Teoria das cordas do Tipo II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Teoria das cordas
Calabi-Yau.png
Teoria das supercordas
Conceitos
Cordas · Branes
Variedade de Calabi-Yau
Álgebra de Kac-Moody
D-brane
E8 Grupo de Lie

Em física teórica, a teoria das cordas do tipo II é um termo unificado que inclui cordas do tipo IIA e cordas tipo IIB[1] . Estas representam duas das cinco teorias das supercordas consistentes em 10 dimensões[2] . Ambas as teorias têm a quantidade máxima de supersimetria - ou seja, 32 supercargas - em 10 dimensões. Ambas as teorias são baseadas em orientadas cordas fechada.[3] [4] . Na folha de universo, elas diferem apenas na escolha de projecção GSO[5] [6] [7]

5 tipos[editar | editar código-fonte]

Em termos da teoria de perturbação de acoplamento fraco parece haver apenas cinco consistentes teorias das supercordas conhecidas como: Tipo I SO(32) [nota 1] [8] , Tipo IIA, Tipo IIB[nota 2] , Tipo Heterótica SO(32) e Heterótica E8×E8 [nota 3] [9] .

 

Supercorda

Tipo

Dimensões do

espaço-tempo

Detalhes - Supersimetria entre as forças e matéria

I

10

Ambas com cordas abertas e fechadas. Inexistência de taquiões. O grupo de simetria é SO(32).

IIA

10

Apenas cordas fechadas vinculadas às D-branas. Inexistência de taquiões. Fermiões sem massa não são quirais.

IIB

10

Apenas cordas fechadas vinculadas a D-branas. Inexistência de taquiões. Fermiões sem massa quirais.

HO

10

Apenas com cordas fechadas.Sem taquiões. Heterotico, i.e, os movimentos direitos e esquerdo da corda divergem. O grupo simétrico é SO(32).

HE

10

Somente com cordas fechadas. Sem taquiões. Heterotico. Grupo de simetria E8xE8.

Notas

  1. Teoria das cordas Tipo I com a acoplamento de corda constante g é equivalente a corda heterótica SO(32) com o acoplamento 1/g. Esta equivalência é conhecido como S-dualidade (dualidade forte-fraca)
  2. A teoria das cordas Tipo II é um termo unificado que inclui tanto cordas tipo IIA e cordas tipo IIB. Em baixas energias, a teoria das cordas do tipo IIA é descrita por supergravidade do tipo IIA em dez dimensões, que é uma teoria não-quiral (ou seja simétrica esquerda-direita) com (1,1) d = 10 supersimetria; o fato de que as anomalias nesta teoria se cancelam é, por conseguinte, trivial.
  3. Na Teoria das cordas heterótica tem 2 tipos de cordas: Tipo Heterótica SO(32) e o tipo Heterótica E8×E8, abreviadas como HO e HE

Referências

  1. "type II string theory" publicado no The nLab[1]]
  2. Type II Actions from 11-Dimensional Chern-Simons Theories por Dmitriy M. Belov, Gregory W. Moore [[2]]
  3. Schwarz, John (2000). "Introduction to Superstring Theory".
  4. "NOVA homepage - String"
  5. Polchinski, Joseph (1998). String Theory, Cambridge University Press. A modern textbook.
  6. Vol. 2: Superstring theory and beyond. ISBN 0-521-63304-4
  7. H Myazawa, Progress in Theoretical Physics, 1966,
  8. Frenkel, Edward (2009). "Gauge theory and Langlands duality". Seminaire Bourbaki, p.2
  9. John M. Pierre (Sep. 1998). Supersymmetric Strings Society for Science & the Public. Visitado em Sep. 2014.
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) físico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.