Congresso Nacional Indiano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Congresso Nacional Indiano
भारतीय राष्ट्रीय कांग्रेस
Indian National Congress
Presidente Sonia Gandhi
Fundador Allan Octavian Hume
Líder Lok Sabha Adhir Ranjan Chowdhury
Líder Rajya Sabha Mallikarjun Kharge (líder da oposição na Rajya Sabha)
Fundação 28 de dezembro de 1885 (136 anos)
Sede Nova Déli, Índia Índia
Ideologia Pega-tudo[1]
Nacionalismo cívico
Secularismo[2]
Vertentes:
Social-liberalismo
Social-democracia
Socialismo
Espectro político Centro a centro-esquerda
Publicação Congress Sandesh
National Herald
Ala jovem Congresso da Juventude Indiana
Membros 45 milhões (2022)[3]
Afiliação internacional Aliança Progressista
Internacional Socialista
Cores      Azul celeste
Símbolo eleitoral
Simbolo INC.png
Bandeira do partido
Indian National Congress Flag.svg
Página oficial
inc.in

Política da Índia
Partidos políticos
Eleições

O Congresso Nacional Indiano (em hindi: भारतीय राष्ट्रीय कांग्रेस; em inglês: Indian National Congress, INC), também conhecido como Partido do Congresso ou simplesmente Congresso, é a mais antiga das organizações políticas ativas na Índia. Fundado em 1885, foi o primeiro movimento nacionalista moderno a surgir no Império Britânico na Ásia.[4] A partir do final do século XIX, e especialmente depois de 1920, sob a liderança de Mahatma Gandhi, líder do movimento de independência da Índia,[5] o Congresso liderou o país à independência do Reino Unido e influenciou poderosamente outros movimentos nacionalistas anticolonialistas no Império Britânico.[4]

O INC é um dos dois maiores partidos políticos da Índia, juntamente com seu maior rival, o Partido do Povo Indiano.[6] É um partido pega-tudo cuja plataforma é geralmente considerada "centrista"[7][8][9][10] na política indiana. Após a independência da Índia em 1947, emergiu como um partido abrangente, dominando a política indiana pelos 20 anos seguintes. Seu primeiro membro a tornar-se primeiro-ministro, Jawaharlal Nehru, apoiou políticas socialistas criando a Comissão de Planejamento, introduzindo Planos Quinquenais, implementando uma economia mista e estabelecendo um estado laico. Após a morte de Nehru e o curto mandato de Lal Bahadur Shastri, Indira Gandhi tornou-se a líder do partido e o fez adepto do protecionismo.[11] Nas 17 eleições desde a independência, ela conquistou a maioria absoluta em sete ocasiões e liderou a coalizão governante mais três vezes, liderando o governo central por mais de 54 anos. Houveram seis primeiros-ministros membros do partido, sendo o primeiro Nehru (1947-1964) e o mais recente Manmohan Singh (2004-2014).

Em 1969, sofreu uma grande cisão, com uma facção liderada por Indira Gandhi saindo para formar o Congresso (R), deixando o restante como Congresso (O). O Congresso (D) tornou-se a facção dominante, vencendo as eleições gerais de 1971 com uma enorme margem. No entanto, outra divisão ocorreu em 1979, levando à criação do Congresso (I), que foi reconhecido como o Congresso pela Comissão Eleitoral indiana em 1981. Sob a liderança de Rajiv Gandhi, o partido obteve uma vitória maciça nas eleições gerais de 1984 mas perdeu a eleição realizada em 1989 para a Frente Nacional. Posteriormente, voltou ao poder liderado por P.V. Narasimha Rao, que buscou fazer o partido adotar uma agenda economicamente liberal. Porém, perdeu as eleições gerais de 1996 e foi substituído no governo pela Frente Nacional (então Partido do Povo Indiano). Após oito anos fora do cargo, a coalizão liderada pelo Congresso, conhecida como Aliança Progressista Unida (UPA), sob a liderança de Manmohan Singh formou governo após vencer as eleições gerais de 2004 e 2009. Singh tornou-se o primeiro primeiro-ministro desde Nehru a ser reeleito após completar um mandato completo de cinco anos. No entanto, nas eleições gerais de 2014, o Congresso sofreu uma pesada derrota, conquistando apenas 48 dos 543 assentos do Lok Sabha.

Tratando-se de questões sociais, defende uma posição secularista, igualitarista e favorável à estratificação social.[7] O partido defende a igualdade de oportunidades, a saúde pública, a liberdade civil e o bem-estar de minorias e dos mais pobres, com apoio à uma economia de mercado.[12] É a favor de reformas econômicas como liberalização, globalização e privatizações estratégicas.

