Sacerdócio (Santos dos Últimos Dias)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Série temática sobre os
Santos dos Últimos Dias
Salt Lake Temple spires.jpg
História
Primeira Visão
Crise na sucessão
Escrituras-padrão
Livro de Mórmon
Doutrina e Convênios
Pérola de Grande Valor
Bíblia
Importantes líderes
Joseph Smith Jr. · Oliver Cowdery
Sidney Rigdon · Brigham Young
Thomas S. Monson
Publicações Periódicas (em português)
A Liahona
Doutrinas
Regras de fé
Estrutura
Primeira Presidência
Quórum dos Doze Apóstolos
Quórum dos Setenta
Conflitos
Guerra Mórmon · Guerra de Utah
Legião Nauvoo · Batalhão Mórmon
Ramificações
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Comunidade de Cristo
Bickertonitas · Strangitas
Igreja de Cristo (Lote do Templo)


O Sacerdócio em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é a autoridade que governa e administra todos os assuntos desta Igreja.

Para os Santos dos Últimos Dias, essa autoridade não tem apenas caráter burocrático, mas é, segundo clamam, "(...) a autoridade para agir em nome de Deus. A mesma autoridade do sacerdócio que existia na Igreja original estabelecida por Jesus Cristo (...)"[1]

Em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, qualquer membro com mais de doze anos de idade pode candidatar-se a ser ordenado ao sacerdócio.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Segundo a crença dos santos dos últimos dias, o sacerdócio foi gradativamente tirado da face da Terra após a morte dos apóstolos de Jesus Cristo e outros oficiais da Igreja Primitiva. Novos apóstolos e oficiais eram chamados, mas em pouco tempo a perseguição contra os cristãos acabou por suprimir essa sucessão. Sem sucessores autorizados por Deus, a Igreja de Jesus Cristo teria desaparecido. Essa época é chamada "A Grande Apostasia", e teria durado até a restauração do sacerdócio a Joseph Smith Jr.

Essa restauração não teria ocorrido por ocasião da chamada "Primeira Visão" de Smith, mas teria ocorrido alguns anos depois, em duas etapas e por meio de seres celestiais.

O sacerdócio em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é dividido em duas ordens, cada qual subdividida em ofícios:

  1. Sacerdócio Aarônico (ordenanças exteriores)
  2. Sacerdócio de Melquisedeque (ordenanças de cunho mais espiritual)

A autoridade, dentro de cada uma dessas ordens, é a mesma, porém, as autorizações variam de acordo com os ofícios.

Sacerdócio Aarônico: Diácono Mestre Sacerdote Bispo Sacerdócio de Melquisedeque: Elder Sumo Sacerdote Patriarca Setenta Apóstolo

A questão do sacerdócio para os negros[editar | editar código-fonte]

Uma das principais críticas feitas à Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é quanto à restrição quanto a concessão do sacerdócio aos negros e mulatos, durante o período de 1847 até 1978.

No princípio, quando da organização da Igreja por Joseph Smith Jr., o sacerdócio, em qualquer de suas ordens, era irrestrito, podendo ser conferido a qualquer membro da Igreja que cumprisse com os requisitos de fidelidade, conforme ditados pela Igreja.

Elijah Abel, um negro nascido escravo, natural de Maryland, batizado em setembro de 1832, quando já era livre, teria sido o primeiro negro a receber o sacerdócio, ordenado élder em 3 de março de 1836, por Joseph Smith Jr. Mais tarde Abel também foi ordenado ao ofício de setenta. Outros afro-americanos ordenados ao sacerdócio àquela época foram Green Flake e Walker Lewis.

Esta política não ordenação de negros parece ter sido alterada durante a gestão de Brigham Young, por volta de 1847, e as supostas razões para tal mudança são bastante diversas, mesmo entre aquelas defendidas pelos santos dos últimos dias. Muitas delas corroboram (ou ao menos não se excluem) mutuamente, especialmente entre as defendidas por estes.

Dentre as justificativas estariam:

  • Élder negro autoproclamado profeta: William McCary, um élder negro mestiço, clamava ter o dom de profecia e outros dons sobrenaturais, o que desagradou Young.[3]
  • Maldição de Caim: Alguns membros da Igreja usam a maldição de Caim para justificar a política de restrição racial ao sacerdócio. O Livro de Gênesis serviria de respaldo, quando diz:[4] "E pôs o Senhor um sinal em Caim, para que o não ferisse qualquer que o achasse." Essa marca seria a pele negra.

