Zhoukoudian

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pix.gif Sítio do Homem de Pequim em Zhoukoudian *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Zhoukoudian Caves July2004.jpg
Cavernas de Zhoukoudian
País China
Critérios (iii), (iv)
Referência 449
Coordenadas 39° 41′ N 115° 55′ E
Histórico de inscrição
Inscrição 1987  (11ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Zhoukoudian é uma pequena aldeia situada a cerca de 50 quilómetros ao sudeste de Pequim. No monte Longgu, perto da aldeia, há uma caverna natural com cerca de 140 metros de comprimento. Sua largura varia entre 2,5 e 42 metros. É na gruta que se descobriram os vestígios do Homem de Pequim.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1921, o geólogo sueco, J. G. Andersson, e o paleontólogo austríaco, O. Zdansky, fizeram uma escavação experimental em Zhoukoudian e encontraram alguns fósseis animais e pedaços de quartzo branco com fios.

Crânio do Homem de Pequim

Nas escavações realizadas em 1921 e 1923, eles obtiveram dois fósseis de dentes de seres humanos, mas não os reconheceram imediatamente e só os confirmaram quando publicaram sua descoberta, em 1926. Em 1927, uma equipa composta de arqueólogos chineses e estrangeiros chegou a Zhoukoudian para uma escavação de grande envergadura. No mesmo ano, encontraram mais um dente de um ser humano bem preservado e nomearam o ser humano em Zhoukoudian como Sinanthropus Pekinensis. Depois, fizeram uma emenda na denominação com Homoerectus Pekinensis. Mas, o nome mais vulgar é o Homem de Pequim.

No dia 2 de dezembro de 1929, o arqueólogo chinês Pei Wenzhong descobriu na caverna um crânio humano completo. A notícia transmitiu-se ao exterior rapidamente e despertou a atenção dos eruditos. Pouco depois, ferramentas de pedra e de osso assim como vestígios de fogueira foram descobertos na mesma localidade, o que chamou a atenção de todo o mundo para as ruínas do Homem de Pequim.

Museu das Ruínas de Zhoukoudian

Em Novembro de 1936, após sucessivas escavaçõs de 11 dias, foram encontrados no mesmo terreno, três crânios humanos. Em 1937, a guerra de resistência à agressão japonesa eclodiu em todo o país e o trabalho de escavação ficou interrompido.

No final de 1941, os cinco crânios humanos assim como outras amostras perderam-se misteriosamente no processo de transladação e não há notícias até hoje. O Museu das Ruínas de Zhoukoudian reserva atualmente apenas um único crânio humano antigo. Este foi consertado com vários pedaços de ossos, que pertenciam a um mesmo indivíduo, mas escavados em diferentes períodos.

Depois da fundação da República Popular da China em 1949, realizaram-se várias escavações em Zhoukoudian. Elas obtiveram fósseis de ossos de face, membros e dentes, representando mais de 40 homens de Pequim, além de 100 mil peças de pedra acabadas ou semi-acabadas, peças de osso e peças de chifre, bem como fósseis de mais de 100 espécies de animais e os vestígios do uso de fogo.

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Zhoukoudian