Temporada de ciclones no Pacífico Sul de 2006-2007

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Temporada de ciclones no Pacífico Sul de 2006-2007
2006-2007 South Pacific cyclone season summary.jpg
Primeiro sistema1 formado: Xavier em 21 de Outubro de 2006
Sistemas ativos1: Temporada encerrada
Total de tempestades nomeadas: 6
Total de ciclones: 4
Grandes ciclones (Cat. 3+): 1
Tempestade mais forte: Xavier - 930 mbar, 195 Km/h
Número de sistemas1 que atingiram terras emersas: 2
Danos totais: Desconhecido
ECA Total: 35,486
Fatalidades confirmadas: Nenhuma
1Inclui depressões tropicais e depressões subtropicais

A temporada de ciclones no Pacífico sul de 2006-07 ou estação de ciclones no Pacífico sul de 2006-07 ou ainda época de ciclones no Pacífico sul de 2006-07 foi um evento no ciclo anual de formação de ciclones tropicais. A temporada começou em 1º de Novembro de 2006 e terminou em 30 de Abril de 2007. Estas datas delimitam convencionalmente o período de cada ano quando a maioria dos ciclones tropicais se formam no Oceano Pacífico sul a leste do meridiano 160°E. Além do mais, o plano de operações sobre ciclones tropicais define um 'ano de ciclones tropicais' separado da temporada de ciclones tropicais. Este 'ano' começou em 1 de Julho de 2006 e terminou em 30 de Julho de 2007.[1]

Os ciclones tropicais que se formam entre os meridianos 160°L e 120°O e entre a Linha do Equador e a latitude 25°S são monitorados pelo Centro Meteorológico Regional Especializado (CMRE) de Nadi, controlado pelo Serviço Meteorológico de Fiji. Os ciclones tropicais que se formam entre os mesmos meridianos citados acima e ao sul da latitude 25°S são monitorados pelo Centro de Aviso de Ciclone Tropical (CACT) em Wellington, Nova Zelândia.[1]

Tempestades[editar | editar código-fonte]

Ciclone tropical Xavier[editar | editar código-fonte]

Ciclone tropical Xavier
Ciclone tropical 01P
Ciclone tropical severo (CTS)  (CMRE Fiji)
Categoria 4  (EFSS)
{{{image}}} Xavier 2006 track.png
Duração 21 de Outubro de 200626 de Outubro de 2006
Intensidade 115 nós (213 km/h, 132 mph) 1 min
95 nós (176 km/h, 109 mph) 10 min, 930 hPa (mbar)

Em 21 de Outubro, uma área de convecção profunda que tinha se formado anteriormente naquele dia foi classificado como uma depressão tropical pelo Centro Meteorológico Regional Especializado (CMRE) de Nadi, Fiji. O sistema foi logo classificado como um ciclone tropical e ganhou o nome Xavier, tendo sofrido uma intensificação explosiva.[2] Um olho logo ficou aparente em imagens de satélite. Xavier continuou a se intensificar, alcançando o pico de intensidade de 175 km/h, segundo o CMRE de Nadi, em 24 de Outubro.[3]

Mais tarde naquele dia, o CMRE de Nadi indicou que o olho tinha desaparecido das imagens de satélite assim que a temperatura do topo das nuvens associadas ao sistema começou a aquecer. Também foi relatado um enfraquecimento dos fluxos externos e Xavier começou a se enfraquecer assim que o sistema adentrou uma área com forte cisalhamento do vento. Xavier enfraqueceu-se para uma depressão tropical em 26 de Outubro.[4] O Joint Typhoon Warning Center (JTWC) parou de emitir avisos regulares sobre o sistema no mesmo dia. O CMRE de Nadi mencionou o sistema pela última vez em seus boletins ultramarinos em 28 de Outubro.[5]

Depressão tropical 02F[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 02F
Depressão tropical (DT)  (CMRE Fiji)
Cyclone Temporaire.png
Duração 24 de Outubro de 200629 de Outubro de 2006
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 10 min, ? hPa (mbar)

Em 24 de Outubro, uma área de convecção a leste da Linha Internacional de Data foi classificada como uma depressão tropical pelo CMRE de Nadi.

