Lista de patriarcas de Alexandria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O bispo ou Patriarca de Alexandria é o mais alto cargo episcopal no Egito e existe separadamente tanto na Igreja Ortodoxa Copta quanto na Igreja Ortodoxa Grega. Os patriarcas conseguem traçar a sua sucessão até o apóstolo Marcos.

Porém, a sucessão é compartilhada por ambas as igrejas até 451, quando a Igreja Ortodoxa Copta de Alexandria e a Igreja Ortodoxa Grega de Alexandria iniciaram o cisma que culminaria na separação total a partir de 536, quando Teodósio I foi rechaçado pelos gregos.

Líderes da Igreja de Alexandria até o Concílio de Calcedônia, em 451[editar | editar código-fonte]

Os primeiros anos da Igreja de Alexandria foram marcados pela consolidação na cidade, marcada principalmente pela fundação da Escola Catequética de Alexandria, por onde passariam muitos dos maiores teólogos da antiguidade. No século III, a situação se complicaria com as diversas perseguições aos cristãos promovidas pelos imperadores romanos. Diversas discussões surgiram sobre como deveria ser o tratamento dos cristãos (clérigos e leigos) que cediam às pressões para preservar a vida, dando origem às crises de Novaciano e de Melécio de Licópolis.

Com a conversão de Constantino I, a controvérsia ariana tomou o papel central na vida dos patriarcas, com sucessivas deposições de acordo com o imperador reinante e as intrigas locais. A grande figura deste período foi Santo Atanásio, que lutou contra os arianos por mais de quarenta anos. A questão só seria resolvida definitivamente no segundo concílio ecumênico, em Constantinopla, em 381 Com isso,

Com o fim da crise, os patriarcas se dedicaram a consolidar o cristianismo na cidade e acabaram por destruir alguns dos maiores tesouros da cidade. Foi nesta época que se destruiu o Serapeu (que incluía uma parte da famosa Biblioteca de Alexandria) e o mitreu (mithraeum), e também que os cristãos passaram de perseguidos a perseguidores, com o linchamento de Hipátia e as gangues de monges que aterrorizavam a cidade, expulsando judeus, novacianos e origenistas.

Com a eleição de Dióscoro, iniciou-se a crise que acabaria cindindo a Igreja de Alexandria: a disputa entre o Miafisismo e o credo de Calcedônia (diofisita).

