Afro-equatorianos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Afro-equatorianos
População total

7,2% da população do Ecuador de acordo com o censo de 2010 (aprox. 1.042.800 pessoas)[1]

Regiões com população significativa
Esmeraldas 43,9% da população (aprox. 234.466) [1]
Guayas 9,7% da população (aprox. 353.611) [1]
Pichincha 4,5% da população (aprox. 115.930) [1]
Línguas
Espanhol
Religiões
Predominantemente catolicismo romano
Etnia
Africana
Grupos étnicos relacionados
Outros povos da diáspora africana

Os afro-equatorianos são um grupo étnico do Ecuador descendentes de africanos escravizados pelos espanhóis durante a sua conquista do Ecuador dos Incas. Eles formam 7,2% da população do país.[1]

A cultura afro-equatoriana é encontrada primariamente na região costeira do Noroeste do país; a maioria da população (70%) pode ser encontrada na província de Esmeraldas e no Valle del Chota na província de Imbabura. Eles também podem ser encontrados em Quito e Guaiaquil. Sua influência cultural mais conhecida fora do Ecuador é um tipo distinto de música marimba.

Afro-ecuatorianos famosos[editar | editar código-fonte]

  • Nelson Estupiñán Bass (1913-2002), nascido in Súa, Esmeraldas; autor; sua obra expressava sua grande preocupação com o povo afro-equatoriano e com a sociedade equatoriana; obras incluem El Ultimo Rio (1966), Cuando los Guayacanes florecían (1954), El crepusculo (1993), Timarán y Cuabú (1956), Las tres carabelas (1973), Toque de Queda (1978), El desempate (1980), Viaje alrededor de la poesía negra (1982), e Los canarios pintaron el aire amarillo (1993)[2]
  • Monica Chala, primeira afro-equatoriana a ganhar o concurso de beleza Miss Ecuador beauty, em 1996
  • Agustin Delgado, jogador de futebol de Juncal; assinou um contrato de $3.5 milhões com o time de Southampton, Inglaterra em 2001
  • Giovanny Espinoza, jogador de futebol
  • Jaime Hurtado, de Guaiaquil; conhecido por lutar pelos direitos da classe trabalhadora do Ecuador; fundador e líder do Movimiento Popular Democrático (MPD); assassinado no inverno de 1999[3]
  • Lady Mina, Miss Ecuador 2010; quarta mulher de ascendência africana a ser coroada Miss Ecuador (a primeira foi em 1996, a segunda em 1998 e a terceira, Denisse Rodriguez Quiñónez, em 2006)
  • Alex Quiñónez, corredor olímpico; finalista em 200-metros nas Olimpíadas de 2012
  • Alberto Spencer, artilheiro da Copa Libertadores
  • Antonio Valencia, jogador do Manchester United e da seleção equatoriana
  • Enner Valencia, jogador do West Ham United e da seleção equatoriana

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]