No entanto, a depressão falhou em se intensificar devido aos fluxos externos do ciclone Xavier e se enfraqueceu assim que se deslocava para oeste, dissipando-se em 26 de Outubro. O CMRE de Nadi mencionou o sistema pela última vez nos seus boletins ultramarinos em 29 de Outubro.[5]

Depressão tropical 03F[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 03F
Depressão tropical (DT)  (CMRE Fiji)
Cyclone Temporaire.png
Duração 1 de Novembro de 20063 de Novembro de 2006
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 10 min, ? hPa (mbar)

Em 1 de Novembro, o CMRE identificou uma perturbação tropical logo a leste da Linha Internacional de Data, que tinha persistido por cerca de dois dias. Também foi notado a possibilidade de que mais de uma circulação ciclônica perto da área da longitude 180°. Mais tarde, o sistema foi classificado como uma depressão tropical.

No entanto, depressão falhou em se intensificar mais e dissipou-se em 3 de Novembro.[6]

Ciclone tropical Yani[editar | editar código-fonte]

Ciclone tropical Yani
Ciclone tropical 02P
Ciclone tropical (CT)  (CMRE Fiji)
Categoria 1  (EFSS)
{{{image}}} Yani 2006 track.png
Duração 21 de Novembro de 200624 de Novembro de 2006
Intensidade 70 nós (130 km/h, 81 mph) 1 min
75 nós (139 km/h, 86 mph) 10 min, 960 hPa (mbar)

O CMRE de Nadi identificou a formação de uma perturbação tropical no seu sumário de perturbações tropicais em 16 de Novembro, logo a oeste da Linha Internacional de Data. No dia seguinte, o sistema tornou-se uma depressão tropical,[7] sendo que o CMRE de Nadi notou o aumento nas áreas de convecção. A depressão estava associada a um cavado de monção no começo de seu período de vida, e de acordo com o CMRE de Nadi, numa área com pouca difluência e cisalhamento do vento moderado. Em 22 de Novembro, o sistema tornou-se um ciclone tropical, ganhando o nome Yani,[8] após o aumento em sua organização. Yani continuou a se intensificar assim que continuava a seguir para o sul, alcançando a intensidade equivalente a um furacão no começo da madrugada (UTC) do dia seguinte.[9]

Continuando a seguir para o sul, o sistema alcançou uma área com forte cisalhamento do vento e se enfraqueceu rapidamente. O centro ciclônico de baixos níveis logo ficou desligado das principais áreas de convecção e, sob a influência de uma alta subtropical, começou a seguir para oeste-noroeste. O CMRE de Nadi emitiu seu aviso final sobre o sistema em 25 de Novembro,[10] sendo que o JTWC fez o mesmo no dia seguinte.[6]

Depressão tropical 05F[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 05F
Ciclone tropical 04P
Depressão tropical (DT)  (CMRE Fiji)
Tempestade tropical  (EFSS)
Cyclone Temporaire.png
Duração 29 de Novembro de 20061 de Dezembro de 2006
Intensidade 35 nós (65 km/h, 40 mph) 1 min
30 nós (56 km/h, 35 mph) 10 min, ? hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se a leste-nordeste das Ilhas Salomão em 28 de Novembro. O CMRE de Nadi começou a monitorar o sistema como uma perturbação tropical no começo da madrugada de 29 de Novembro assim que seguia um ambiente favorável para o seu fortalecimento. Mais tarde naquele dia, o sistema tornou-se uma depressão tropical.[11] No dia seguinte, o JTWC começou a emitir avisos regulares sobre o sistema, designando-o como o ciclone tropical 04P.

