaugurada, em 1961, com apenas seis unidades, além da casa de força. Localiza-se na Rodovia Washington Luís, km 113,7, no distrito de Campos Elísios (Duque de Caxias).

O complexo industrial da refinaria é distribuído numa área de aproximadamente 13 km² e é responsável por cerca de 4,8 bilhões de reais por ano em impostos pagos ao governo. Um total de 52 produtos [1] são comercializados por esta refinaria, dentre estes óleos básicos para lubrificantes, diesel, gasolina, GLP, nafta, querosene de aviação, parafinas, óleo combustível e aguarrás.

Esquema de refino[editar | editar código-fonte]

Uma série de unidades de processamento estão organizadas compondo o esquema de refino mais completo dentre as refinarias brasileiras. Dentre as unidades operacionais desta refinaria, destacam-se: FCC (craqueamento catalítico em leito fluidizado), destilação atmosférica e a vácuo (3 conjuntos, 1 para combustíveis e 2 para lubrificantes), reforma catalítica, 6 unidades de hidrotratamento (HDT), desasfaltação (2), além de várias unidades de processamento e tratamento de óleos básicos para lubrificantes, caldeiras e mais unidades de tratamento de derivados. Em julho de 2008 foi iniciada a operação da Unidade de Coqueamento Retardado, que é responsável pelo processamento de matéria-prima pesada, convertendo em produtos nobres, como o diesel e nafta, além de produzir o coque. A construção desta unidade totalizou investimentos da ordem de US$ 1 bilhão[2] .

Acidentes[editar | editar código-fonte]

A Reduc também se notabilizou por um histórico de acidentes maiores e menores. O maior de todos eles ocorreu em 30 de março de 1972. Nesta data ocorreram três grandes explosões em três tanques de gás, causando a morte de 42 trabalhadores e deixando mais 40 feridos. Considerado causado por erro operacional e falha de projeto, o acidente provocou chamas de trezentos metros de altura e um dos tampões dos tanques (peça de 23 m de diãmetro) foi arremessado pela explosão a uma distância superior a um quilômetro. Em 2014 foram duas ocorrências. Um grande incêndio em janeiro e a emissão de vultosa nuvem de fumaça no dia 30 de abril. Esta fumaça negra cobriu uma extensa região que se estendeu até a zona oeste do município do Rio de Janeiro.[3]

Ampliação[editar | editar código-fonte]

A Reduc está ampliando sua planta de gás natural, construindo novas unidades para atender à demanda por gás natural na região Sudeste do Brasil. Junto com estas unidades, também estão previstos tratamentos de dessulfurização de nafta craqueada e um investimento maciço em unidades de preservação do meio ambiente, como a recuperação de enxofre e tratamento de águas ácidas. Os investimentos de ampliação são estimados em US$ 1,5 bilhão[2] .

Várias outras obras de melhoria do sistema industrial da Reduc estão sendo previstas, visando a sua ampliação ou modernização para preservar a saúde dos trabalhadores, o meio ambiente e a excelência em qualidade dos processos e produtos da refinaria.

Produção de diesel S-50[editar | editar código-fonte]

A Reduc foi pioneira na produção do óleo diesel S-50 no Brasil. Este novo produto possui 90% menos enxofre que o diesel anteriormente utilizado nas regiões metropolitanas (diesel S-500), contribuindo para a melhoria da qualidade do ar.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Petrobras. REDUC - Refinaria Duque de Caxias. Visitado em 29 de Janeiro de 2010.
  2. a b Energia Hoje. Lula inaugura unidade da Reduc. Visitado em 03 de Março de 2010.
  3. http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/05/petrobras-e-multada-em-r-2-milhoes-por-emissao-de-poluentes-na-reduc.html
  4. Petróleo Lusófono. Diesel S-50 produzido pela Petrobras reduz emissão de poluentes no Rio de Janeiro. Visitado em 03 de Março de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]