Santo Atanásio (328–373)
São Cirilo (412–444)
Número Nome Período Observações Ref.
Bispos de Alexandria
01 Marcos I Evangelista 43-68 Fundou a Igreja de Alexandria, cuja sucessão até os dias de hoje é alegada por diversas diferentes denominações (veja Patriarca de Alexandria), mas principalmente pela Igreja Ortodoxa Copta. Aspectos da liturgia copta podem referenciados ao próprio São Marcos. Ele então se tornou o primeiro bispo de Alexandria e tem a honra de ser também o fundador do Cristianismo na África. Tradições coptas posteriores dizem que ele foi martirizado em 68 [1][2]
02 Aniano 68-82 Ele foi ordenado como o sucessor de São Marcos e foi também o primeiro convertido para o Cristianismo na região [3]
03 Abílio 83-95 Ele ascendeu ao trono durante o reinado do imperador Domiciano. Nas "Constituições Apostólicas" (viii.4) está dito que ele (Avílio) foi o segundo bispo de Alexandria e que ele foi ordenado por São Lucas. [4][5]
04 Kedron 96-106 Ele foi uma das pessoas batizadas diretamente por Marcos em Alexandria e foi martirizado. [6]
05 Primo 106-118 Também foi batizado por São Marcos e tem ainda a distinção de ter sido um dos três presbíteros ordenados por ele. [7]
06 Justo 118-129 Primeiro reitor da Escola Catequética de Alexandria. [8]
07 Eumênio 131-141 Segundo reitor da Escola Catequética de Alexandria. [9]
08 Marciano 142-152 Gnosticismo cristão desenvolveu-se na região, especialmente com Basílides. [10]
09 Celádio 152-166 Reinado sem eventos de destaque. [11]
10 Santo Agripino 167-178 Asceta, não tinha posses. [12]
11 Juliano 178-189 Após sua ascensão ao Patriarcado, os pagãos da cidade não permitiram mais que os bispos saíssem da cidade de Alexandria, mas Juliano costumava sair em segrego para ordenar presbíteros por toda região. [13]
Arcebispos de Alexandria
12 São Demétrio 189-232 Amigo de Orígenes no início de sua vida, se tornou um grande adversário dele mais tarde. Convocou um concílio e acusou-o de praticar a auto-castração, exilou-o do Egito (província romana) e anulou sua ordenação. [14][15]
13 Santo Héraclas 232-248 Primeiro Patriarca de Alexandria a ser chamado de "Papa" [16]
14 São Dionísio 248-264 Apoiou o Papa Cornélio durante o cisma novaciano, a respeito do tratamento a ser dado aos cristãos que conseguiram escapar da perseguição promovida pelo imperador Décio. Escreveu uma famosa resposta para Novaciano quando ele o escreveu pedindo apoio. Desfeito o cisma, novamente se envolveu em controvérsia, desta vez sobre a necessidade de rebatizar os cristãos que tinham sido batizados por heréticos. [17]
15 Máximo 265-282 Participou ativamente do Concílio de Antioquia (264-69) que expulsou Paulo de Samósata do Egito. [18]
16 São Teonas 282-300 Mártir. [19]
17 São Pedro I de Alexandria 300-311 Mártir na Perseguição de Diocleciano. Convocou o Concílio de Alexandria (306) para depor Melécio de Licópolis, protagonista de um cisma à volta de divergências no tratamento a ser dado para os lapsi durante a perseguição. Enquanto Pedro era favorável a recebê-los novamente, Melécio era inflexível e acabou deposto por Pedro. [20][21]
18 Aquila 312-313 Foi reitor da Escola Catequética de Alexandria e era tido em grande estima por suas obras sobre a filosofia grega e a teologia. [22]
19 Alexandre I 313-326 Convocou o Concílio de Alexandria (321) para condenar as doutrinas de Ário, dando início ao que seria mais de meio século da controvérsia ariana. Durante o seu reinado ocorreu também o Primeiro Concílio de Niceia (325), que acabou por resolver algumas das questões polêmicas que tomavam a atenção de Alexandre. O concílio permitiu-lhe decidir a data da Páscoa, questionada pelos quartodecimanos, seguidores da antiga tradição judaica. Além disso, o concílio readmitiu Melécio de Licópolis, resolvendo o cisma que durava já desde Pedro I. Por fim, foram confirmados os anátemas contra Ário. [23]
20 Santo Atanásio 328-373 Doutor da Igreja e Grande Hierarca. Foi um ardoroso combatente do arianismo, convocando e presidindo diversos concílios em Alexandria para tratar do assunto (350, 362, 363 e 370). Por conta desta controvérsia, foi deposto e retornou diversas vezes. Escreveu diversas obras sobre teologia e, principalmente, polêmicas contra as heresias de seu tempo.
Foi contestado por:
- Gregório da Capadócia (339-346) Deposto.
- Jorge I de Alexandria (357-361). Ariano.
- Lúcio de Alexandria (361-361). Ariano.
[24][25][26]
21 Pedro II 373-380 Deposto pelo prefeito da cidade, foi reinstalado na posição com a ajuda do Papa Dâmaso I. Foi contestado por:
- Lúcio de Alexandria (373-378). Ariano.
[27]
22 Timóteo I 380-385 Combateu o arianismo e participou do Segundo Concílio Ecumênico, em Constantinopla. [28]
Patriarcas / Papas de Alexandria
23 Teófilo I 385-412 Combateu fervorosamente os cultos pagãos de Alexandria. É responsável pela destruição do Serapeu e do mitreu da cidade. Combateu também o origenismo na controvérsia dos "Grandes Irmãos" no Concílio de Alexandria (400). Presidiu o Concílio do Carvalho, que derrubou João Crisóstomo. [29][30]
24 São Cirilo 412-444 Doutor da Igreja. Cristão fervoroso, lutou contra diversas comunidades religiosas de Alexandria. Tomou todos os templos novacianos da cidade e foi o responsável pela expulsão da comunidade judaica. Seu grupo de seguidores, formado principalmente por monges, atacou o prefeito de Alexandria (Orestes) e o feriu, e também capturou e linchou a filósofa Hipátia. Em 431, Cirilo presidiu o Primeiro Concílio de Éfeso, que condenou Nestório, iniciando a controvérsia nestoriana. [31][32][33][34][35]
25* Dióscoro I 444-451 Miafisita. Presidiu o polêmico Segundo Concílio de Éfeso, que reabilitou a doutrina monofisista de Eutiques, de quem era amigo. Ele foi condenado e deposto no Concílio de Calcedônia, decisão que provocou novo cisma na Igreja, separando a Igreja Ortodoxa Copta - que ainda hoje o considera santo - das demais igrejas calcedônias. [36][37][38]