Sob forte cisalhamento do vento, o sistema falhou em se desenvolver mais e o JTWC parou de emitir avisos regulares sobre o sistema em 1 de Dezembro, pouco depois do CMRE de Nadi fazer o mesmo.[6] [12]

Depressão tropical 06F[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 06F
Depressão tropical (DT)  (CMRE Fiji)
Cyclone Temporaire.png
Duração 9 de Janeiro de 200715 de Janeiro de 2007
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 10 min, ? hPa (mbar)

Em 9 de Janeiro, o CMRE de Nadi identificou uma depressão tropical bem ao leste da Linha Internacional de Data, localizada num ambiente com forte cisalhamento do vento, sendo que havia áreas de convecção associadas que persistiram por cerca de 24 horas.

O sistema falhou em se intensificar mais e no final da noite de 15 de Janeiro, o CMRE de Nadi disse que o sistema tinha se tornando um sistema extratropical. O CMRE de Nadi ainda seguiu os remanescentes extratropicais de 06F por cerca de dois dias.[13]

Ciclone tropical Zita[editar | editar código-fonte]

Ciclone tropical Zita
Ciclone tropical 08P
Ciclone tropical (CT)  (CMRE Fiji)
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Zita 2007 track.png
Duração 18 de Janeiro de 200725 de Janeiro de 2007
Intensidade 60 nós (111 km/h, 69 mph) 1 e 10 min, 975 hPa (mbar)

Em 16 de Janeiro, um boletim ultramarino do CMRE de Nadi identificou a formação de uma perturbação tropical a leste da Linha Internacional de Data. O centro ciclônico de baixos níveis não foi identificado, mas foi estimado a estar no limite sudoeste das principais áreas de convecção. Em 18 de Janeiro, o CMRE de Nadi classificou o sistema para uma depressão tropical enquanto o sistema ainda estava pouco organizado. Em 20 de Janeiro, o JTWC começou a monitorar o sistema como uma perturbação tropical e em 22 de Janeiro, chegou a emitir um alerta de formação de ciclone tropical (AFCT) sobre o sistema. Mais tarde, o CMRE de Nadi classificou o sistema como um ciclone tropical e lhe atribuiu o nome Zita, mencionando que o sistema tinha sofrido uma intensificação explosiva.[14]

Movendo-se para o sul-sudeste, Zita logo começou a sofrer transição extratropical e o JTWC emitiu seu último aviso sobre o sistema em 24 de Janeiro. Logo depois, o sistema saiu da área de responsabilidade do CMRE de Nadi para adentrar na área de responsabilidade do Centro de Aviso de Ciclone Tropical de Wellington, Nova Zelândia.[15] No começo da madrugada de 25 de Janeiro, o sistema tornou-se totalmente extratropical.[13]

Ciclone tropical Arthur[editar | editar código-fonte]

Ciclone tropical Arthur
Ciclone tropical 09P
Ciclone tropical (CT)  (CMRE Fiji)
Categoria 1  (EFSS)
{{{image}}} Arthur 2007 track.png
Duração 21 de Janeiro de 200727 de Janeiro de 2007
Intensidade 65 nós (120 km/h, 75 mph) 1 min
60 nós (111 km/h, 69 mph) 10 min, 975 hPa (mbar)

O JTWC começou a monitorar um sistema localizado a leste-nordeste de Pago Pago, Samoa Americana, em 20 de Janeiro. O CMRE de Nadi também notou a perturbação naquele dia e classificou o sistema para uma depressão tropical em 21 de Janeiro,[16] notando a possibilidade moderada a alta do sistema se tornar um ciclone tropical significativo. Mais tarde, o JTWC emitiu um AFCT sobre o sistema. Em 23 de Janeiro, o sistema começou a se deteriorar, mas esta tendência foi de curta duração, já que o CMRE de Nadi classificou o sistema para um ciclone tropical no dia seguinte, atribuindo-lhe o nome Arthur.[17] Em 25 de janeiro, o sistema atingiu o seu pico de intensidade com ventos máximos sustentados de 120 km/h,[18] mas começou a se enfraquecer assim que se aproximava das Ilhas Cook.

