Bankinter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bankinter
Razão social Bankinter, S.A.
Indústria Banco
Fundação Junho de 1965
Sede Madrid, Flag of Spain.svg Espanha
Área(s) servida(s) Espanha, Portugal
Presidente Pedro Guerrero
Pessoas-chave María Dolores Dancausa (CEO)
Empregados 4.185
Lucro Aumento EUR 275.9 milhões (2014)[1]
Faturamento Aumento EUR 1.448 bilhões (2014)[2]
Website oficial https://www.bankinter.com/

O Bankinter S.A. é uma entidade financeira espanhola, cotada na Bolsa de Madrid (Ibex35) desde 1972, e reconhecida no mercado espanhol como uma das entidades financeiras mais solventes e rentáveis.

É uma referência na área da inovação pelo seu elevado desenvolvimento tecnológico e pela qualidade de serviço que presta, acima da média do setor. O Bankinter foi pioneiro na introdução dos sistemas de banca à distância – por telefone, internet ou canal móvel – e aposta fortemente numa estratégia multicanal de aproximação ao cliente.

Foi também o banco espanhol que melhor superou a crise financeira que o país ultrapassou, estando na melhor posição para continuar a crescer. Registou resultados positivos e crescimentos significativos mesmo durante a crise financeira espanhola: no fecho do primeiro semestre de 2015 obteve resultados líquidos de 197,3 milhões de euros, 31,6% acima que no mesmo período de 2014.

O Bankinter é o banco espanhol com menor rácio de morosidade (-4.4%, o que significa três vezes menos que o resto da banca espanhola), resultado de uma gestão de risco prudente ao longo dos anos. Dos bancos cotados em bolsa é o mais solvente, com um rácio de capital CET 1 fully loaded de 11,5%, o que ficou patente nos testes de stress realizados pelo BCE no Outono de 2014.  É o mais rentável dos bancos a operar em Espanha, com um ROE (Return on Equity) de 10,6%. As principais agências de rating, como a Moody’s e a Standard & Poor’s, qualificam as notações de crédito do Bankinter como “investment grade”, ou seja, com baixo risco de incumprimento.

A aposta estratégica em negócios como a banca privada, empresas, seguros e financiamento ao consumo explica o seu crescimento orgânico nos últimos cinco anos.

Em 2015, Pedro Guerrero é o Presidente do Bankinter e María Dolores Dancausa a CEO.

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2015, Bankinter adquire o negócio de retalho do Barclays em Portugal por 86 milhões de euros. Em 2017 existem em Portugal 81 agências.[3]

Referências