Período intermediário (até 567)[editar | editar código-fonte]

Cruz Ortodoxa Copta
Ilustração do monofisismo, ensinamento de Eutiques

Neste período, ainda que conturbado pelas consequências do cisma calcedônio, ainda houve diversos patriarcas que foram reconhecidos pelos dois ramos que derivaram do cisma: a Igreja Ortodoxa Grega de Alexandria, calcedônia, e a Igreja Ortodoxa Copta, miafisita, ainda que em períodos diferentes em cada uma. Após Teodósio, as listas sucessórias se separaram por completo, algo que perdura até os dias de hoje. Todos os patriarcas indicados abaixo são miafisitas, com o pretendente calcedônio indicado no texto quando houver.

Número Nome Período Observações Ref.
Patriarcas / Papas de Alexandria
25* Dióscoro I 451-454 Presidiu o polêmico Segundo Concílio de Éfeso, que reabilitou a doutrina monofisista de Eutiques, de quem era amigo. Ele foi condenado e deposto no Concílio de Calcedônia, decisão que provocou novo cisma na Igreja, separando a Igreja Ortodoxa Copta - que ainda hoje o considera santo - das demais igrejas calcedônias. Entre 451 e 457, ele teve como adversário Protério de Alexandria, que hoje é reconhecido como patriarca apenas pelos gregos ortodoxos. [36][37][38]
26 Timóteo II Eluro 454–477
457-460
Dito Eluro ("Fuinha"). Disputou o cargo com o calcedônio Protério até que este foi assassinado por incitação sua. Exilado novamente em 460, disputou novamente o cargo com outro calcedônio, Timóteo Salofaciol. Retornou finalmente a Alexandria em 475 e reinou ali até morrer. [39][40]
27 Pedro III Mongo 477–490
482-490
Dito Mongo ("Gago"). Quase que imediatamente após ter sido eleito, foi expulso e disputou o cargo com Timóteo Salofaciol, que já tinha sido patriarca antes no período de Timóteo Eluro. Quando Salofaciol morreu, seu sucessor, João Talaia foi empossado pelo imperador e logo expulso por não aceitar a reconciliação com os ortodoxos orientais por meio do Henótico. O imperador acabou finalmente por aceitar Mongo como legítimo Patriarca. [40][41][42]
28 Atanásio II 490–496 Com a morte de Mongo em 490, um período de calmaria se seguiu com a eleição seguida de diversos patriarcas monofisitas. [43][44]
29 João I (II) 496–505 Chamado de "João II" pela Igreja Ortodoxa Grega, que reconhece João Talaia como "João I". Foi o primeiro Patriarca escolhido entre os monges do deserto da Nítria. [45][46]
30 João II (III) 505–516 Como no caso do seu antecessor, é reconhecido por nomes diferentes nas duas subdivisões da Igreja de Alexandria por conta do reconhecimento de João Talaia como "João I" pela Igreja Ortodoxa Grega. Também como seu antecessor, foi monge. [47][48]
31 Dióscoro II 516–517 Miafisita. Reinou por apenas um ano, período no qual manteve constante contato com Severo de Antioquia, o campeão do miafisismo em Antioquia. [49][50]
32 Timóteo III (IV) 517–535 Conhecido como Timóteo IV pela Igreja Ortodoxa Grega, que reconhece Timóteo Salofaciol como "Timóteo III". [51][52]
33 Teodósio I 535–536
535-567
Foi o último patriarca a ser reconhecido por os gregos e coptas em Alexandria. Exilado logo depois de eleito por conta de uma intriga com o imperador Justiniano I, tentou voltar por diversas vezes com o apoio da imperatriz Teodora, sem sucesso. Disputou o cargo com Gainas por um ano e, com Paulo I, indicado pelo imperador após mais uma fracassada tentativa de atrair Teodósio para a fé calcedônia. Viveu 28 anos exilado no Alto Egito, sendo reconhecido pelos coptas até a sua morte. O cisma resultante permanece até os dias de hoje. [53][54]

