Adrianópolis (Manaus)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Adrianópolis
  Bairro do Brasil  
Vista parcial do bairro.
Vista parcial do bairro.
Localização
Vista do bairro no mapa urbano de Manaus.
Vista do bairro no mapa urbano de Manaus.
Distrito Zona Centro-Sul
Município Manaus
Características geográficas
Área total 248,45
População total 10 459[1] hab.
Densidade 3.560[1] hab./km²
 • IDH 0,943 - muito elevado
Outras informações
Domicílios 3.224[1]
Limites Parque 10 de Novembro, Aleixo, São Francisco, Nossa Senhora das Graças e Praça 14 de Janeiro

Adrianópolis é um bairro do município brasileiro de Manaus, capital do estado do Amazonas.[2] Localiza-se na Zona Centro-Sul. Seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em 2000 era 0,943, semelhante ao da Noruega.[3] Seu antigo nome era Vila Municipal,[4] por suas origens relacionadas a pequenas vilas. De acordo com pesquisas relacionadas à qualidade de vida nos bairros da cidade, o bairro é apontado como um dos melhores da capital amazonense.[5]

De acordo com o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população era de 8 847 habitantes em 2010.[6] Em 2017 sua população foi estimada em 10 459 habitantes.[1]

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Adrianópolis" é um termo oriundo da língua grega: significa "cidade de Adriano", através da junção das palavras "Adriano" e pólis (cidade)[7].

Adrianópolis recebeu seu atual nome somente na década de 1920, originário do renomado médico Adriano Jorge, que possuía residência fixa na área desse bairro.

História[editar | editar código-fonte]

Surgiu a partir de vilas construídas por operários que trabalhavam no Centro da cidade. Possuía uma área extremamente verde e arborizada pelo conjunto de sítios e chácaras.

O bairro traz, em suas lembranças, a velha estação de bondes, onde hoje é a Praça Nossa Senhora de Nazaré; e o Instituto Batista Ida Nelson, onde antes funcionara uma estação de rádio americana.

Integram o bairro: os loteamentos Vila Municipal Operária e Vila Americana; os conjuntos Ica Maceió (parcialmente), Ica Paraíba, Abílio Nery, Chagas Aguiar, Celetramazon, Vila Municipal, Parque Adrianópolis e Jardim Espanha II; Não esquecendo dos muitos condomínios situados no bairro.

Presente[editar | editar código-fonte]

É possível voltar ao tempo das antigas chácaras, ao trafegar pela Rua Recife, sua principal avenida de acesso e observar às imensas castanheiras e árvores frutíferas que ainda existem no bairro. Porém, grande parte dessa área verde deu lugar ao maior shopping center da cidade da região norte do Brasil: o Manauara Shopping, inaugurado em 2009[8]. O bairro atualmente encontra-se em um tímido processo de verticalização, predominando edifícios de arquitetura simples, grande área construída horizontal devido a limitação de altura do gabarito municipal e apartamentos de pequenas áreas privativas, sendo bastante raro os tipos 1 ou 2 apartamentos por andar[9].

No bairro, existem, também, o clube de esporte Nacional, onde funciona sua sede; o Castelinho, casa de arquitetura peculiar; a Praça Chile e suas árvores centenárias, entre outras belezas que o bairro fornece.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Adrianópolis é servido pela empresa de ônibus Expresso Coroado.

Referências

  1. a b c d «Mapa da área urbana da cidade de Manaus» (PDF). Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SEDECTI). 2017. Consultado em 8 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada (PDF) em 1 de dezembro de 2020 
  2. Secretaria Especial para Articulação de Políticas Públicas[ligação inativa]. Prefeitura de Manaus. Página visitada em 02/11/08.
  3. «Na capital do AM, uma Noruega e um Vietnã» (PDF). recife.pe.gov.br. 23 de junho de 2006. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  4. «Adrianópolis, bairro de Manaus». Portalamazonia.com. 13 de novembro de 2008. Consultado em 31 de maio de 2019. Arquivado do " original em 12 de outubro de 2007 
  5. «Qual o melhor bairro para morar em Manaus». Consultado em 18 de março de 2016. Arquivado do original em 15 de novembro de 2016 
  6. «IBGE - Censo 2010: Indicadores de Bairros - Região Norte». Consultado em 19 de novembro de 2014. Cópia arquivada em 24 de setembro de 2015 
  7. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 354.
  8. «Manauara Shopping». Consultado em 9 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 26 de abril de 2013 
  9. «Manaus: uma cidade verticalizada ou a verticalizar?» (PDF). Consultado em 2 de janeiro de 2018. Cópia arquivada (PDF) em 3 de janeiro de 2018 

Ver também[editar | editar código-fonte]