Breogán

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A estátua de Breogán e ao fundo a Torre de Hércules em Corunha

Breogán é um personagem mítico do ciclo mitológico céltico, constante no Lebor Gabála Érenn (Livro das Invasões da Irlanda), do século XI. Foi um ancestral dos Milesianos povo que descende de seu sobrinho, Míle Espáine [1] .

Breogán, tido como um grande guerreiro foi um personagem importante na Galiza, e é também creditado a ele a construção de uma alta torre mítica (localizada por alguns autores na região de Trás-os-Montes, enquanto outros a localizam na região da Corunha e seria localizada onde os romanos construíram a famosa Torre de Hércules). Outros relatos o citam como o fundador da cidade de Brigâncio (a atual Corunha) e apontam seu nome como a origem do nome da região de Bragança (Brigantia) [1] .

O mito explicado no Livro das Invasões diz que Breogán levantou uma alta torre defensiva tão alta que um dos seus filhos Ith viu a Irlanda do topo da torre. Em outra versão, a pessoa a avistar a terra irlandesa, seria seu tio Míle. A promessa de mais uma terra verde, de rara beleza, por conquistar levou-o a fazer a viagem ao norte que terminou com a colonização da Irlanda [1] .

A lenda parcialmente registada no Lebor Gabála Érenn, relata a mítica viagem marítima dos Milesianos, os filhos de Míle Espáine, da Corunha até o Condado de Kerry [1] .

Breogán é mencionado no hino galego. De fato, a palavra "Galiza" não aparece no hino (um poema de Eduardo Pondal chamado "Os Pinos"), senão com a expressão "Nazón de Breogán" ("Nação de Breogán").


''Genética''

Bryan Sykes (professor de genética humana no Instituto de Medicina Molecular na Universidade de Oxford, decano da Wolfson College (Oxford) e fundador da empresa Oxford Ancestors) publicou em 2006 o livro "The Blood of the Isles", onde com base no DNA de 10.000 voluntários desenvolveu o mapa genético da Irlanda e Inglaterra, mostrando ligação genética da população atual com ancestrais do norte da Península Ibérica (Galiza).

Spencer Wells, em seu livro "Os nossos antepassados", publicado em castelhano em 2007 (diretor do Projeto Genográfico da National Geographic), estabeleceu o domínio de marcadores de DNA genéticos no norte da península ( Galiza toda, Galiza de hoje e Norte de Portugal) , haplogroups R1b, I1a, de 16.000 anos atrás ( última geleira) e sua extensão subsequente a noroeste máxima Europa. M173 marcador relata a mesma história, ainda dominante na Península Ibérica e as Ilhas irlandeses e britânicos.

Estas duas obras, consistente em seus resultados, dar mais credibilidade aos clássicos XI e XII que compilou as sagas irlandesas, como obras historiográficas sobre tribos galaicas e suas tradições para a conquista romana. E ambas as obras falam de um repovoamento por homens e mulheres desde a Península Ibérica após o último máximo glacial. Também eles são um reforço para os historiadores que defendem a tese da sociedade Atlantic Bronze, estabelecendo o repovoamento rota.

Todas estas formas afins do Modal Haplótipo Atlântico (AMH) de R1b cromossomo Y, também chamado de haplótipo 15, com alelos: DYS388 12 DYS390 24, DYS391 11 DYS392 13, DYS393 13, DYS394 14 (também conhecido como DYS19).

Breogán a origem do nome é desconhecido; pensa-se que o próprio rei de Galiza escolheu-o como um apelido para distinguir, já que em dialetos irlandeses significa "aquele que tem o único nome."

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Lebor Gabála Érenn: §65-95 The Milesians in Celtic Litterature Collective (em inglês) página visitada em 11/03/2015
Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia celta é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Breogán