Teages

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Teages é um diálogo] atribuído a Platão, apresentando Demódoco, Sócrates e Teages. Há um debate sobre a sua autenticidade;1 W. R. M. Lamb tira esta conclusão a partir de sua opinião de que o trabalho é inferior e não-socrático, mas reconhece que foi universalmente considerado autêntico na antiguidade.2

Assunto[editar | editar código-fonte]

No diálogo, Demódoco apresenta seu filho Teages a Sócrates e eles discutem a voz interior divina de Sócrates.3 Quatro casos separadas são descritas em que Sócrates recebeu uma premonição dos deuses, mas em cada caso, o conselho foi ignorado com consequências desastrosas.3 Sócrates também é apresentado como tendo um poder divino e de efeito mágico sobre seus alunos, mas que desaparece se eles o abandonam para perseguir outros interesses.3

Filosofia moderna[editar | editar código-fonte]

Teages 125e8-126a4 é citado por Nietzsche em A Vontade de Poder §958: "No 'Teages de Platão está escrito: 'Cada um de nós gostaria de ser mestre sobre todos os homens se possível, ou melhor ainda um Deus. 'Esta atitude deve existir novamente" (trad. Walter Kaufmann).

Referências

  1. Richard Kraut, in The Cambridge Companion to Plato (Cambridge: Cambridge University Press, 1992), 35. (em inglês)
  2. Lamb, Introduction to the Theages, in Plato XII (Cambridge: Harvard University Press, 1927). (em inglês)
  3. a b c John Madison Cooper, D. S. Hutchinson, (1997), Plato, Complete works, page 1734. Hackett Publishing. (em inglês)