SATA Air Açores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de SATA Internacional)
Ir para: navegação, pesquisa
Sata Air Açores
IATA
S4
ICAO
RZO
Indicativo de chamada
AIR AZORES
Fundada em 1941
Principais centros
de operações
Lisboa; Ponta Delgada; Funchal


Aliança comercial
Frota 4 Airbus A310-300
5 Airbus A320-200
4 Bombardier Dash Q400
2 Bombardier Dash Q200 aeronaves
Destinos 25 localidades
Companhia
administradora
SATA Air Açores
Sede Ponta Delgada[1] [2]
Sítio oficial www.sata.pt/
Sede da SATA

O Serviço Açoriano de Transportes Aéreos (SATA) é uma empresa aérea da Região Autónoma dos Açores. Engloba as empresas SATA Air Açores e a SATA Internacional. Com sede em Ponta Delgada, o seu atual presidente desde novembro de 2007 é António Gomes de Menezes.

Realiza também alguns voos charter e regulares, internacionais de Portugal continental para outros destinos na Europa, América do Norte, América do Sul e ainda voos entre a Madeira e as Ilhas Canárias.

História[editar | editar código-fonte]

Um grupo de cinco açorianos notáveis (entre os quais Augusto Rebelo Arruda) tomou a iniciativa de lançar os fundamentos da empresa SATA Air Açores ao fundar, em 21 de Agosto de 1941, a Sociedade Açoriana de Estudos Aéreos, Lda. Passados seis anos, em 17 de Fevereiro de 1947, foi alterada a sua designação para Sociedade Açoriana de Transportes Aéreos, Lda. A 15 de Junho, a SATA iniciou os voos com um avião Beechcraft D18S prefixo CS-TAA, baptizado como "Açor". Transportava 7 passageiros e 2 membros de tripulação, e fazia as ligações aéreas entre as ilhas de São Miguel (na pista de Santana, até 1969), de Santa Maria e da Terceira (na pista da Achada, Lajes).

A perda da aeronave num trágico acidente em 1948 obrigou à suspensão temporária das operações da SATA. A 23 de Maio de 1949, chegaram a São Miguel dois aviões De Havilland Dove, com capacidade para 9 passageiros. Anos mais tarde, a frota foi aumentada com a aquisição de um Douglas DC-3 (CS-TAD) (21 de Agosto de 1963), com capacidade para 26 lugares, que entrou em operação em 1 de Julho de 1964.

Em 1969, o Aeroporto de Nordela (hoje, Aeroporto João Paulo II), próximo da cidade de Ponta Delgada, foi inaugurado e aberto ao tráfego civil. Serve ainda de Base Operacional da SATA. Dois anos depois, a TAP Portugal passou a realizar voos regulares entre Lisboa e Ponta Delgada. Em 24 de Agosto de 1971, é inaugurado o Aeroporto da Horta, e em 1972, é inaugurado o Aeroporto das Flores. Em 1972, é decidida a compra dos aviãos Avro 748 com capacidade para 48 lugares, que voam nos Açores desde 1969. Entre 1981 a 1983, são construídos aeroportos nas restantes ilhas do arquipélago pelo Governo Regional.

Em 1976, a Força Aérea Portuguesa cede à SATA 2 aviões Douglas DC-6 e é proposta a regionalização da empresa à Assembleia da República. Em resultado da greve dos pilotos da TAP Air Portugal, o que obriga a fazer voos directos para Lisboa com os aviões DC-6, chegando até mesmo a fretar um Boeing 707, para descongestionar o tráfego acumulado nos Açores. A 14 de Abril de 1977, atingiu-se a marca de 1 milhão de passageiros transportados.

SATA Empresa Pública[editar | editar código-fonte]

DHC8-Q400 - CS-TRE no Aeroporto da Horta.

Inicialmente foi constituída como empresa privada, mas o estatuto da empresa SATA evoluiu, em 17 de Outubro de 1980, para uma empresa pública sob tutela do Governo Regional dos Açores passando a designar-se Serviço Açoriano de Transportes Aéreos, Empresa Pública, embora mantendo a sigla SATA. Foi adquirida ao Grupo Bensaúde, ficando 50 % das acções a pertencer ao Governo Regional dos Açores e, as restantes, à TAP Air Portugal, EP. Ainda em 1980 aderiu à Associação Europeia de Companhias Aéreas Regionais (ERA)[3] , e à IATA. Em 1986, o então Presidente do Governo Regional dos Açores, Mota Amaral, sugeriu a adopção da designação "SATA Air Açores".

Em 1985 tiveram início os voos charters para a América do Norte. A Azores Express, empresa do Grupo SATA, efectuou voos charter dos Açores para os Estados Unidos. A SATA Express, empresa do Grupo SATA, efectuou voos charter entre os Açores e o Canadá. Em 1988, a SATA mudou as suas cores e passou a editar a revista de bordo bilíngue Paralelo 38, actualmente Espírito Açoriano/Azorean Spirit.