O sistema começou a sofrer transição extratropical em 26 de Janeiro, sendo que o JTWC emitiu seu aviso final sobre o sistema, enquanto que o CMRE de Nadi notou um pequeno novo fortalecimento do sistema. Mais tarde naquele dia, o JTWC emitiu um aviso especial sobre o sistema, mencionando que Arthur tinha recuperado temporariamente suas características tropicais. Em 27 de Janeiro, o sistema saiu da área de responsabilidade do CMRE de Nadi para adentrar na área de responsabilidade do CACT de Wellington,[19] onde tornou-se totalmente extratropical.[13]

Depressão tropical 09F[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 09F
Ciclone tropical 11P
Depressão tropical (DT)  (CMRE Fiji)
Tempestade tropical  (EFSS)
Cyclone Temporaire.png
Duração 3 de Fevereiro de 20075 de Fevereiro de 2007
Intensidade 35 nós (65 km/h, 40 mph) 1 min
30 nós (56 km/h, 35 mph) 10 min, ? hPa (mbar)

O CMRE de Nadi notou a formação de uma perturbação tropical a leste da Linha Internacional de Data na altura do paralelo 10°S em 30 de Janeiro. Em 2 de Fevereiro, o CMRE de Nadi classificou o sistema para uma depressão tropical[20] e no dia seguinte, o JTWC emitiu um AFCT sobre o sistema. Em 4 de Fevereiro, o JTWC classificou a perturbação tropical para um ciclone tropical significativo, designando-o como o ciclone tropical 11P.

No entanto, o sistema tornou-se rapidamente extratropical e o aviso final sobre o sistema foi emitido apenas 24 horas depois. O CMRE de Nadi também fez o mesmo em 5 de Fevereiro.[21] [22]

Depressão tropical 10F[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 10F
Depressão tropical (DT)  (CMRE Fiji)
Cyclone Temporaire.png
Duração  ?? de 2007—?? de 2007
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 10 min, ? hPa (mbar)

A depressão tropical 10F foi um fraco sistema tropical monitorado pelo CMRE de Nadi.[23]

Depressão tropical 11F[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 11F
Depressão tropical (DT)  (CMRE Fiji)
Cyclone Temporaire.png
Duração  ?? de 2007—?? de 2007
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 10 min, ? hPa (mbar)

A depressão tropical 11F foi um fraco sistema tropical monitorado pelo CMRE de Nadi.[23]

Depressão tropical 12F[editar | editar código-fonte]

Depressão tropical 12F
Depressão tropical (DT)  (CMRE Fiji)
Cyclone Temporaire.png
Duração 19 de Março de 200723 de Março de 2007
Intensidade 25 nós (46 km/h, 29 mph) 10 min, ? hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se a noroeste de Fiji em 19 de Março e seguiu para sudoeste nos três dias seguintes com poucas mudanças na sua organização. Em 21 de Março, o sistema começou a se organizar e o CMRE de Nadi classificou o sistema como uma depressão tropical mais tarde naquele dia,[24] notando que a possibilidade do sistema se tornar um ciclone tropical significativo era baixo a moderado devido ao crescente cisalhamento do vento ao sul. O JTWC emitiu um AFCT sobre o agora quase-estacionário sistema no dia seguinte. O CMRE de Nadi elevou o potencial de formação de um ciclone tropical significativo para alto e começou a emitir avisos regulares sobre o sistema mais tarde naquele dia.

