Ponta Negra (Manaus)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ponta Negra
  Bairro do Brasil  
Vista panorâmica da orla do bairro.
Vista panorâmica da orla do bairro.
Localização da Ponta Negra em Manaus.
Localização da Ponta Negra em Manaus.
Distrito Zona Oeste
Município Manaus
Área
 - Total 6,78
População
 - Total 5,007
 - IDH 0,930 - muito elevado (em 2010)[1]
Rendimento médio mensal R$ 7.893,75
Limites Tarumã, Lírio do Vale e Santo Agostinho
Subprefeitura Oeste
Fonte: Não disponível

Ponta Negra é um bairro do município brasileiro de Manaus, capital do estado do Amazonas. Localizado na Zona Oeste da cidade, o bairro usufrui de um dos melhores IDHs da cidade de Manaus, possuindo um IDH de 0,930, com uma qualidade de vida semelhante a da Suíça e Austrália, por exemplo. De acordo com o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população era de 5 007 habitantes em 2010.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Onde hoje está localizado o bairro da Ponta Negra, mas se sabe que a região, por volta de 1650, era habitada por tribos indígenas. Conforme dados do historiador, escritor e artista plástico Moacir de Andrade, uma missão foi fundada por jesuítas na área do Tarumã, com a existência de índios Aruaque e Alófila, mas não se sabe ao certo se existe uma ligação com a Ponta Negra.

"Uma via em declive tendo duas pontas da enseada que são orladas de mato." Assim Mario Ypiranga Monteiro designou a praia da Ponta Negra que domina a paisagem do bairro. Não se sabe ao certo o ano do surgimento do que viria a ser o cartão postal da cidade. No entanto, sabe-se que no período áureo da borracha, a região servia como fornecedora de matéria-prima para as construções, tanto que se chamava Areal, justamente por ser ter muita areia no local. Da Ponta Negra, também saíam grandes quantidades de carvão e pedras. No local também havia uma grande propriedade onde era cultivado caju, que pelo grande porte das árvores ficou conhecida como Cajual.

Por muito tempo, a única forma de acesso à praia da Ponta Negra era através de barcos, dada seu isolamento dos outros bairros de Manaus. Somente no primeiro governo de Gilberto Mestrinho, de 1959 a 1963, é que foi aberta a via de acesso ao local, mas mesmo assim, chegar até a praia era uma aventura, pois a estrada era de barro e não oferecia segurança aos transeuntes e nem aos condutores de veículos. A praia foi se firmando como um ponto de reunião da sociedade amazonense, para onde as famílias se dirigiam nos fins de semana e feriados, principalmente nos meses mais quentes de agosto, setembro e outubro.

Só mais tarde a estrada recebe pavimentação, facilitando assim a chegada de mais infra- estrutura urbana ao bairro, com a aquisição de terrenos e construção de grandes propriedades particulares. O acesso ao local foi também melhorado com criação de linha regular de ônibus, funcionando apenas nos sábados, domingos e feriados. No entanto, o processo de modernização da Ponta Negra começa mesmo com a duplicação da estrada, no início da década de 1970, e a construção de conjuntos residenciais, como o Jardim Europa, que por muitos anos permaneceu como a área residencial mais distante do Centro da Cidade.

Militares ocupam parte do bairro[editar | editar código-fonte]

Ao longo da estrada da Ponta Negra se concentram diversas instalações militares, como o CMA (Comando Militar da Amazônia), a PE (Polícia do Exército), o Centro de Embarcações, a 12° Região Militar e outras. Mais próximo da orla do rio Negro estão localizados os grandes condomínios fechados, como o Jardim Europa e Jardim das Américas, áreas residenciais de alto padrão e as mais caras de Manaus. A expansão imobiliária se voltou para o bairro da Ponta Negra no final da década de 1980, como uma tendência natural, fazendo surgir inúmeros edifícios voltados para o rio, uma vez que o bairro detém privilegiada e exuberante paisagem natural.

No processo de modernização do espaço urbano do bairro, a intervenção paisagística da praia da Ponta Negra resultou num grande complexo arquitetônico, como o calçadão, teatro e restaurantes. Essa intervenção urbana mudou a paisagem e valorizou a área, já bastante rica pela sua beleza natural.

Dados do bairro[editar | editar código-fonte]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Ponta Negra é servido pela empresa de ônibus Viação São Pedro, Vega Transporte e Global Green Transporte Coletivo.

Referências

  1. http:/www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_udh/21425
  2. http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/imprensa/ppts/0000000488.xls IBGE - Censo 2010: Indicadores de Bairros - Região Norte

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre bairros é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.