Castração

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Castração é um ato de mutilação sexual em que incapacita-se o indivíduo de reproduzir-se sexualmente, e suprime seu porte de hormônios sexuais (testosterona, no macho, e estrogênio, na fêmea).

O ato consiste na extirpação das gônadas (gonadectomia): testículos na castração masculina (orquiectomia); ovários na castração feminina (ooforectomia). A castração masculina também pode ser parte do ato maior de emasculação, ou pode ser química.

Humana[editar | editar código-fonte]

É utilizada em casos de doenças : câncer de testículo ou câncer de ovário. No câncer de mama e no câncer de próstata como supressão hormonal. E é pena em alguns países para os que praticam crimes relacionados com a sexualidade.

Na antiguidade era prática em alguns povos a castração dos servos senhoriais e em haréns, chamados eunucos, para assegurar a origem da prole. Na Idade Média, era praticada excepcionalmente a castração de meninos cantores para a manutenção da voz infantil: "i castrati".

Animal[editar | editar código-fonte]

No caso de animais domésticos, para evitar sua reprodução e amansar seu comportamento. Atualmente, a castração é considerada o melhor método para evitar a proliferação de animais de rua, como cães e gatos. O animal doméstico castrado não apresenta comportamentos reprodutivos tais como fugir de casa, miados altos durante o cio, brigas, demarcação de território com urina, etc. É uma garantia de segurança para o animal, que embora continue adequado inclusive para guarda de residências, torna-se mais equilibrado e emocionalmente estável.

Utiliza-se a castração em pecuária para descartar os exemplares que não serão mantidos como reprodutores e serão descartados como animais para a engorda e posterior abate para o consumo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre sexo ou sexualidade é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.