Ainda que tenha resteringido o acesso dos negros ao sacerdócio, Young, quando perguntado "se os espíritos dos negros foram neutros no Céu" respondeu: "Não, eles não o foram, não havia [espíritos] neutros no Céu ao tempo da rebelião, todos tomaram algum partido... Todo espírito é puro quando vem da presença de Deus."[5] Brigham Young considerava Walker Lewis "um dos melhores élderes."[6]

Sacerdócio Aarônico[editar | editar código-fonte]

Obra em bronze representando João Batista conferindo o Sacerdócio Aarônico a Joseph Smith Jr. e Oliver Cowdery. Na placa, em inglês:
"Restauração do Sacerdócio Aarônico"
"Em 15 de maio de 1829, Joseph Smith e Oliver Cowdery foram ao bosque para inquirir ao Senhor a respeito do batismo. Como eles pregaram: 'um mensageiro do céu desceu em uma nuvem de luz' (Joseph Smith - História 1:68). Esse mensageiro era João Batista, que havia batizado Jesus Cristo no Rio Jordão e era agora um ser ressurreto. Ele impôs suas mãos sobre Joseph e Oliver e conferiu sobre cada um deles o Sacerdócio Aarônico, que esteve abolido sobre a terra por muitos séculos, e inclui a autoridade de Deus para batizar para remissão de pecados."

Sacerdócio Aarônico, ou Sacerdócio (segundo a ordem) de Aarão, Sacerdócio Levítico, Sacerdócio Menor ou Sacerdócio Preparatório é a primeira e mais básica ordem do sacerdócio em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Esse sacerdócio seria a autoridade concedida aos da tribo de Levi para administrar as cerimônias exteriores. Seria um sacerdócio de preparação para aquele que, segundo afirmam, Jesus Cristo possuía.

Segundo Joseph Smith Jr., este sacerdócio foi conferido a ele e a Oliver Cowdery no dia 15 de maio de 1829 por João Batista, o batizador de Jesus Cristo, ressuscitado, que os visitou sob as ordens de Pedro, Tiago e João.[7]

A seção 13 de Doutrina e Convênios contêm o que seriam as palavras de João Batista a Joseph e Oliver, proferidas no momento da ordenação:

"A vós, meus conservos, em nome do Messias, eu confiro o Sacerdócio de Aarão, que possui as chaves do ministério de anjos e do evangelho do arrependimento e do batismo por imersão para remissão de pecados; e ele nunca mais será tirado da Terra, até que os filhos de Levi tornem a fazer, em retidão, uma oferta ao Senhor." (Doutrina e Convênios | Seção 13:1)

Logo, pela crença dos santos dos últimos dias, o portador desse sacerdócio possuiria o direito de receber minstrações de anjos e o dever de pregar o envangelho para o arrependimento, e batizar por imersão os que desejarem remissão de seus pecados.

O Sacerdócio Aarônico possui os seguintes ofícios:

  • Diácono: Membros homens da Igreja com pelo menos 12 anos de idade podem ser ordenados ao ofício de diácono. Sua principal função é passar o pão e a água[8] a congregação durante o sacramento da "Ceia do Senhor" e zelar pelos edifícios da Igreja.
  • Mestre: Membros homens da Igreja com pelo menos 14 anos de idade podem ser ordenados ao ofício de mestre. Acumulam as funções de um diácono e ainda preparam a mesa para a "Ceia", auxiliam no ensino familiar.
  • Sacerdote: Membros homens da Igreja com pelo menos 16 anos de idade podem ser ordenados ao ofício de sacerdote. Acumulam as funções de um mestre e ainda abençoam o pão e a água para a "Ceia", ordenam outros ao Sacerdócio Aarônico e/ou a um de seus ofícios.
  • Bispo: Membros homens com mais de 18 anos e casados podem ser ordenados bispos. Eles, como regra geral, possuem também o Sacerdócio de Melquisedeque, onde atuam como sumo sacerdotes (neste caso diz-se que ele tem também o chamado de bispo). O bispo preside uma congregação com dois conselheiros e é considerado um juiz na Igreja. Ele também preside o Quórum de Sacerdotes, com dois sacerdotes como assistentes. Depois de desobrigado (do chamado) como líder de uma congregação, o indivíduo não perde o ofício de bispo, mas já não responde pelo corpo de membros nem atua como juiz entre eles.

Sacerdócio de Melquisedeque[editar | editar código-fonte]

Obra em bronze representando Pedro, Tiago e João conferindo o Sacerdócio de Melquisedeque a Joseph Smith Jr. Ao lado, Oliver Cowdery. Incrição na placa em inglês:
"Restauração do Sacerdócio de Melquisedeque"
"O Sacerdócio de Melquisedeque é a autoridade de Deus para liderar Sua Igreja, conceder o dom do Espírito Santo, e realizar outras ordenanças de salvação. Essa autoridade tem estado na terra quando o Senhor revela Seu evangelho. Esteve perdido sobre a terra depois da morte dos Apóstolos de Jesus, mas foi restaurado em Maio de 1829, quando os Apóstolos Pedro, Tiago e João o conferiram sobre Joseph Smith e Oliver Cowdery. Nas ordenaças do Sacerdócio de Melquisedeque 'manifesta-se o poder da divindade' (Doutrina e Convênios 84:20)".