No entanto a depressão logo ficou desorganizada devido ao aumento no cisalhamento do vento e o CMRE de Nadi emitiu seu aviso final sobre o sistema no começo da madrugada (UTC) de 23 de Março.[23] [25]

Ciclone tropical Becky[editar | editar código-fonte]

Ciclone tropical Becky
Ciclone tropical 21P
Ciclone tropical (CT)  (CMRE Fiji)
Categoria 1  (EFSS)
{{{image}}} Becky 2007 track.png
Duração 26 de Março de 200729 de Março de 2007
Intensidade 70 nós (130 km/h, 81 mph) 1 min
60 nós (111 km/h, 69 mph) 10 min, 975 hPa (mbar)

Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se a noroeste de Vanuatu em 24 de Março. O CACT de Brisbane, Austrália, começo a monitorar o sistema como uma área de baixa pressão tropical no começo da madrugada de 25 de Março, antes do sistema sair de sua área de responsabilidade para adentrar na área de responsabilidade do CMRE de Nadi mais tarde naquele dia. O CMRE de Nadi classificou o sistema como uma depressão tropical e notou que o sistema tinha chances moderadas de se tornar um sistema tropical significativo.[26] Os avisos regulares sobre o sistema iniciaram em 26 de Março assim que o sistema aumentou em organização. O JTWC classificou o sistema como um ciclone tropical e atribuiu-lhe a designação 21P mais tarde naquele dia. O CMRE de Nadi fez o mesmo logo depois, classificando o sistema para um ciclone tropical e atribuindo-lhe o nome Becky.[27]

Inicialmente Becky fortaleceu-se rapidamente enquanto seguia para sul-sudeste, alcançando seu pico de intensidade com ventos máximos sustentados equivalentes a um furacão de categoria 1 na escala de furacões de Saffir-Simpson em 27 de Março.[28] O CMRE de Nadi chegou a emitir um aviso de tempestade para Vanuatu. No entanto, as condições meteorológicas começaram a deteriorar, inibindo o fortalecimento adicional do sistema. O ciclone começou a se enfraquecer mais tarde naquele dia assim que passava a leste de Vanuatu. A tendência de enfraquecimento continuou e o CMRE de Nadi emitiu seu aviso final sobre o sistema no começo da madrugada (UTC) de 29 de Março.[23] [29]

Ciclone tropical Cliff[editar | editar código-fonte]

Ciclone tropical Cliff
Ciclone tropical 23P
Ciclone tropical (CT)  (CMRE Fiji)
Tempestade tropical  (EFSS)
{{{image}}} Cliff 2007 track.png
Duração 3 de Abril de 20076 de Abril de 2007
Intensidade 55 nós (102 km/h, 63 mph) 1 min
50 nós (93 km/h, 58 mph) 10 min, 980 hPa (mbar)

O CMRE de Nadi notou a formação de uma depressão tropical logo a oeste da Linha Internacional de Data em 3 de Abril.[30] Naquele momento, o sistema estava localizado num ambiente com forte cisalhamento do vento. Apesar disto, o sistema conseguiu se organizar e a se intensificar assim que seguia para sudeste e o CMRE de Nadi classificou o sistema para um ciclone tropical em 4 de Abril, atribuindo-lhe o nome Cliff.[30] Praticamente ao mesmo tempo, o JTWC também classificou o sistema para um ciclone tropical e atribuiu-lhe a designação 23P, assim que áreas de convecção profunda começou a rodear o sistema. Continuando a seguir para sudeste, Cliff atingiu o seu pico de intensidade em 5 de Abril[31] antes de começar a se enfraquecer assim que saía da área de responsabilidade do CMRE de Nadi para adentrar na área de responsabilidade do CACT de Wellington, Nova Zelândia.[32] Ainda naquela noite (UTC), Cliff começo a sofrer transição extratropical. O JTWC emitiu seu aviso final sobre o sistema no dia seguinte e mais tarde, o CACT de Wellington fez o mesmo.[23]

Cronologia[editar | editar código-fonte]

O gráfico abaixo mostra de forma clara a duração e a intensidade de cada ciclone tropical:

Energia ciclônica acumulada[editar | editar código-fonte]

