Confederação Brasileira de Tênis de Mesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Confederação Brasileira de Tênis de Mesa
Tipo Confederação oficial filiada
Fundação 30 de maio de 1979 (39 anos)
Línguas oficiais Português
Filiação Federação Internacional de Tênis de Mesa
Presidente Alaor Gaspar Pinto Azevedo
Sítio oficial cbtm.org.br

A Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) é a entidade máxima responsável pela organização do tênis de mesa no Brasil. Associação de fins não-econômicos, pertencente ao Sistema Nacional do Desporto, se enquadra como uma entidade de administração do desporto, atendendo todos os preceitos da Lei Pelé (Lei nº 9.615/98 e respectivas alterações)[1]. É filiada à Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF), à União Latino-Americana de Tênis de Mesa (ULTM), à Confederação Sul-Americana de Tênis de Mesa (CONSUTEME), ao Comitê Olímpico do Brasil (COB) e ao Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

Dentre suas atribuições, destacam-se:

  • a administração, direção, controle e difusão do Tênis de Mesa no Brasil;
  • representação do Brasil em competições internacionais;
  • promoção ou autorização para a realização de competições interestaduais ou internacionais em território brasileiro;
  • promoção e fomento da prática do tênis em alto nível;
  • promoção de cursos técnicos de aprendizagem e aprimoramento do tênis de mesa;
  • realização de campeonatos e torneios com uma visão sustentável;
  • fomento da prática esportiva, divulgando e incentivando o desporto educacional.

História da CBTM[editar | editar código-fonte]

A CBTM foi fundada na cidade do Rio de Janeiro no dia 30 de maio de 1979[2]. Até então, a organização das competições nacionais no Brasil ficava a cargo da Confederação Brasileira de Desportos (CBD), que oficializou o esporte em 1942. Seu primeiro presidente foi José Pereira Antelo. Atualmente, a entidade é presidida pelo médico Alaor Gaspar Pinto Azevedo, que completarão o sexto mandato consecutivo no comando da entidade em 2020.

A lista de presidentes da CBTM em toda a História é a seguinte[3]:

  • 1979-1982 .... José Pereira Antelo
  • 1983-1985 .... José Pereira Antelo
  • 1986-1988 .... Alaor Gaspar Pinto Azevedo
  • 1989-1991 .... Alaor Gaspar Pinto Azevedo
  • 1992-1995 .... Ivam Passos Vinhas
  • 1996-2000 .... Alaor Gaspar Pinto Azevedo
  • 2001-2004 .... Alaor Gaspar Pinto Azevedo
  • 2005-2008 .... Alaor Gaspar Pinto Azevedo
  • 2009-2012 .... Alaor Gaspar Pinto Azevedo
  • 2013-2016 .... Alaor Gaspar Pinto Azevedo
  • 2017-Dias atuais .... Alaor Gaspar Pinto Azevedo


Pilares da CBTM[editar | editar código-fonte]

  • Missão: Organizar e difundir o tênis de mesa no Brasil.
  • Visão: Ser considerada a melhor confederação do sistema esportivo brasileiro, até 2020, com excelência na gestão e governança e alcance de resultados de expressão internacional.
  • Valores: Integridade e Transparência; Responsabilidade Individual; Cooperação; Agilidade; Interatividade e Inovação


Desafios da Entidade[editar | editar código-fonte]

O grande desafio da CBTM tem sido construir uma cultura esportiva em prol do tênis de mesa em território brasileiro, de modo a fomentar a modalidade em suas diferentes manifestações.

Dentre os inúmeros projetos de fomento, destaque para a construção do projeto “Rota para o Alto Nível”, que começou a colocar o Brasil no mapa mundial do tênis de mesa a partir da Década de 2000.

Com consultores e técnicos internacionais, com destaque para Michel Gadal e Jean René-Mounie, além de outros colaboradores, a CBTM traçou um objetivo ambicioso: ver o Brasil figurando entre as maiores potências globais da modalidade.

Para esta construção, a CBTM precisava de uma mudança no sentido de integrar, em todos os níveis, os princípios da excelência. Tais princípios estão norteados pelos seguintes pilares:

  • Processo de seleção
  • Organização de competições
  • Formação dos treinadores
  • Detecção e formação de talentos
  • Filosofia de treinamento


Foi a partir deste projeto que surgiram atletas como Hugo Calderano (nº 6 do mundo no Ranking da ITTF em dezembro/2018), Bruna Takahashi, Caroline Kumahara, Eric Jouti, Vitor Ishiy e Giulia Takahashi. E foi com ele que as competições nacionais começaram a ganhar projeção e importância, uma vez que é o ambiente de onde os principais talentos do país nascem.

Além dos resultados do tênis de mesa convencional, o Brasil passou a ter destaque, também, no segmento paralímpico, uma vez que se procurou dar a mesma importância, adotar os mesmos princípios e se fazer os mesmos investimentos em favor do esporte adaptado.

