Caetano Galindo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Caetano Galindo
Nome completo Caetano Waldrigues Galindo
Nascimento 05 de outubro de 1973 (47 anos)
Curitiba, PR
Residência Bairro Alto da XV, Curitiba
Nacionalidade Brasil Brasileira
Cônjuge Sandra M. Stroparo
Ocupação Professor e tradutor literário
Prémios Prémio Jabuti (2013)

Prêmio ABL de Tradução (2013)
Prêmio Paraná de Literatura (2013)

Magnum opus Sim, eu digo sim: Uma visita guiada ao Ulysses de James Joyce
Página oficial
[3]

Caetano Waldrigues Galindo (Curitiba, 1973) é um tradutor e professor brasileiro. Galindo é doutor em linguística pela Universidade de São Paulo. Desde 1998 é professor de história da língua portuguesa na Universidade Federal do Paraná. Já traduziu para o português brasileiro obras de autores como Thomas Pynchon, David Foster Wallace, Charles Darwin e James Joyce[1]. Seu primeiro livro de Contos, Ensaio sobre o entendimento humano, venceu o Prêmio Paraná de Literatura 2013. Em 2016 pela Companhia das Letras Galindo publicou uma das mais importantes obras sobre Ulysses, o guia, Sim, eu digo sim: uma visita guiada ao Ulysses de James Joyce. O guia, ao melhor estilo professoral de Galindo, nos leva a entender e esmiuçar detalhes e miudezas que passaram ou não desapercebidas aos olhos de leitores que se aventuraram nas páginas do romancista irlandês. Sim, eu digo sim... Sem sombra de dúvidas, é hoje a mais importante publicação em língua portuguesa sobre a Magnum opus de Joyce, que por sua vez, é considerado o autor de maior relevância do século XX. Desde 2019 está publicando, semanalmente, um romance em folhetim chamado Lia, no site www.plural.jor.br.

Formação[editar | editar código-fonte]

Caetano Galindo é graduado em Letras (Francês) pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), onde também concluiu seu mestrado. Obteve seu doutorado em Lingüística pela Universidade de São Paulo (USP) com a tese "Abre aspas: a representação da palavra do outro no Ulysses de James Joyce e seu possível convívio com a palavra de Bakhtin".

Trabalhos notáveis[editar | editar código-fonte]

[2] (finalista do Prêmio Jabuti 2015)

Prêmios[editar | editar código-fonte]


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • «Entrevista»  Sobre a tradução de Infinite Jest, Revista Continente, 23 de Novembro de 2012.