Confederação Brasileira de Boxe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Confederação Brasileira de Boxe
Fundação 5 de março de 1933 (85 anos)
Filiação à AIBA Sim
Sede São Paulo, SP
Presidente Mauro José da Silva
Ouro nas Olimpíadas Não
Ouro em Pan ?
Mundiais Éder Jofre: Peso Galo (1960, pela AMB); Unificado Galo (1962); Pena (1973, pelo CMB)
Miguel de Oliveira: Médio-Ligeiro (1975, pelo CMB)
Acelino "Popó" Freitas: Super-Pena (1999, pela OMB); Unificado Super-Pena (2002, pela AMB); Leve (2004, pela OMB); Leve (2006, pela OMB)

A Confederação Brasileira de Boxe (CBB) é o órgão responsável pela organização dos eventos e representação dos atletas de boxe no Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundada em 5 de março de 1933, inicialmente denominada de Federação Carioca de Boxe.[1]

Foi reorganizada em 3 de agosto de 1935, sob o nome de Federação Brasileira de Pugilismo e por força do Decreto Lei Nº 3199 de 14/4/41, constituída em Confederação pelas entidades: Federação Paulista de Pugilismo, Federação Metropolitana de Pugilismo, Federação Mineira de Pugilismo e Federação Fluminense de Pugilismo, em Assembléia Geral realizada em 1 de agosto de 1941.[1]

Durante vários anos foi uma entidade eclética, e administrou os esportes de lutas como caratê, judô, capoeira, artes marciais, luta livre, luta greco-romana, entre outros, até que as modalidades foram se organizando e formando suas próprias entidades específicas.[1]

Na Assembléia Geral Extraordinária em 8 de maio de 1998, com a reforma dos estatutos e adequação à Lei Pelé, a denominação foi alterada para Confederação Brasileira de Boxe.[1]

No boxe profissional, as maiores expressões foram os Campeões Mundiais Éder Jofre, Miguel de Oliveira e Acelino "Popó" Freitas.[1]

No boxe amador o maior feito foi a medalha de bronze nas Olimpíadas do México em 1968, com o peso mosca Servílio de Oliveira,em 2012, em Londres, a medalha de prata de Esquiva Falcão, a de bronze de Yamaguchi Falcão, além da primeira medalha de bronze em olimpíadas no boxe feminino com Adriana Araújo, em 2016na olímpiada do Rio de Janeiro, , porém, Robson Conceição alcançou o maior feito batendo o francês Sofiane Omiha para obter a primeira medalha de ouro

olímpica do boxe amador.

Realiza anualmente seu tradicional Campeonato Brasileiro de Boxe Amador há mais de 50 anos, nas diversas regiões do país, além de torneios regionais.[1]

Filiações[editar | editar código-fonte]

A Confederação Brasileira de Boxe é filiada aos seguintes órgãos:[1]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre boxe ou boxeador é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.