Sea Shepherd Conservation Society

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sea Shepherd Conservation Society
Bandeira variante
(SSCS)
Fundação Foi oficialment registada no estado do Oregon, EUA em 1981
Tipo ONG (Organização Não Governamental) dedicada à conservação marinha.
Propósito Investigar, documentar e intervir quando necessario para expor e confrontar atividades ilegais em mar alto.
Sede Friday Harbor, Washington, EUA
Fundador Paul Watson
Sítio oficial seashepherd.org

A Sea Shepherd Conservation Society (com a sigla SSCS) é uma organização sem fins lucrativos, focada na conservação de seres marinhos, sediada em Friday Harbor, Washington nos Estados Unidos da América. O grupo usa táticas de ação direta para proteger a vida marinha. Foi fundada em 1977 com o nome de Earth Force Society por Paul Watson, um antigo membro da Greenpeace, depois de este se ter decidido a vir embora da mesma pois ela não lhe permitia o uso de táticas de intervenção mais agressivas. O grupo dispõe um foco forte em relações públicas para difundir a sua mensagem através dos meios de comunicação. Em 2008, o canal Animal Planet (Parte da cadeia Discovery) começou a filmar um reality show, "Piratas Ecologicos" (Whale Wars em inglês), baseado nos encontros anuais do grupo com a frota Japonesa de baleiros no oceano antártico.

Ativismo[editar | editar código-fonte]

A Sea Shepherd Conservation Society opera, neste momento, 4 embarcações: o MY Steve Irwin, o MY Bob Barker, o MV Brigitte Bardot e o MY Sam Simon. Que têm participado em operações por todo o mundo que incluem, sabotagem a afundamento de barcos enquanto atracados em portos, obstrução á caça de focas no Canadá e na Namíbia, ofuscar baleiros com lasers (tatica usada também por forças policiais para desabilitar suspeitos), atirar garrafas com quimicos não toxicos mal cheirosos (bombas de cheiro) para o convés dos navios envolvidos em atividades ilegais em alto mar, apreensão e destruição de redes-derivantes. A organização afirma que as suas ações agressivas são necessárias pois existe uma relutância por parte dos governos a nível mundial em aplicar a lei em alto mar, dando assim, à Sea Shepherd Conservation Society, autoridade para as aplicar eles mesmos tal como descrito na United Nations World Charter For Nature[1]

A Sea Shepherd é bancada por milhares de apoiadores e doadores pelo mundo incluindo algumas celebridades como os Red Hot Chilli Peppers, Richard Dean Anderson (ator que interpertava o papel de MacGyver) e Sam Simon (Co-produtor de The Simpsons) entre muitos outros. No entanto é também bastante criticada por diversas personalidades e organizações devido ás suas ações agressivas, com o intuito de intimidar, tendo mesmo tendo sido considerados eco-terroristas por governos como o do Japão. Apesar das suas táticas agressivas não existe um único registro de feridos causados pela organização. Entidades como o Activistcash [2] dedicam-se a rastrear e levar ao conhecimento do grande público as fontes de recursos de ONGA's como a Sea Shepherd. [3]

História[editar | editar código-fonte]

O "MV Steve Irwin", um dos navios que pertencem à organização.

A Sea Shepherd Conservation Society é uma ONGA (Organização não governamental de ambiente) fundada oficialmente no estado do Oregon, EUA, em 1981 pelo capitão Paul Watson, jornalista canadense que havia iniciado a sua carreira enquanto ativista ambiental anos antes fazendo parte dos membros fundadores da Greenpeace. A SSCS surge após Paul Watson ter sido excluido da Greenpeace devido as suas ações mais radicais que não se enquadravam com o perfil da Greenpeace. Nasceu então a Sea Shepherd Conservation Society que, usa táticas de intervenção e ação direta para investigar, documentar e intervir quando necessário para expor e confrontar atividades ilegais em mar alto.

Oposto ao Greenpeace, organização que ajudou a fundar com mais duas pessoas, mas que tinha propósitos muito burocráticos, Paul Watson concluiu que a resposta dada era inadequada aos danos ambientais causados.

A resposta endossada por Paul Watson inclui a sabotagem e o afundamento de navios julgados por ele como que tenham violado leis baleeiras internacionais. Estes navios são considerados por ele como piratas.

Baleeiros afundados[editar | editar código-fonte]

Desde 1979, o Sea Sheperd alega ter afundado dez baleeiros, referindo-se a eles como piratas:

  • 1979 – o baleeiro Sierra afundou na costa de Portugal;
  • 1980 – os baleeiros Isba I e Isba II afundaram em Vigo, Espanha;
  • 1980 – os baleeiros Susan e Theresa afundaram na África do Sul;
  • 1981 – os baleeiros Hvalur 6 e Hvalur 7 afundaram na Islândia;
  • 1992 – o baleeiro Nybraena afundou na Noruega;
  • 1994 – o baleeiro Senet afundou na Noruega;
  • 1998 – O baleeiro Morild afundou na Noruega.

Por esses acontecimentos, os navios tiveram suas bandeiras cassadas. De acordo com coluna do The New Yorker, de novembro de 2007, navegam sob bandeira dos Países Baixos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. United Nations
  2. Activistcash - Página acessada em 20 de Junho de 2013. (em inglês)
  3. Activistcash - Sea Shepherd Conservation Society. Página acessada em 20 de Junho de 2013. (em inglês)


Ligações externas[editar | editar código-fonte]