Bigorna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2015).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Bigorna (desambiguação).

A bigorna é um utensílio feito de aço, ferro forjado ou outro metal semelhante[1], de corpo central quadrangular e, normalmente, com extremidades com forma de cônica ou piramidal[2][3], sobre o qual eram apoiados metais a serem malhados e moldados, a quente ou a frio[3].

Constituição[editar | editar código-fonte]

Bigorna tradicional americana, vendo-se a remoção de ferrugem pelo uso de areia

Em geral, a bigorna é composta por um bloco maciço (em geral, com dois furos na parte superior), uma ponta ou um chifre e um calcanhar[1].

O bolco maciço tem parte superior temperada[carece de fontes?], extremamente dura e resistente. Esta parte é geralmente plana, mas existem bigornas com topo curvo utilizadas em aplicações específicas[1]. A maioria das bigornas possui dois furos: um quadrado, para o encaixe de instrumentos de corte e moldagem, e outro redondo, utilizado para se fazer furos em chapas relativamente finas.[carece de fontes?]

O modelo tradicional americano (e também inglês) possui apenas uma ponta (corno, chifre) arredondada e ligeiramente curva para cima, tendo o outro lado reto.[carece de fontes?] O modelo europeu possui duas pontas, uma arredondada (cônica) e outra plana (piramidal).[carece de fontes?] O tronco normalmente é alto, com uma base que se alarga (geralmente em quatro extremidades) para dar estabilidade e facilitar a fixação, feita quase sempre num grande bloco ou tronco de madeira maciça.[carece de fontes?] Bigornas primitivas (medievais) e japonesas, por outro lado, possuem bem menos detalhes, assemelhando-se a grandes blocos com algumas superfícies curvas.[carece de fontes?]

Bigorna tradicional européia

Em tempos recentes, em que os trabalhos em bigorna são mais leves, a maioria delas vem sendo fabricada em ferro fundido nodular[carece de fontes?], muito mais flexível e elástico que o ferro fundido comum (que não serve para a fabricação de bigornas)[4]. Esses modelos também são mais baixos e possuem a base menos larga – em geral têm apenas quatro pés formando arcos, ou seja, com certo espaço vazio na parte inferior. Não são adequados, portanto, a trabalhos tradicionais ou pesados.[carece de fontes?]

Existem modelos de bigornas que são empregados especificamente na produção de jóias, bem menores que aquelas utilizadas na siderurgia e em diversos tipos de acabamento. Esta variedade é justificada pelos cuidados especiais exigidos na modelagem de metais macios, facilmente danificados durante o processo de usinagem[1].

Princípio de utilização[editar | editar código-fonte]

A bigorna é desenhada para suportar pancadas fortes e constantes de vários tipo de martelos a fim de moldar o ferro forjado previamente aquecido até atingir o nível de calor denominado rubro, no qual o metal fica bastante elástico.[5]

A bigorna serve para diminuir o esforço feito pelo ferreiro no forjamento do produto metálico, pois ela devolve parte da energia da martelada por ser mais resistente que o material a ser trabalhado[6].

História[editar | editar código-fonte]

As primeiras bigornas, feitas de pedra, datam da Pré-história. Os modelos feitos em metal somente apareceram no Antigo Egito, mas foi na Idade Média que foram consagradas como utensilio essencial das forjas[6]. O formato da bigorna, porém, mudou pouco em milhares de anos, devido a sua funcionalidade e resistência[1].

As bigornas foram largamente utilizadas até o fim do século XIX por ferreiros, quando, porém, caíram em desuso em decorrência do desenvolvimento de processos industriais de produção de objetos de metal, sendo hoje reservadas a ferreiros artesaniais, artistas e escultores, em trabalhos específicos[7].

Todavia, nos Estados Unidos, desenvolveu-se o disparo de bigorna como passatempo, que consiste em lançar bigornas abandonadas no ar com a ajuda de explosivos, o que transformou a imagem da bigorna e resultou na sua absorvição cultural pelos desenhos animados[6].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e «O que é uma bigorna, leia em Manutenção & Suprimentos». www.manutencaoesuprimentos.com.br. Consultado em 1 de outubro de 2016 
  2. «Bigorna». Dicionário Online Caldas Aulete. Consultado em 1 de outubro de 2016 
  3. a b «Bigorna». Michaelis On-Line. Consultado em 1 de outubro de 2016 
  4. «Bigorna - Fórum Português de Ferro Forjado». www.ferroforjado.org. Consultado em 1 de outubro de 2016 
  5. «Na bigorna». www.elbemcesar.com. Consultado em 1 de outubro de 2016 
  6. a b c Para que serve uma bigorna? Revista da Abril, Mundo Estranho - acessado em 12 de dezembro de 2015
  7. «Significado de Bigorna». Significados.com.br. Consultado em 1 de outubro de 2016 
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Bigorna
Ícone de esboço Este artigo sobre Tecnologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.