Tratados Desiguais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tratados Desiguais
Chinês
Tradicional: 不平等條約
Simplificado: 不平等条约
Pinyin: Bù-píngděng Tiáoyuē
Japonês
Kanji 不平等条約
Kana: ふびょうどうじょうやく
Coreano
Hangul: 불평등 조약
Hanja: 不平等條約
China - o bolo dos Reis e Imperadores charge mostrando a Grã-Bretanha, Alemanha, Rússia, França e Japão dividindo a China.

Os chamados Tratados Desiguais ou Tratados Iníquos foram uma série de tratados firmados entre a China durante a Dinastia Qing e o Japão Tokugawa com as potências industrializadas ocidentais entre meados do século XIX e o início do século XX após sofrer derrotas militares pelas potências estrangeiras ou na presença de uma ameaça de ação militar por essas potências. O termo também é aplicado aos tratados impostos durante a mesma época a Dinastia Joseon da Coreia e pelo Império do Japão pós-Restauração Meiji.

Iniciando com a ascensão do nacionalismo e do anti-imperialismo na década de 1920, o Kuomintang e o Partido Comunista Chinês usou esses conceitos para caracterizar a experiência chinesa em perdas de soberania entre 1839 e 1949. O termo "tratado desigual" tornou-se associado com o conceito chinês "século de humilhação", especialmente pela perda aos Tratados dos Portos, extraterritorialidade e autonomia tarifária.

Esse foi um período no qual os estados asiáticos não eram capazes de resistir às pressões econômicas e militares das principais potências ocidentais à época.

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Fontes primárias[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.