Atualmente, o Congresso é o maior partido de oposição ao governo de Modi, e, ideologicamente, está posicionando na centro-esquerda,[13] sendo membro da Internacional Socialista[14] e da Aliança Progressista.[15]

Resultados eleitorais[editar | editar código-fonte]

Eleições legislativas[editar | editar código-fonte]

Data Cl. Votos % +/- Deputados +/- Status
1951/52 1.º 47 665 875
45,0 / 100
364 / 489
Governo
1957 1.º 57 579 589
47,8 / 100
Aumento 2,8
371 / 494
Aumento 7 Governo
1962 1.º N/D
44,7 / 100
Baixa 3,1
361 / 494
Baixa 10 Governo
1967 1.º N/D
40,8 / 100
Baixa 3,9
283 / 520
Baixa 78 Governo
1971 1.º N/D
43,7 / 100
Aumento 2,9
352 / 518
Aumento 69 Governo
1977 2.º N/D
34,5 / 100
Baixa 9,2
154 / 542
Baixa 198 Oposição
1980 1.º N/D
42,7 / 100
Aumento 8,2
353 / 542
Aumento 199 Governo
1984 1.º 115 478 267
49,1 / 100
Aumento 6,4
404 / 533
Aumento 51 Governo
1989 1.º N/D
39,5 / 100
Baixa 9,6
197 / 545
Baixa 207 Oposição
1991 1.º N/D
35,7 / 100
Baixa 3,8
244 / 545
Aumento 47 Governo
1996 1.º 96 455 493
28,8 / 100
Baixa 6,9
140 / 545
Baixa 104 Oposição
1998 1.º 98 140 471
25,8 / 100
Baixa 3,0
144 / 545
Aumento 4 Oposição
1999 1.º 103 120 330
28,3 / 100
Aumento 2,5
114 / 545
Baixa 30 Oposição
2004 1.º 103 405 272
26,7 / 100
Baixa 1,6
145 / 543
Aumento 31 Governo
2009 1.º 119 110 776
28,6 / 100
Aumento 1,9
206 / 543
Aumento 61 Governo
2014 2.º 106 938 242
19,3 / 100
Baixa 9,3
44 / 543
Baixa 162 Oposição
2019 2.º 119 494 885
19,5 / 100
Aumento 0,2
52 / 543
Aumento 8 Oposição

Referências

  1. Soper, J. Christopher; Fetzer, Joel S. (2018). «Religion and Nationalism in Global Perspective» (em inglês). Cambridge University Press 
  2. a b Marshall, P. J. (2001). The Cambridge Illustrated History of the British Empire (em inglês). [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 978-0-521-00254-7 
  3. «Indian National Congress». open.ac.uk (em inglês). Consultado em 21 de junho de 2022 
  4. «In Numbers: The Rise of BJP and decline of Congress». Times of India (em inglês). 19 de maio de 2016. Consultado em 21 de junho de 2022 
  5. a b «Political Parties – NCERT» (PDF). Conselho Nacional de Pesquisa e Formação Educacional (Índia) (em inglês). Consultado em 21 de junho de 2022 
  6. Cabestan, Jean-Pierre; deLisle, Jacques, eds. (2013). Inside India Today (Routledge Revivals) (em inglês). [S.l.]: Routledge. ISBN 978-1-135-04823-5 
  7. Saez, Lawrence; Sinha, Aseema (2010). Political cycles, political institutions and public expenditure in India, 1980–2000 (em inglês). [S.l.]: British Journal of Political Science. pp. 91–113. doi:10.1017/s0007123409990226 
  8. Barrington, Lowell (2009). Comparative Politics: Structures and Choices (em inglês). [S.l.]: Cengage Learning. p. 379 
  9. Kirk, Jason A. (2011). India and the World Bank: The Politics of Aid and Influence (em inglês). [S.l.]: Anthem Press. pp. 20–21. ISBN 978-0857284129 
  10. Dev, Vinati (23 de abril de 2014). «What does the Congress party stand for». Mint (em inglês). HT Media. Consultado em 21 de junho de 2022 
  11. «Indian National Congress (INC) – Party History, Symbol, Founders, Election Results and News». elections.in (em inglês). Consultado em 28 de agosto de 2016 
  12. «Socialist International - Progressive Politics For A Fairer World». socialistinternational.org (em inglês). Consultado em 28 de agosto de 2016. Arquivado do original em 3 de novembro de 2013 
  13. «Participants | Progressive Alliance». progressive-alliance.info (em inglês). Consultado em 28 de agosto de 2016