Quando Teodósio foi deposto e partiu para o exílio, ele continuou líder grupo miafisita da Igreja no Egito, que o considera um santo e confessor. Já o indicado calcedônio, Paulo I, era um homem violento e passou a perseguir violentamente os miafisitas em Alexandria, fechando igrejas e expulsando os fieis, o que só exacerbou as diferenças entre as igrejas e eliminou a possibilidade de reconciliação.[55]

Como Teodósio viveu ainda muitos anos exilado, as duas linhas sucessórias se separaram completamente a partir daí. Para a sucessão posterior em ambas, veja:

Veja também[editar | editar código-fonte]


A Pentarquia
Bispo de Roma
(Lista dos papas)
Patriarca da Igreja de Alexandria
(Lista de patriarcas)
Patriarca da Igreja de Antioquia
(Lista de patriarcas)
Patriarca da Igreja de Jerusalém
(Lista de patriarcas)
Patriarca da Igreja de Constantinopla
(Lista de patriarcas)


Referências

  1. Bunson, Matthew; Bunson, Margaret e Bunson, Stephen, ed. (1998). Our Sunday Visitor's Encyclopedia of Saints (em inglês). Huntington, In: Our Sunday Visitor Publishing Division. p. 401. ISBN 0-87973-588-0 
  2. Wikisource-logo.svg "Saint Mark" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  3. Atiya, Aziz S (1991). The Coptic Encyclopedia (em inglês). New York: Macmillan Publishing Company. ISBN 0-02-897025-X 
  4. «4». Constituições Apostólicas. Enumeration Ordained by Apostles (em inglês). VIII. [S.l.: s.n.] 
  5. «14». História Eclesiástica. Abilius, the Second Bishop of Alexandria. (em inglês). III. [S.l.: s.n.] 
  6. «Krdhunos» (em árabe). Coptic history. Consultado em 16 de fevereiro de 2011 
  7. «Commemorations for Mesra 3» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 16 de fevereiro de 2011 
  8. «Saint Mark and the Church of Alexandria» (em inglês). Diocese Copta de Los Angeles. Consultado em 16 de fevereiro de 2011 
  9. «Commemorations for Baba 9» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 16 de fevereiro de 2011 
  10. Castagno, A. Monaci. (2004). Dicionário Patrístico e de Antigüidades Cristãs. Basílides. Petrópolis: Vozes 
  11. «Commemorations for Abib 9» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 16 de fevereiro de 2011 
  12. «Commemorations for Amshir 5» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 16 de fevereiro de 2011 
  13. «Commemorations for Baramhat 8» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 16 de fevereiro de 2011 
  14. Wikisource-logo.svg "St. Demetrius of Alexandria" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  15. «118». Bibliotheca ou Myriobiblion. Pamphilus & Eusebius, Defense of Origen (em inglês). [S.l.: s.n.] 
  16. «7.4». História Eclesiástica. The Abominable Error of the Heretics; the Divine Vision of Dionysius; and the Ecclesiastical Canon which he received. (em inglês). VII. [S.l.: s.n.] . Versão em grego.
  17. Wikisource-logo.svg "Dionysius of Alexandria" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  18. «Máximo (265-282)». Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 13 de fevereiro de 2011 
  19. Wikisource-logo.svg "Theonas" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  20. Philip Schaff. History of the Christian Church. Ante-Nicene Christianity. A.D. 100-325 (em inglês). II. [S.l.: s.n.]  oferece várias fontes distintas a respeito do assunto.
  21. Wikisource-logo.svg "Meletius of Lycopolis" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  22. «32.32». História Eclesiástica. The Distinguished Ecclesiastics of our Day, and which of them survived until the Destruction of the Churches. (em inglês). VII. [S.l.: s.n.] 
  23. Wikisource-logo.svg "The First Council of Nicaea" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  24. Wikisource-logo.svg "St. Athanasius" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  25. Wikisource-logo.svg "Filioque" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  26. «Lista de obras de Atanásio» (em inglês). New Advent. Consultado em 18 de fevereiro de 2011 
  27. Severus de Al'Ashmunein (Hermopolis). «History of the Patriarchs of the Coptic church of Alexandria (1904) Part 2: Peter I - Benjamin I (661 AD). Patrologia Orientalis 1» (em inglês). Tertullian.org. pp. pp. 383–518 (pp.119–256 do texto). Consultado em 2 de janeiro de 2011 
