Clima de Curitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde fevereiro de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Localizada na região sul, Curitiba é a capital mais fria do Brasil,[1] apresentando um clima temperado (Cfb de acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger), com as quatro estações do ano bem definidas. A temperatura média do mês mais quente é inferior a 22 ºC, e a do mais frio abaixo de 18 ºC.[2]

Durante o verão, a temperatura média é em torno de 21 °C, mas pode subir acima de 30 °C em dias mais quentes. Ondas de calor durante o inverno e ondas de frio no verão não são incomuns e mesmo dentro de um único dia pode haver uma grande variação. Vários fatores que contribuem para a natureza variável do clima: o terreno plano rodeado por montanhas em forma arredondada com raio de 40 km ajuda a bloquear os ventos mais fortes, permitindo que a neblina matinal cubra a cidade nas manhãs de frio. O clima de Curitiba também é influenciado pelas massas de ar seco que dominam o centro-sul do Brasil, trazendo tempo frio e seco em especial no inverno.[3] Dois dos verões mais fortes na história climática registrada da cidade verificaram-se em 2006 e 2014, com alguns dias com máximas próximas de 35ºC, próximas ao recorde absoluto da cidade.

Panorâmica do Parque Tanguá em um dia típico de Outono em Curitiba

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde 1961 a menor temperatura registrada em Curitiba foi de -5,4 °C, em 2 de setembro de 1972,[4] enquanto a maior atingiu 35,2 °C, em 17 de novembro de 1985.[5] O menor índice de umidade do ar foi de 15%, nos dias 27 de junho de 1987, 1º de setembro de 1994 e 10 de setembro de 1995.[6] O mês de junho de 2016 na capital paranaense, seguindo uma tendência verificada em todo o centro-sul do País, registrou uma das médias mais baixas registradas para o mês após 1990: - 11,9C, resultado da entrada de várais incursões de ar polar naquela parte do País no período.

Dados climatológicos para Curitiba
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 34,3 34,8 33,9 31,8 29,4 28,2 28,2 31,6 33,7 34,7 35,2 33,6 35,2
Temperatura máxima média (°C) 26,8 26,8 26 24 20,8 20,1 19,7 21,5 21,4 23,1 25 26,2 23,5
Temperatura média (°C) 20,9 21 20,1 18,3 15,1 13,9 13,5 14,6 15,3 17,1 18,9 20,2 17,4
Temperatura mínima média (°C) 17,2 17,4 16,5 14,6 11,2 9,7 9 9,6 11,1 13,2 14,9 16,2 13,4
Temperatura mínima recorde (°C) 8,2 6,8 3,9 -4 -2,3 -4 -5,2 -5,2 -5,4 -1,5 -0,9 3,6 -5,4
Precipitação (mm) 218,3 166,2 147 95,7 113,5 94,1 108,3 74 141,4 138,7 124,4 154,2 1 575,8
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 15 13 11 8 8 7 7 6 9 11 10 12 117
Umidade relativa (%) 81,2 81,3 82,2 82,5 83,4 82,3 80,4 77,1 80,8 81,7 79,2 79,6 81
Horas de sol 160,5 151,3 163,1 155,5 148,8 141,3 162,1 173 124,3 136,7 163,5 164,7 1 844,8
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[7] recordes de temperatura: 1961-presente)[8][9]

Precipitações[editar | editar código-fonte]

Maiores acumulados de precipitação em 24 horas
registrados em Curitiba por meses
Mês Acumulado Data Mês Acumulado Data
Janeiro 121 mm 08/01/1995 Julho 93,4 mm 07/07/2003
Fevereiro 146,2 mm 22/02/1999 Agosto 98,4 mm 01/08/2011
Março 94,5 mm 20/03/1975 Setembro 93,1 mm 29/09/1998
Abril 102,4 mm 29/04/1965 Outubro 83,2 mm 03/10/1975
Maio 95,3 mm 14/05/1993 Novembro 77,9 mm 20/11/2009
Junho 128,2 mm 21/06/2013 Dezembro 100,3 mm 14/12/2010
Fonte: Rede de dados do INMET (1961-presente).[10]

As precipitações em Curitiba são abundantes durante o ano todo, sem a ocorrência de uma estação seca, ocorrendo sob a forma de chuva, granizo ou até mesmo neve. Muitas vezes, frentes frias vindas da Antártida e da Argentina durante todo o ano trazem tempestades tropicais no verão e ventos frios no inverno.[11] O índice pluviométrico é de aproximadamente 1 480 milímetros (mm) anuais, sendo janeiro o mês de maior precipitação (172 mm).[12]

