Babaçulândia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Babaçulândia
"Coco"
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 23/06
Fundação 23 de junho de 1953
Gentílico babaçulandense
Lema Unidos por Babaçulândia
Prefeito(a) Aleno Dias Guimaraes (PMDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Babaçulândia
Localização de Babaçulândia no Tocantins
Babaçulândia está localizado em: Brasil
Babaçulândia
Localização de Babaçulândia no Brasil
07° 12' 18" S 47° 45' 25" O07° 12' 18" S 47° 45' 25" O
Unidade federativa  Tocantins
Mesorregião Ocidental do Tocantins IBGE/2008 [1]
Microrregião Araguaína IBGE/2008 [1]
Distância até a capital 420 km
Características geográficas
Área 1 788,442 km² [2]
População 10 446 hab. (TO: 25º) –  IBGE/2010[3]
Densidade 5,84 hab./km²
Altitude 178 m
Clima Tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,610 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 68 678,141 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 6 435,36 IBGE/2008[5]
Página oficial

Babaçulândia é um município brasileiro do estado do Tocantins. Localiza-se a uma latitude 07º12'17" sul e a uma longitude 47º45'25" oeste, estando a uma altitude de 178 metros. Possui uma área de 1916,4 km², e sua população estimada em 2004 era de 10 888 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

A povoação de Babaçulândia surgiu em 1926, quando Henrique Figueiredo de Brito se instalou na margem esquerda do Rio Tocantins. O primeiro nome do povoado foi Nova Aurora do Coco, devido a quantidade de coco babaçu que havia na região, sendo a seguir chamada simplesmente de Coco.

O município foi instalado em 1 de janeiro de 1954, e foi desmembrado do município de Tocantinópolis.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Limita-se ao norte com os municípios de Darcinópolis e Wanderlândia, ao sul, com o município de Filadélfia, a leste com o estado do Maranhão, e a oeste, com Araguaína.

Seus acidentes geográficos mais importantes são a Ilha São José, e os rios Tocantins e Rio Corrente.

Economia[editar | editar código-fonte]

A primeira atividade econômica na região foi a extrativista, com a extração do coco babaçu e, em seguida, a agropecuária. Com a abertura da Rodovia Belém-Brasília, a cidade sofreu uma estagnação, pois o comércio voltou-se para a rodovia, e o impulso econômico e urbanístico voltou-se para os povoados que surgiam a beira da estrada, ficando as cidades ribeirinhas do Araguaia e Tocantins entregues ao esquecimento econômico.

Em 2007, segundo os institutos SEBRAE/SEPLAN-TO/DPI havia 100 empresas em Babaçulândia.

Turismo[editar | editar código-fonte]

As praias do Tocantins eram fonte de renda da população ribeirinha, até a construção da barragem de Estreito MA. Há outras atrações turísticas na cidade, como a Cachoeira do Jenipapo, a Serra da Matança onde se encontra um abrigo sob rocha utilizado pelos índios Krahô como refúgio no século XIX, entre outros pontos turísticos que são pouco frequentados.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do Tocantins é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.