Por toda esta composição, a CBTM se vê como amplamente preparada para as demandas e necessidades do futuro, esperando contribuir ainda mais com o desenvolvimento do esporte no Brasil.

Diretoria[editar | editar código-fonte]

Comitê Executivo[editar | editar código-fonte]

PRESIDENTE - Alaor Gaspar Pinto Azevedo

VICE-PRESIDENTE - Vilmar Schindler

SECRETÁRIO GERAL - Pablo Ribeiro


CEO - Geraldo Campestrini

Vice-presidentes Regionais[editar | editar código-fonte]

  • VICE-PRESIDENTE REGIONAL - NORDESTE 1 - Flavio Alberto Conceição Seixas (Alagoas)
  • VICE-PRESIDENTE REGIONAL - NORDESTE 2 - Jadelson Ribeiro (Piauí)
  • VICE-PRESIDENTE REGIONAL – NORTE - David Domingues (Pará)
  • VICE-PRESIDENTE REGIONAL – LESTE - Luiz Henrique Souza Camanho (Espírito Santo)
  • VICE-PRESIDENTE REGIONAL – SUL - Edson Marroque (Paraná)
  • VICE-PRESIDENTE REGIONAL – SUDESTE - Lidney Castro (São Paulo)
  • VICE-PRESIDENTE REGIONAL – CENTRO - Sandro Abrão (Mato Grosso)


Beneméritos da CBTM[editar | editar código-fonte]

  • CARLOS SADDOCK DE SÁ (In memorian)
  • HIROSHI YAOITA (In memorian)
  • CLÓVIS DE SOUZA (In memorian)
  • JOSÉ ZIPPERER JUNIOR (in memorian)
  • IVAM PASSOS VINHAS
  • MUTSUO KASAHARA
  • KYOZO ABE
  • MINAKO TAKAHASHI
  • RICARDO LEYSER
  • MAURÍCIO KOBAYASHI
  • IVON SCHINDLER
  • ANDREW PARSONS


Federações Filiadas[4][editar | editar código-fonte]

  • FEDERAÇÃO ALAGOANA DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO CATARINENSE DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO DE TÊNIS DE MESA DO AMAPÁ
  • FEDERAÇÃO DE TÊNIS DE MESA DE GOIÁS
  • FEDERAÇÃO DE TÊNIS DE MESA DO AMAZONAS
  • FEDERAÇÃO DE TÊNIS DE MESA DO DISTRITO FEDERAL
  • FEDERAÇÃO DE TÊNIS DE MESA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
  • FEDERAÇÃO DE TÊNIS DE MESA DO MATO GROSSO DO SUL
  • FEDERAÇÃO DE TÊNIS DE MESA DO PARANÁ
  • FEDERAÇÃO DE TÊNIS DE MESA DO PARÁ
  • FEDERAÇÃO DOS MESATENISTAS DO CEARÁ
  • FEDERAÇÃO ESPIRITOSANTENSE DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO ESPORTIVA E PARADESPORTIVA DE TÊNIS DE MESA DO RIO GRANDE DO SUL
  • FEDERAÇÃO MARANHENSE DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO MATOGROSSENSE DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO MINEIRA DE TÊNIS DE MESA OLÍMPICA E PARALÍMPICA
  • FEDERAÇÃO PAULISTA DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO PERNAMBUCANA DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO PIAUIENSE DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO POTIGUAR DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO RONDONIENSE DE TÊNIS DE MESA
  • FEDERAÇÃO SERGIPANA DE TÊNIS DE MESA


Competições Regulares[editar | editar código-fonte]

  • Campeonato Brasileiro Olímpico – Disputado anualmente, reúne os principais atletas do país em disputas por estados, clubes, individuais e duplas, em todas as categorias, do pré-mirim ao veterano 7.
  • Campeonato Brasileiro Paralímpico – Disputado anualmente, reúne os principais paratletas do país em disputas das diversas classes, de 1 a 11.
  • Copa Brasil Sul-Sudeste – Com uma ou duas edições anuais em uma cidade da Região Sul ou Sudeste, reúne os principais atletas e paratletas do país em disputas de rating e ranking.
  • Copa Brasil Centro-Norte-Nordeste - Com uma ou duas edições anuais em uma cidade da Região Centro-Oeste, Norte ou Nordeste, reúne os principais atletas e paratletas do país em disputas de rating e ranking.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre esporte/desporto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


  1. «L9615 - Consolidada». www.planalto.gov.br. Consultado em 26 de janeiro de 2019 
  2. «História - CBTM». cbtm.org.br. Consultado em 26 de janeiro de 2019 
  3. «Informações Gerais - CBTM». cbtm.org.br. Consultado em 26 de janeiro de 2019 
  4. «Federações - CBTM». cbtm.org.br. Consultado em 26 de janeiro de 2019