USS Enterprise (NCC-1701-D)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
USS Enterprise
A USS Enterprise-D
A USS Enterprise-D
Afiliação: Federação Unida dos Planetas
Frota Estelar
Primeira Aparição: "Encounter at Farpoint"
Última Aparição: "These Are the Voyages..."
Classe: Galaxy
Registro: NCC-1701-D
Lançamento: 2363
Status: Destruída (2371)
Propulsão: Motores de Impulso
Motores de Dobra
Armamento: Torpedos Fotônicos
Fasers
Defesa: Escudos Defletores
Portal Ficção Científica

A USS Enterprise (NCC-1701-D) (ou simplesmente Enterprise-D, para distinguir das demais naves estelares com mesmo nome) é uma nave estelar do século 24 no universo fictício de Star Trek e cenário central das tramas mostradas na série Star Trek: The Next Generation. A Enterprise-D é uma nave classe "Galaxy" e a quinta nave incorporada desde a fundação da Federação dos Planetas Unidos a ostentar o nome Enterprise[1] .

História[editar | editar código-fonte]

Foi construída nos Estaleiros de Utopia Planitia (Utopia Planitia Fleet Yards, em inglês), em órbita de Marte e comissionada em 4 de Outubro de 2363, entrando em serviço. Serviu por oito anos como a nave capitânea da Frota Estelar até sua destruição em 2371 nos eventos mostrados no filme Star Trek Generations. Ao longo da série, esteve sob comando do Capitão Jean-Luc Picard, embora o Capitão-de-Fragata William Riker e o Capitão Edward Jellico a tenham comandado por breves períodos.

Foi a terceira nave classe "Galaxy a ser construída", após o protótipo USS Galaxy e a USS Yamato. Se tornou uma das mais importantes e conhecidas naves de todo o século 24 enquanto esteve sob o comando do Capitão Picard. A tripulação da nave fez primeiro contato com uma infinidade de espécies, incluindo os Borg, Q Continuum, e os Ferengi. os esforços diplomáticos do grupo tais como as circunstâncias atenuantes do apoio Romulano a facção Duras durante a Guerra Civil Klingon e frustrar um ataque Cardassiano próximo à Nebulosa McAllister C5, ajudando a aliviar as tensões entre outras raças e evitar revoltas dramáticas contra a segurança da Federação. A Enterprise-D foi o instrumento da derrota dos Borg durante sua tentativa de invadir a Federação em 2366.

Em 2371, como mostrado em Star Trek Generations, as irmãs Klingon Duras tornaram os escudos da Enterprise-D inúteis ao descobrirem a freqüência de modulação e alterarem sua armas para a mesma freqüência. Apesar da Enterprise-D destruir a nave das irmãs, danos ao sistema de refrigeração do reator de dobras obrigou aos tripulantes efetuarem uma separação do disco. O reator entrou em fusão momentos após a separação, resultando em uma grande explosão cujas ondas de impacto atingiram o disco, desestabilizando a propulsão e outros sistemas primários, fazendo-a entrar na atmosfera de Veridian III. Devido à gravidade do planeta, a seção disco caiu na superfície, sem esperanças de reparo.

Futuro Alternativo na Linha Temporal[editar | editar código-fonte]

No futuro alternativo apresentado no episódio "All Good Things...", a "Enterprise"-D é mostrada intacta em 2395. Comandada pelo Almirante William Riker, ela possuía uma série de aperfeiçoamentos que incluíam a adição de uma terceira nacele transdobra, novas armas, um rápido sistema de propulsão e um dispositivo de camuflagem.

Essa linha de tempo futura deriva de uma anormalidade temporal que Picard, com auxílio de Q, termina por destruir.

Num episódio da série Star Trek: Voyager aparece uma nave semelhante a "Enterprise"-D, a USS Challenger,comandada por Geordi La Forge, numa realidade alternada .

Notas do Projeto[editar | editar código-fonte]

Andrew Probert, que auxiliou na modernização da Enterprise original para Jornada nas Estrelas: O Filme, projetou a "Enterprise"-D. Originalmente ocupado com o projeto da ponte de comando, Probert tinha um desenho variante em sua parede que ele desenhou após o trabalho no filme. O editor David Gerrold viu esse desenho e chamou a atenção do criador Gene Roddenberry, que aprovou o desenho como ponto inicial para o design da "Enterprise"-D.

Classe Galaxy[editar | editar código-fonte]

Dados Técnicos[editar | editar código-fonte]

  • Lançamento: 2.363.
  • Comprimento: 642,5 m.
  • Largura: 467 m.
  • Altura: 137,5 m.
  • Limite de passageiros: 5000.
  • Phaser: vetor de phasers tipo X em ambas as seções da nave com uma capacidade de 5,1 MW de saída para cada phaser.
  • Torpedos photônicos: 2 saídas na estação de batalha e 1 auxiliar no casco primário.
  • Velocidade de cruzeiro: dobra 6.
  • Velocidade máx. cruz.: dobra 9.2.
  • Velocidade máxima: dobra 9,65 (por 12 horas).
  • Quando entra em modo de batalha o setor disco da Enterprise-D se separa da seção engenharia podendo a Enterprise se transformar em uma nave de combate com uma reduzida equipe enquanto a tripulação civil fica na seção disco, protegida

Cronologia do Projeto[2] [editar | editar código-fonte]

  • 2343 - Projeto para a classe Galaxy aprovado.
  • 2344 - Trabalho com programas simuladores iniciado.
  • 2345 - Estudos quanto a massa e volume dos sistemas internos.
  • 2348 - Testes com os materiais do casco.
  • 2347 - Projeto dos sistemas warp temporariamente congelados.
  • 2350 - Testes de módulos de habitação isolados.
  • 2351 - Motor Warp 65% completo. Camadas do casco ligadas.
  • 2352 - Motor Warp completado. Núcleo do Computador Principal 80% completo. Passagens internas e habitações 55% completo.
  • 2355 - Sensores 50% instalados. Módulos de habitação e estoque 100% completos.
  • 2356 - Cobertura da nave 95% completa. Motores warp testados a uma potência equivalente a Warp 8.
  • 2357 - Integridade do Casco 100% completa.
  • 2358 - Testes continuam com os sistemas de propulsão, agora com a potência máxima.
  • 2359 - Testes de vôo com tripulação no espaço de Marte. Análise de performance.
  • 2360-2363 - USS Enterprise alcança vôo em velocidade Warp até os limites do sistema solar.
  • 4 de outubro de 2363 - USS Enterprise é comissionada oficialmente em uma cerimônia nos estaleiros da frota Utopia Planitia.

Referências

  1. LEBOWITZ, Adam "Mojo"; BONCHUNE, Robert. STAR TREK Starship Spotter. New York: Pocket Books, 2001. 128 pp. ISBN 0-7434-3725-X.
  2. STERNBACH, Rick; OKUDA, Michael. STAR TREK the Next Generation Technical Manual: A Fascinating Look Inside the U.S.S. Enterprise NCC 1701-D!. New York: Pocket Books, 1991. 183 pp. ISBN 0-671-70427-3.

Referências externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Star Trek é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.