Reprodução assexuada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A Bipartição é um processo de reprodução assexuada no qual se verifica a manutenção do material genético: um único núcleo divide-se em dois.

A reprodução assexuada é um tipo de reprodução que ocorre sem a conjugação de material genético. Existe um único progenitor que se divide por mitose. Os seres provenientes deste tipo de reprodução são geneticamente iguais ao organismo que os originou (a não ser que hajam mutações) e são denominados clones. Assim que ocorre maturação dos clones estes passam a ter capacidade de produzir cópias de si próprios.

Este tipo de reprodução possui vantagens adaptativas: rapidez – num curto espaço de tempo ocorre um acentuado aumento da população; simplicidade – não há gastos de tempo e energia na procura de um parceiro; homogeneidade – muitos indivíduos com características iguais. Contudo, os organismos que se reproduzem assexuadamente, possuem pouca variabilidade genética, pelo que se o biótopo se alterar, as populações poderão ser afectadas (devido à fraca capacidade adaptativa), podendo levar à sua extinção naquele local.

A reprodução assexuada existe em bactérias, eucariotas unicelulares e em vários filos de invertebrados, contudo não está presente nos vertebrados.

Entre os animais, um dos exemplos mais conhecidos é o da estrela-do-mar que, ao perder um dos braços, pode regenerar os restantes, formando-se uma nova estrela-do-mar do braço seleccionado.

Nas plantas a reprodução assexuada é também frequente, utilizando-se esta capacidade reprodutiva na agricultura. Por exemplo, as laranjas da Bahia (sem sementes) provêm todas do mesmo clone (considerando clone o conjunto de todos os seres geneticamente idênticos, provenientes de um mesmo ser vivo), a partir de uma laranjeira mutante aparecida na região da Bahia no Brasil. Efectivamente, esta árvore, ao não produzir sementes só se pode reproduzir por enxerto ou estaca.

Tipos de reprodução assexuada[editar | editar código-fonte]

Há vários tipos de reprodução assexuada:

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Hickman, Cleveland P.; Roberts, Larry S.; Larson, Allan; l'Anson, Helen; Eisenhour, David J.; Integrated Principles of Zoology; 14ª edição; 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]