Ducado de Saxe-Coburgo-Gota

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Saxe-Coburgo-Gota)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sachsen-Coburg-Gotha
Saxónia-Coburgo-Gota
Blank.png
 
VlagSGA.png
1826 – 1920 Flag of Bavaria (striped).svg
 
Flag of Thuringia.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Lema nacional
Heil unserem Herzog, heil
Localização de Saxe-Coburgo-Gota
Localização de Saxe-Coburgo-Gota
Saxe-Coburgo-Gota
Detalhe do ducado
Continente Europa
Região Europa Central
País Alemanha
Capital Coburgo e Gota
Língua oficial Alemão
Governo Ducado
História
 • 1826 Estabelecimento do ducado
 • 18 de novembro de 1920 de 1826 Revolução Alemã
Área
 • 1905 1 977 km2
População
 • 1905 est. 242 000 
     Dens. pop. 122,4/km²

Saxe-Coburgo-Gota, Saxe-Coburgo e Gota ou Saxónia-Coburgo-Gota (em alemão: Sachsen-Coburg und Gotha) era um antigo ducado semi-independente da Alemanha situado no atual estado de Turíngia, pertencente aos chamados Ducados ernestinos já que eram governados pelos duques da linha Ernestina da Casa de Wettin.

Dados geográficos[editar | editar código-fonte]

  • Área: 1977 km² + 537 km² (Lichtenberg)
  • População: 282.000 hab. (em 1910)
  • Capital: Coburgo e Gota
  • Cidades:
    • Coburgo Rodach, Neustadt de Coburgo, Ebersdorf, Sonnefeld e Rossach. ***Exclaves: Königsberg, Nassach, Erlsdorf.
    • Gota Zella St. Blasii, Ohrdruf, Westhausen, Waltershausen e Friedrichroda. ***Exclaves: Volkenroda, Körner, Nazza, Ebenhausen, Frankenroda, Hallugen, Neukirchen, Werningshausen, Trassdorf.
    • Lichtenberg Baumholder, Oberkirchen, St. Wendel.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1825, terminou com Frederico IV de Saxe-Altemburgo a casa ducal de Saxe-Gota-Altemburgo. Tal fato restruturou seus ducados.

Frederico de Saxe-Hildeburghausen tornou-se duque de Saxe-Altemburgo; Bernardo II de Saxe-Meiningen uniu os ducados de Saxe-Meiningen e Saxe-Hildburghausen, além de adicionar Saxe-Saafeld. Por último, Ernesto III de Saxe-Coburgo-Saalfeld, por união pessoal dos ducados de Saxe-Coburgo e Saxe-Gota, tornou-se Ernesto I de Saxe-Coburgo-Gota, embora os ducados estivessem geograficamente separados. Em 1816, recebeu o principado de Lichtenberg e o vendeu à Prússia em 1834 por 80.000 talerns.

A casa de Saxe-Coburgo-Gota, com uma formidável política de arranjos matrimoniais com as dinastias européias, tornou-se no século XIX a casa reinante da Bélgica, Bulgária, Grã-Bretanha e Portugal.

O irmão de mais novo de Ernesto I de Saxe-Coburgo-Gota, príncipe de Saxe-Coburgo-Gota, Leopoldo, casa-se com Carlota de Gales, única filha e herdeira do rei Jorge IV, que morre ao dar à luz o primogênito do casal. Em 1831, é eleito sem dificuldades rei dos belgas. Em 1832, casa-se Luísa Maria de Orleans, filha de Luís Filipe e seus descendentes ocupam o trono belga até hoje.

O primeiro filho Ernesto I, Ernesto II, recebe o ducado, mas o segundo filho, Alberto, se casa com a Rainha Vitória do Reino Unido, tornando-se em 1840 Príncipe Consorte e Alteza Real do Reino Unido. Seus descendentes ocupam até hoje o trono britânico. Porém, em 1917, por ocasião da 1ª Guerra Mundial, o nome da dinastia foi trocado para Windsor já que "Saxe-Coburgo-Gota" fora considerado muito germânico, logo anti-patriótico.

Um sobrinho de Ernesto I, Fernando de Saxe-Coburgo-Gota, torna-se rei consorte de Portugal ao casar-se com Maria II de Portugal e seus descendentes reinaram naquele país até 1910, quando uma revolução proclamou a república.

Outro sobrinho de Ernesto I, Augusto de Saxe-Coburgo-Gota se casa com Clementina de Orléans, filha de Luís Filipe I de França. Seu quinto filho, Fernando é eleito príncipe da Bulgária em 1887 e em 1908 se autoproclama Czar (título equivalente ao de imperador para os búlgaros) sem ter oposição. Em 1918, quando suas tropas o abandonam e passam para o lado aliado, Fernando abdica e volta a Coburgo, deixando o trono ao seu filho Bóris III.

Deste modo, os duques de Saxe-Coburgo-Gota firmaram laços de sangue com metade das casas reais européias e também com a Casa Imperial Brasileira. O ramo brasileiro dos Saxe-Coburgo se inicia com a união entre a Princesa Leopoldina de Bourbon e Bragança , filha mais nova do imperador Pedro II com Luís Augusto de Saxe-Coburgo-Gota, em 1864. O casal teve quatro filhos, sendo que apenas o segundo filho, Augusto, legou descendência, que forma hoje o ramo não-dinástico de Saxe-Coburgo e Bragança.

O sucessor de Ernesto II de Saxe-Coburgo-Gota é o seu sobrinho Alfredo do Reino Unido, filho de Alberto e da Rainha Vitória do Reino Unido que possuía também os títulos de Príncipe da Grã-Bretanha e Irlanda, e duque de Edimburgo etc. A este sucedeu outro sobrinho, Carlos Eduardo de Albany, Príncipe da Grã-Bretanha e Irlanda, embora nos primeiros anos Ernesto de Hohenlohe-Langenburg. Em 1928, com a queda do II Reich, a dinastia também caiu: embora o filho de Carlos Eduardo, João Leopoldo, Príncipe Hereditário de Saxe-Coburgo-Gota tenha reclamado seus direitos, Gota se converteu num Estado livre que logo se uniu ao Estado da Turíngia. Em 1 de maio de 1920, Coburgo foi unida à Baviera.

Ver também[editar | editar código-fonte]