ECA (104kt²) — Tempestade:
1 10,647 Xavier 5 1,839 Cliff
2 3,734 Becky 6 1,363 Zita
3 3,103 Yani 7 0,735 05F
4 2,807 Arthur 8 0,123 09F
Total: 23,494[33]

A tabela a direita mostra a Energia ciclônica acumulada (ECA) para cada ciclone tropical formado durante a temporada. A ECA é, de forma abrangente, uma energia medida da tempestade multiplicada pelo tempo em que a mesma existiu. Quanto mais tempo dura e quanto mais forte a tempestade, a mesma terá uma ECA maior. A ECA somente é calculada para aqueles sistemas que alcancem força de tempestade tropical, ou seja, sistemas cujos ventos alcancem 63 km/h ou mais.

Nomes das tempestades[editar | editar código-fonte]

Áreas de baixa pressão de escala sinótica que se formam sobre águas quentes são nomeados a qualquer momento, desde que análises via Técnica Dvorak indicassem ventos fortes perto do centro do sistema. Diferente do padrão atlântico, um sistema tropical não nomeado poderá ter ventos fortes em um ou mais quadrantes, mas nunca perto do centro.[1]

Ciclones tropicais que se formam entre os meridianos entre 160°L e 120°W são monitorados pelo Serviço Meteorológico de Fiji (SMF). Nunca foi observado a formação de um ciclone tropical a leste do meridiano 120°O e a costa oeste da América do Sul.[34] Se futuramente um ciclone tropical se formar nesta região, é incerto como ele será monitorado.

Os nomes são dados em listas seqüenciais. Estão sendo mostrados abaixo apenas os quatro nomes usados na temporada de 2006-07.[35]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia

Referências

  1. a b c http://www.wmo.ch/pages/prog/www/tcp/documents/TCP-24-OP-PLN-2006-edition-english.pdf
  2. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2006102200.WTPS01
  3. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2006102406.WTPS11
  4. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2006102600.WTPS11
  5. a b http://australiasevereweather.com/cyclones/2007/summ0610.htm
  6. a b c http://australiasevereweather.com/cyclones/2007/summ0611.htm
  7. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2006112121.WTPS11
  8. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2006112200.WTPS01
  9. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2006112300.WTPS11
  10. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2006112412.WTPS11
  11. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2006113006.WTPS11
  12. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2006120121.WTPS11
  13. a b c http://australiasevereweather.com/cyclones/2007/summ0701.htm
  14. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007012221.WTPS01
  15. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007012412.WTPS02
  16. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007012218.WTPS11
  17. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007012412.WTPS01
  18. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007012500.WTPS11
  19. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007012701.WTPS01
  20. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007020300.WTPS11
  21. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007020500.WTPS11
  22. http://australiasevereweather.com/cyclones/2007/summ0702.htm
  23. a b c d e http://australiasevereweather.com/cyclones/2007/summ0703.htm
  24. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007032212.WTPS11
  25. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007032300.WTPS11
  26. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007032606.WTPS11
  27. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007032618.WTPS01
  28. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007032718.WTPS01
  29. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007032900.WTPS11
  30. a b ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007040403.WTPS01
  31. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007040521.WTPS11
  32. ftp://ftp.met.fsu.edu/pub/weather/tropical/Fiji/2007040606.WTPS01
  33. http://www.ncdc.noaa.gov/oa/climate/research/2007/2007-so-pacific-trop-cyclones.html
  34. https://metocph.nmci.navy.mil/jtwc/best_tracks/shindex.html
  35. http://www.wmo.int/pages/prog/www/tcp/documents/FactShtTCNames1July05.pdf

Ligações externas[editar | editar código-fonte]



Ciclones tropicais da Temporada de ciclones no Pacífico sul de 2006-07
Escala de Furacões de Saffir-Simpson
DT TS TT 1 2 3 4 5



# JTWC