Sacerdócio de Melquisedeque, Sacerdócio (segundo a ordem) de Melquisedeque, ou Sacerdócio Maior é a forma simplificada de chamar o Sacerdócio Segundo a Santa Ordem do Filho de Deus é a segunda e principal ordem do sacerdócio em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. O motivo principal para a simplificação do nome do sacerdócio é a maior facilidade de se referir a ele e o respeito que os santos dos últimos dias têm em utilizar o "nome de Deus" ou de evocá-lo, fazendo-o apenas em ocasiões consideradas mais sagradas. Melquisedeque, que recebeu os dízimos de Abraão,[9] segundo o relato bíblico, teria sido um dos principais sacerdotes desta ordem, por isso leva seu nome. Jesus Cristo também seria da "ordem de Melquisedeque".[10]

Esse sacerdócio seria a autoridade concedida aos profetas até Moisés e posteriormente a Jesus e aos apóstolos escolhidos por ele.

Segundo Joseph Smith Jr., este sacerdócio foi conferido a ele e a Oliver Cowdery ainda em maio de 1829 por Pedro, Tiago e João, ressuscitados.[7] [11]

Também segundo Smith, essa seria a autoridade necessária para restaurar a Igreja, já que permitiria sacramentos que não cabiam ao Sacerdócio Aarônico, como a confirmação de um membro da Igreja e a ordenação de apóstolos para dirigí-la como na Igreja Primitiva.[11]

O Sacerdócio de Melquisedeque possui os seguintes ofícios:

  • Élder: Membros homens da Igreja com pelo menos 18 anos de idade e que portem o Sacerdócio Aarônico no ofício de sacerdote podem ser ordenados ao ofício de élder. É a autoridade suficiente para liderar as congregações locais da Igreja, confirmar membros batizados e ungir e abençoar os doentes.
  • Sumo sacerdote:
  • Patriarca:
  • Setenta:
  • Apóstolo:

Organização e Hierarquia[editar | editar código-fonte]

O sacerdócio em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias segue um padrão hierárquico cumulativo, de modo que as obrigações de um diácono são acumuladas no ofício de mestre; as deste ofício são acumuladas no ofício de sacerdote, etc. Do mesmo modo, um élder acumula os direitos e deveres de um sacerdote; o sumo sacerdote as do élder, etc.

Essa é a ordem hierárquica do sacerdócio em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias:

Sacerdócio de Melquisedeque
Apóstolo Patriarca
Setenta
Sumo sacerdote
Élder
Sacerdócio Aarônico
Bispo
Sacerdote
Mestre
Diácono

Eis a forma como se organiza a liderança do sacerdócio de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, como descrita pela própria Igreja. As palavras em itálico referem-se a ofícios do sacerdócio, as demais podem se referir a simples posição de liderança:

Jesus Cristo
Autoridades Gerais
A Primeira Presidência:
O Presidente e Profeta da Igreja, o Primeiro Conselheiro e o Segundo Conselheiro
O Quórum dos Doze Apóstolos:
O Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos e onze outros Apóstolos
Os Quóruns dos Setenta:
Os sete Presidentes dos Setenta e algumas dezenas de Setentas
Primeiro Quórum dos Setenta Segundo Quórum dos Setenta
Presidências de Área:
Presidente, Primeiro Conselheiro e Segundo Conselheiro
Autoridades Locais
Terceiro, Quarto, Quinto, Sexto, Sétimo e Oitavo Quóruns dos Setenta (Setentas-Autoridades de Área) Presidências dos Templos
Presidências de Estaca e Sumo conselhos[12] Presidências de Missão
Bispados das Alas (Bispo e dois conselheiros) ou Presidências de Ramos (Presidente e dois conselheiros) Quóruns de Élderes Grupos de Sumo sacerdotes
Quóruns de Diáconos Quóruns de Mestres Quóruns de Sacerdotes

Além deste quadro, existe ainda a chamada Liderança Auxiliar. Para atuar nessa liderança o sacerdócio não é requerido.

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Sacerdócio: artigo sobre o tema sob o ponto de vista mais geral.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Vide artigo A autoridade do divina sacerdócio (em português), no site oficial www.mormon.org
  2. Vide verbete Diácono em Glossário (em português), no site www.mormon.org
  3. Larry G. Murphy, J. Gordon Melton, and Gary L. Ward (1993). Encyclopedia of African American Religions (New York: Garland Publishing) pp. 471–472.
  4. Vide Bíblia, Livro de Genesis 4:9-15
  5. Journal History, 25 de dezembro de 1869, citado no diário de Wilford Woodruff. Vide também blacklds.org/mormon/history.html
  6. Brigham Young Papers, 26 de março de 1847, LDS Church Archives, Salt Lake City, Utah.
  7. a b Vide Pérola de Grande Valor, Joseph Smith - História 1:72
  8. Atualmente, em virtude da Palavra de Sabedoria, água substitui o vinho como emblema do sangue de Cristo durante este sacramento em A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
  9. Vide Bíblia, Hebreus 7:1
  10. Vide Bíblia, Hebreus 5
  11. a b Vide Doutrina e Convênios, seção 27:12
  12. Patriarca é um ofício do Sacerdócio de Melquisedeque. Cada estaca conta com um patriarca, que não consta no corpo presidente da estaca, mas tem atribuições ligadas a ela.
Ícone de esboço Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.