Duende

From Wikipédia
Jump to navigation Jump to search
Duendecitos por Francisco Goya, 1799.

Um duende é uma criatura do folclore ibérico, latino-americano e filipino. O termo espanhol "duende" originou-se como uma contração da expressão "dueño de casa" ou "duen de la casa", que signifca "dono de casa", e foi originalmente conceituado como um espírito travesso que habita uma casa.[1]

Origem[edit | edit source]

Sua origem exata é desconhecida, mas as criaturas mais antigas parecidas com os duendes são os goblins, que surgiram junto com elfos e outros seres de lendas das mitologias europeias. As primeiras histórias com a criatura são antigas, mas ele só recebeu esse nome no século 13, quando a palavra "duende" passou a incluir-se no vocabulário espanhol. Há várias criaturas similares aos duendes em outros países. Nos contos medievais irlandeses do século 14 nasceu o leprechaun, um anãozinho que esconde um pote de ouro no fim do arco-íris. Na obra do alquimista suíço Paracelso, no século 16, surgem os gnomos, exímios artesãos que vivem isolados nas florestas, e também em várias outras mitologias e culturas ao redor do mundo que possuem seres com características análogas às dos duendes, tais como: lutin, na França, zanganito , na Península Ibérica, cluricaun, na Irlanda, alux, na mitologia maia, curupira e sanguanel no folclore brasileiro, e etc. Porém na maioria das línguas não há distinção entre o duende e esses outros seres.[2]

Características[edit | edit source]

Poderes mágicos[edit | edit source]

Duendes segundo lendas, possuem poderes sobrenaturais, desafiando as leis naturais da física, como: atravessar paredes, se locomover em alta velocidade e até se tele transportar de um lugar pro outro. Eles são conhecidos por serem travessos, e terem um humor extremamente sensível(assim como a maioria dos seres mitológicos europeus), portanto, caso alguém o agrade eles podem se tornar amigo destes, mas caso os ofenda, as travessuras iram se tornar cada vez mais sérias, chegando a causar de doenças ou, em alguns casos, a morte.[3]

Referências

  1. Joan Corominas, 'Breve diccionario etimológico de la lengua castellana', "Duende" (Madrid: Editorial Gredos, 1980).
  2. «O que são duendes?». Superinteressante. Consultado em 17 de março de 2019 
  3. Junior, Diogenes (30 de setembro de 2018). «Gnomos, Duendes, Goblins e Leprechauns». Trilhas no Universo. Consultado em 17 de março de 2019 

Bibliografia[edit | edit source]

  • Emmons, Katherine M. (October 1997). "Perceptions of the Environment while Exploring the Outdoors: a case study in Belize". Environmental Education Research (Ambingdon, Oxfordshire: Carfax Publishing, in conjunction with the University of Bath) 3 (3): 327–344.
  • Garza, Xavier (2004). Creepy Creatures and other Cucuys (Piñata Books imprint ed.). Houston, TX: Arte Público Press. ISBN 1-55885-410-X.

Ver também[edit | edit source]

Ícone de esboço Este artigo sobre mitologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.