A ocorrência de neve e de outras modalidades de precipitações hibernais, como a chuva congelada, é rara, sendo tais fenômenos registrados em média uma vez a cada dez anos, podendo ocorrer mais de uma década sem registro, e mais de um registro em uma mesma década, sendo, portanto, um fenômeno de frequência irregular. O último registro de neve em Curitiba ocorreu em 23 de julho de 2013, quando também caiu chuva congelada e aguaneve. A precipitação, na mesma data, ocorreu também em vários municípios da região metropolitana, como Araucária, Campo Largo, Fazenda Rio Grande, Lapa, São José dos Pinhais.[13] Outros registros também aconteceram em 1889, 1892, 1912, 1928 (dois dias), 1942, 1957, 1975, 1979, 2013. Há também registros não oficiais de ocorrência do fenômeno, em fraca intensidade, nos anos de 1955, 1965, 1981 (a mídia impressa local chegou a registrar matéria com foto sobre o fenômeno em alguns pontos da cidade) e em 1988.[14][15]Na madrugada de 18 de julho de 2017, segundo informações veiculadas na imprensa local (Gazeta do Povo), no Site do SIMEPAR, houve registro de chuva congelada na Capital paranaense, quando amanheceu com precipitação sob uma temperatura inferior a 2C (a chuva congelada é um tipo de precipitação hibernal que ocorre quando entre camadas atmosféricas muito resfriadas, há uma mais aquecida em que a água se precipita na forma líquida, para se congelar mais próxima à superfície, cai na forma de pequenas pedras transparentes), fenômeno semelhante ocorrera 37 anos antes em 1980, segundo encarte especial de 30 anos da nevada de 1975, editado pela Gazeta do Povo em Julho de 2005.

Imagem Panorâmica do Parque Tanguá em Curitiba em um dia típico de Outono.

Segundo o INMET, o maior acumulado de precipitação registrado em 24 horas foi de 146,2 mm em 22 de fevereiro de 1999. Outros grandes acumulados foram 128,2 mm em 21 de junho de 2013, 121 mm em 8 de janeiro de 1995, 106,8 mm em 5 de junho de 2012, 106,3 mm em 20 de janeiro de 2007, 104,6 mm em 8 de janeiro de 1972, 102,5 mm em 12 de fevereiro de 1997, 102,4 mm em 29 de abril de 1965, 100,6 mm em 5 de fevereiro de 1982 e 100,3 mm em 14 de dezembro de 2010.[10] O maior volume de precipitação registrado em um mês foi de 473,8 milímetros, em janeiro de 1995.[16]

Geadas[editar | editar código-fonte]

Geada no Jardim Botânico.

As geadas ocorrem todos os anos nos meses de inverno e outono, variando em seu número, a exemplo de 1995, quando ocorreu uma única geada, e de 2000, quando se verificaram quatorze geadas na cidade. As geadas ocorrem mais comumente nos meses de junho, julho e agosto, mas podem ocorrer também em abril (1999), maio (1997, 1999 e 2000) e em setembro (2003, 2004 e 2006), podendo ser de fraca ou forte intensidade.

Acumulo de Gelo da segunda geada que ocorreu em Curitiba no ano de 2016.

No ano de 2015, ocorreu apenas uma geada de moderada/forte intensidade, no final do Outono.

Em 2016, três eventos de Geadas já foram registrados na capital, também no Outono, com mínimas negativas.

A geada negra (provocada pelo ar extremamente frio e seco, não havendo formação de gelo, mas sendo altamente danosa à vegetação) é rara, mas pode ocorrer, a exemplo da madrugada de 27 de junho de 1994, quando a mínima na cidade, de -0,2 °C, foi suficiente para queimar não só a vegetação rasteira, como também as copas das árvores, conquanto a secura do ar e o vento fraco não houvesse permitido a formação de gelo. Recentemente, registrou-se -2,2ºC em 23 de julho de 2013, e -1,3ºC em 18 de julho de 2017 em manhãs com geadas de forte intensidade.

Referências

  1. «Onda de calor muda o visual nas ruas da capital mais fria do Brasil». Bom Dia Brasil. 3 de fevereiro de 2015. Consultado em 27 de fevereiro de 2015 
  2. «Classificação Climática». Secretaria de Educação do Paraná. Consultado em 27 de fevereiro de 2015. Cópia arquivada em 27 de fevereiro de 2015 
  3. «Inverno vai ser mais seco e mais frio que o do ano passado». Portal.rpc.com.br. Consultado em 20 de fevereiro de 2015 
  4. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome TempMínINMET_CuritibaPR
  5. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome TempMáxINMET_CuritibaPR
  6. «Série Histórica - Dados Horários - Umidade Relativa (%)». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 27 de abril de 2014 
  7. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 24 de março de 2018 
  8. «Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Mínima (ºC)». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 27 de abril de 2014 
  9. «Série Histórica - Dados Diários - Temperatura Máxima (ºC)». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 27 de abril de 2014 
  10. a b «Série Histórica - Dados Diários - Precipitação (mm) - Curitiba». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 27 de abril de 2014 
  11. «Cold fronts and rain in Curitiba». Bemparana.com.br 
  12. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome PrecipINMET
  13. «v». Consultado em 5 de abril de 2014 
  14. «METAR: Weather History for Curitiba, Brazil». Weather Underground. Consultado em 25 de julho de 2013 
  15. «SYNOP: SUMMARIZED DATA FOR CURITIBA». Mundomanz. Consultado em 25 de julho de 2013 
  16. «Série Histórica - Dados Mensais - Precipitação Total (mm)». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 27 de abril de 2014