Rei

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Decreto real)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Classificação da Nobreza
Heraldic Royal Crown (Common).svg
Imperador e Imperatriz
Rei e Rainha
Príncipe e Princesa
Infante e Infanta
Arquiduque e Arquiduquesa
Grão-duque e Grã-duquesa
Duque e Duquesa
Marquês e Marquesa
Conde e Condessa
Visconde e Viscondessa
Barão e Baronesa
Senhor e Senhora
Baronete e Baronetesa
Cavaleiro e Dama
Escudeiro e Escudeira
Para ver todos os títulos clique aqui

Um rei (no feminino: rainha) é um chefe de Estado ocupante de um trono real ou um súdito de um imperador por exemplo[1] ou de outra espécie de soberano; ou um ex-soberano que virou súdito.[2] Pode ou não, dependendo do estilo de governo de uma nação ou país, ser um soberano de um reino, deter o exercício de poderes monárquicos sobre um território designado de reino, sob uma política governamental conhecida por monarquia. Um rei e uma rainha são os únicos monarcas que existem,[3] que são reinantes[4] quando suas dignidades não são naturais de um império.[5]

Um rei é o segundo maior patamar nobiliárquico soberano, a seguir ao de imperador (título de nobreza supremo e maior status social que se pode ter) cuja dignidade normalmente abrangia territórios de maior extensão, chamados de império, por englobar mais que um reino.[6][5] Um rei tem status de nobreza mais elevado que o de um príncipe,[7] e dos títulos de nobreza que estão abaixo do de príncipe.

O equivalente feminino do rei é a rainha, embora o termo "rainha" possa referir-se também a uma soberana no seu próprio direito, a uma rainha reinante, ou à esposa de um rei, uma rainha consorte. O marido de uma rainha reinante é, por vezes, apelidado de rei consorte, mas é mais comumente denominado de príncipe consorte. A sua família é designada por família real.

Um rei ou rainha pode ostentar uma coroa, um manto real, ou outros símbolos que representem o seu poder régio tais como um ceptro ou então um documento que oficialize e que sustente ou defina a sua autoridade como a Magna Carta de 1215 que determinava os poderes que o rei João de Inglaterra poderia ou não deter.

Historicamente, o posição do "rei" deriva dos primeiros líderes tribais ou principais de diferentes povos tais como o (em sumério lugal, em semitico o sharrum, em latim rex, em grego o basileus, em sânscrito o rajá, em alemão o kuningaz) poderia ser também o tirano de uma cidade-Estado. Muitas vezes, o rei não tinha só uma função política mas, ao mesmo tempo, uma religiosa, atuando como sumo sacerdote ou divino rei, como foi o caso de certos reinos antigos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Naissance du Roi de Rome, héritier de l'Empire (1811)» (em francês). napoleon.org. Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  2. «Jeremias, Uma Nova Alianças entre Deus & seu Povo». paulus.com.br. Consultado em 12 de agosto de 2014 
  3. «Soberana Britânica se torna a monarca mais velha da atualidade». epocanegocios.globo.com. Consultado em 27 de Março de 2018 
  4. «Definição de reinante». priberam.pt. Consultado em 27 de Março de 2018 
  5. a b Minidicionário Luft - 2002 - Editora Ática - Autor: Celso Pedro Luft.
  6. Qual a diferença entre rei e imperador?, Renata Costa, Revista Escola
  7. «Carta Constitucional Portuguesa de 1826» (PDF). http://www.fd.unl.pt. Consultado em 26 de Março de 2018 

Ligações exteriores[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre títulos de nobreza é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.