Entre 1989-1990, os aviões Avro foram gradualmente substituídos pelos ATP da British Aerospace. O primeiro avião, de nome "Santa Maria", entrou ao serviço em 1989, o segundo, de nome "Flores", em 1990, e o terceiro, de nome "Graciosa", em 1991. Ainda em 1991, o pequeno Dornier Do 228 iniciou as ligações para a ilha do Corvo, substituindo o CASA C-212 Aviocar da Força Aérea Portuguesa.

Em 1994, na celebração do 50.º aniversário da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO), esta decidiu atribuir uma medalha de honra a uma entidade ou individualidade que, em cada estado membro, tivesse dado um relevante contributo ao desenvolvimento da aviação civil. Em Portugal, essa medalha foi atribuída à SATA Air Açores.

SATA Internacional[editar | editar código-fonte]

A320-214 - CS-TKK "Corvo" no Aeroporto de Frankfurt.

A SATA Internacional é uma companhia subsidiária da SATA Air Açores, licenciada para operar voos no exterior dos Açores. Resultou da aquisição e transformação, em 1994, da companhia de táxi aéreo "Oceanair". A 19 de Março de 1998 a sua razão social foi alterada de "Oceanair" para SATA Internacional e, a 17 de Junho, a companhia obteve o Certificado de Operador Aéreo. O seu licenciamento e certificação efectuou-se segundo a exigência dos regulamentos da União Europeia.

Em 1995, depois de 50 anos de voos inter-ilhas, a SATA iniciou voos não-regulares charter, utilizando o Boeing 737-300 para operadores turísticos nacionais e estrangeiros. Desde Janeiro de 2000, os voos para os EUA e Canadá passam a ser realizados pela SATA Internacional que presentemente opera nestas rotas os Airbus A310-300.

Em 1999, a SATA Internacional ganhou o concurso para as ligações aéreas entre Ponta Delgada, e o continente e para o Funchal. Em 2002 ganhou mais uma vez o concurso para as rotas que já operava desde há 3 anos. No ano seguinte ganhou o concurso para a concessão dessas rotas.

Destinos[editar | editar código-fonte]

Frota do Grupo SATA[editar | editar código-fonte]

Em Agosto de 2013, a frota de aviões do Grupo SATA é formada por :[4]


O Governo da Região Autónoma dos Açores anunciou, na Assembleia Legislativa dos Açores, que irá investir 60 milhões de euros na reestruturação da frota da SATA Air Açores. Serão substituídos os actuais aviões tipo ATP pelos modelos Bombardier Q Series, 4 Dash Q400 e 2 Dash Q200, demonstrando a aposta na expansão da companhia para os arquipélagos da Macaronésia, com os primeiros Dash Q200 a serem entregues ainda no primeiro semestre de 2009.

Frota SATA Internacional (S4/RZO) e SATA Air Açores (SP/SAT)[editar | editar código-fonte]

Modelo avião Número de aviões Lugares Notas
Airbus A320-200
5
161
CS-TKJ; CS-TKK; CS-TKP; CS-TKO
Airbus A310-300
4
222
CS-TGU; CS-TGV; CS-TKM; CS-TKN
Bombardier Dash 8 Q400
4
80
CS-TRD; CS-TRE; CS-TRF; CS-TRG
Bombardier Dash 8 Q200
2
37
CS-TRB; CS-TRC
Total 15

Nomes da frota SATA[editar | editar código-fonte]

DHC-8 Q-202 CS TRB "Graciosa" no Aeroporto da Horta.

CS-TGU - Terceira CS-TGV - São Miguel CS-TKJ - Pico CS-TKK - Corvo CS-TKP - São Jorge CS-TKM - Autonomia CS-TKN - Macaronésia CS-TKO - Diáspora CS-TRB - Graciosa CS-TRC - Faial CS-TRD - Manuel de Arriaga CS-TRE - Teófilo Braga CS-TRF - Flores CS-TRG - Santa Maria

Destinos da SATA Internacional (S4/RZO)[editar | editar código-fonte]

Destinos da SATA Air Açores (SP/SAT)[editar | editar código-fonte]

Acidentes[editar | editar código-fonte]

O desastre do "Açor"[editar | editar código-fonte]

Após ter descolado da pista do aeroporto de São Miguel rumo ao de Santa Maria, o Beechcraft D18S CS-TAA "Açor" despenhou-se no mar, em 5 de Agosto de 1948, pelas dez horas da manhã. Os dois tripulantes (comandante e mecânico) e os quatro passageiros a bordo pereceram, e a carga foi perdida.[5]

O desastre do ATP "Graciosa"[editar | editar código-fonte]

Em 11 de Dezembro de 1999, o ATP "Graciosa", no voo ATP SP530M, entre Ponta Delgada e as Flores, com escala na Horta, despenhou-se no Pico da Esperança, Ilha de São Jorge, vitimando todos os passageiros e tripulação, num total de 35 pessoas.

Referências

  1. "Brief Pack Info Kit." SATA. 2/18.
  2. "Customer Care." SATA.
  3. Pagina web ERA, detalhes SATA, recuperado 20 de Agosto 2012 (en)
  4. http://www.sata.pt/en/sata/fleet
  5. ASN Wikibase Occurrence # 65877 Consultado em 31 Out 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]