  28. «Timotheos I, the Destitute (381–385)» (em inglês). Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 13 de fevereiro de 2011 
  29. «16». História Eclesiástica. Demolition of the Idolatrous Temples at Alexandria, and the Consequent Conflict between the Pagans and Christians. (em inglês). V. [S.l.: s.n.] 
  30. Wikisource-logo.svg "Theophilus" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  31. «Cyril of Alexandria (c. 375 - 444) - Early Church.org.uk» (em inglês). Early Church.org.uk. Consultado em 24 de agosto de 2009 
  32. Sócrates de Constantinopla (1886). Socrates and Sozomenus Ecclesiastical Histories (em inglês). VII. Nova Iorque: Christian Classic Ethereal Library. p. 286  Capítulo XIII — Conflict between the Christians and Jews at Alexandria: and breach between the Bishop Cyril and the Prefect Orestes
  33. Sócrates de Constantinopla (1886). Socrates and Sozomenus Ecclesiastical Histories (em inglês). VII. Nova Iorque: Christian Classic Ethereal Library. pp. 292–––293  Capítulo XIV — The Monks of Nitria come down and raise a Sedition against the Prefect ofAlexandria
  34. Sócrates de Constantinopla (1886). Socrates and Sozomenus Ecclesiastical Histories (em inglês). VII. Nova Iorque: Christian Classic Ethereal Library. pp. 293–––294  Capítulo XV — Of Hypatia the Female Philosopher
  35. Wikisource-logo.svg "St. Cyril of Alexandria" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  36. a b Encyclopædia Britannica. Micropædia. 4. Chicago: Encyclopædia Britannica, Inc. 1998. p. 112. ISBN 0-85229-633-0 Verifique |isbn= (ajuda) 
  37. a b «Coptic interpretations of the Fourth Ecumenical Council» (PDF) (em inglês). The Holy Bible Web Site. Consultado em 18 de fevereiro de 2011 
  38. a b «Encyclopedia Coptica: The Christian Coptic Orthodox Church Of Egypt» (em inglês). Consultado em 18 de fevereiro de 2011 
  39. «Timotheos II, Ailuros (457–460)» (em inglês). Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 1 de março de 2011 
  40. a b «The Departure of St. Timothy II (Timotheos), 26th Pope of Alexandria.» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 1 de março de 2011 
  41. Wikisource-logo.svg "Peter Mongus" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês)., uma publicação agora em domínio público
  42. «Petros III, Mongos (482–490)» (em inglês). Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 1 de março de 2011 
  43. «Athanasius II, Kelitis (490-496)» (em inglês). Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 1 de março de 2011 
  44. «The Departure of pope Athanasius the Second, the Twenty-Eighth Patriarch of the See of St. Mark.» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 1 de março de 2011 
  45. «John II, the Monk (496–505)» (em inglês). Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 1 de março de 2011 
  46. Atiya, Aziz S. (1991). The Coptic Encyclopedia (em inglês). New York: Macmillan Publishing Company. ISBN 0-02-897025-X 
  47. «John III of Nicaea (505–516)» (em inglês). Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 1 de março de 2011 
  48. «البابا يوأنس الثاني (Papa João II)» (em árabe). Site oficial da Igreja de São Takla Haymanot. Consultado em 1 de março de 2011 
  49. «Dioscorus II the Younger (516–517)» (em inglês). Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 1 de março de 2011 
  50. «The Departure of St. Dioscorus II 31st Pope of Alexandria.» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 1 de março de 2011 
  51. «The Departure of St. Timothy III, 32nd Pope of Alexandria.» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 1 de março de 2011 
  52. «Timotheos IV (517–535)» (em inglês). Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 1 de março de 2011 
  53. «The Departure of St. Theodosius, 33rd Pope of Alexandria.» (em inglês). Coptic Church. Consultado em 1 de março de 2011 
  54. «Theodosius I (536)» (em inglês). Site oficial do Patriarcado Ortodoxo Grego de Alexandria e toda a África. Consultado em 2 de março de 2011 
  55. Maspero, Jean (1923). Bibliothèque de l'École des Hautes Études, Sciences historiques et philologiques. Histoire des patriarches d'Alexandrie depuis la mort de l'empereur Anastase jusqu'à la réconciliation des Églises jacobites (518-616) (em francês). Paris: É. Champion 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]