Cardano (criptomoeda)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Cardano (Criptomoeda))
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Cardano é uma plataforma de computação distribuída que executa o blockchain para a criptomoeda ADA.[1][2] Daedalus é atualmente a única carteira de criptomoeda (software) que contém ADA e permite transferências para outros endereços de carteira.[3]

Foi criado pela empresa de desenvolvimento de blockchain Input Output Hong Kong (IOHK) e liderado por Charles Hoskinson, ex-co-fundador da BitShares, Ethereum e Ethereum Classic, e tem como objetivo executar contratos inteligentes, aplicativos descentralizados, cadeias laterais, computação multipartidária, e metadados.[4]

Plataforma[editar | editar código-fonte]

As moedas são extraídas e as decisões são tomadas através de um algoritmo de prova de participação chamado Ouroboros, em vez de um sistema de prova de trabalho. O consenso é gerado pelo voto do titular da moeda.[5][6] Nesse protocolo, os líderes de slots geram novos blocos no blockchain e verificam as transações. Qualquer pessoa segurando uma moeda Ada pode se tornar um líder de slot.[7] Este mecanismo de staking torna desnecessário a força bruta do código hash. Assim, economiza uma parte significativa da energia exigida pelos sistemas baseados em prova de trabalho e permite uma criação de blockchain eficiente em termos de recursos e econômica.[8]

Camadas[editar | editar código-fonte]

O moeda Ada opera em seu próprio blockchain chamado o Camada de estabelecimento de Cardano (CSL). O CSL é uma camada de contabilidade e suporta transações contábeis. Uma segunda camada chamada CCA (Cardano Computation Layer - Camada de Computação Cardano) suportará contratos inteligentes e aplicativos descentralizados.[9] This multi-layer architecture allows for easier updates via soft forks than Ethereum does; in Ethereum these two layers are intertwined.[10] Esta arquitetura multicamada permite atualizações mais fáceis através de forks suaves, mais do que o Ethereum; Em Ethereum estas duas camadas estão interligadas. Cadeias laterais são usadas para conectar transações entre o CSL e o CCL.[11]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Cardano foi lançado em 29 de setembro de 2017 na fase de bootstrap 'Byron' com o lançamento oficial no Japão.[12]

Cardano desenvolve sua moeda em torno de uma arquitetura inter-redes recursivas (RINA).[13][14] Cardano usa Haskell, uma linguagem de programação com alto grau de tolerância a falhas.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Downs, Claire. «The cryptocurrency disrupted by science». The Daily Dot 
  2. «Cardano (ADA): Is Worth Investing? – Crypto Recorder». Crypto Recorder (em inglês). 11 de janeiro de 2018 
  3. Jesse Damiani (16 de dezembro de 2017). «Crypto Watch: Cardano (ADA) Price Leaps 117% In 22 Hours, Surging Past IOTA With $10.4B Market Cap». Forbes 
  4. «IOHK Launches Cardano Blockchain; Ada Now Trading on Bittrex». Bitcoin Magazine. 2 de outubro de 2017 
  5. Castor, Amy. «At A Major Crypto Conference, Blockchain Projects Tighten Security With Math». Forbes (em inglês) 
  6. Allison, Ian (22 de fevereiro de 2018). «Cardano's Ouroboros: Proving Proof of Stake can work in the wild». International Business Times UK (em inglês) 
  7. a b «What is Cardano? | Complete Guide». CoinCentral (em inglês). 5 de dezembro de 2017 
  8. «Proof of Work v/s Proof of Stake : Mining 101 | ItsBlockchain». ItsBlockchain (em inglês). 14 de julho de 2017 
  9. «Cardano Eyes Ethereum Smart Contracts, Grabs Half a Billion Market Cap». Trustnodes (em inglês). 2 de outubro de 2017 
  10. «A Deep Dive Into Cardano». Store of value blog 
  11. Castor, Amy. «Sidechains: Why These Researchers Think They Solved a Key Piece of the ...». Bitcoin Magazine (em inglês) 
  12. Castor, Amy. «IOHK Launches Cardano Blockchain; Ada Now Trading on Bittrex». Bitcoin Magazine (em inglês) 
  13. «Cardano Lists ADA Futures on BitMEX». Bitcoin Magazine. 8 de janeiro de 2018 
  14. «Bitcoin's Smaller Cousins Are Leading the Crypto Rally». Bloomberg.com. 20 de dezembro de 2017 

Links Externos[editar | editar código-fonte]