Energia sustentável

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Energia sustentável
Share of electricity production from renewable sources, OWID.svg

Percentual de eletricidade produzida no mundo, em 2014, por meio de fontes renováveis (ver: Lista de países por produção de eletricidade renovável). Isso inclui biomassa, energia hidrelétrica, solar, eólica, geotérmica e maremotriz. A eletricidade produzida por fontes nucleares não está incluída.
Características
Classificação disciplina (energia)
Localização
Parte de sustentabilidade, energy development Edit this on Wikidata
Localidade ()
[ Editar Wikidata ] [ Mídias no Commons ]
[ Editar infocaixa ]
Concentrated solar power parabolic troughs in the distance arranged in rectangles shining on a flat plain with snowy mountains in the background
Wind turbines beside a red dirt road
Woman cooking bread on an electric stove
Mass rapid transit train
A energia sustentável envolve o aumento da produção de energia renovável, tornando a energia segura universalmente disponível e a conservação de energia. No sentido horário, a partir do canto superior esquerdo: energia solar concentrada com armazenamento de calor de sal fundido na Espanha, energia eólica na África do Sul, transporte público eletrificado em Cingapura e cozinha limpa na Etiópia

A energia é sustentável se "atender às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de atenderem às suas próprias necessidades".[1] A maioria das definições de energia sustentável inclui considerações de aspectos ambientais, como as emissões de gases de efeito estufa, e aspectos socioeconômicos, como a pobreza energética. Fontes de energia renovável, como energia eólica, hidrelétrica, solar e geotérmica são geralmente muito mais sustentáveis ​​do que as fontes de combustíveis fósseis. No entanto, alguns projetos de energia renovável, como o desmatamento de florestas para a produção de biocombustíveis, podem causar graves danos ambientais. O papel das fontes de energia não renováveis ​​na energia sustentável tem sido controverso. A energia nuclear é uma fonte de baixo carbono cujas taxas de mortalidade históricas são comparáveis ​​às eólica e solar, mas sua sustentabilidade tem sido debatida devido a preocupações com resíduos radioativos, proliferação nuclear e acidentes. A mudança do carvão para o gás natural traz benefícios ambientais, incluindo um menor impacto climático, mas pode levar a um atraso na mudança para opções mais sustentáveis. A captura e armazenamento de carbono podem ser incorporados em usinas de energia para remover suas emissões de dióxido de carbono (CO2), mas são caros e raramente são implementados.

Os combustíveis fósseis fornecem 85% do consumo mundial de energia e o sistema energético é responsável por 76% das emissões globais de gases de efeito estufa. Cerca de 790 milhões de pessoas nos países em desenvolvimento não têm acesso à eletricidade e 2,6 bilhões dependem de combustíveis poluentes como madeira ou carvão para cozinhar. Reduzir as emissões de gases de efeito estufa para níveis consistentes com o Acordo de Paris de 2015 exigirá uma transformação em todo o sistema da forma como a energia é produzida, distribuída, armazenada e consumida. A queima de combustíveis fósseis e biomassa é um dos principais contribuintes para a poluição do ar, que causa cerca de sete milhões de mortes a cada ano. Portanto, a transição para um sistema de energia de baixo carbono teria fortes co-benefícios para a saúde humana. Existem caminhos para fornecer acesso universal à eletricidade e à cozinha limpa de maneira compatível com as metas climáticas, trazendo grandes benefícios econômicos e de saúde para os países em desenvolvimento.

Nos caminhos propostos de mitigação das mudanças climáticas que são compatíveis com a limitação do aquecimento global a 2 °C (3,6 °F), o mundo rapidamente elimina as usinas a carvão, produz mais eletricidade a partir de fontes limpas, como eólica e solar, e passa a usar electricidade em vez de combustíveis em setores como os transportes e o aquecimento dos edifícios. Para algumas tecnologias e processos de uso intensivo de energia que são difíceis de eletrificar, muitos caminhos descrevem um papel crescente para o combustível de hidrogênio produzido a partir de fontes de energia de baixa emissão. Para acomodar parcelas maiores de energia renovável variável, as redes elétricas exigem flexibilidade por meio de infraestrutura como armazenamento de energia. Para fazer reduções profundas nas emissões, infraestrutura e tecnologias que usam energia, como edifícios e sistemas de transporte, precisariam ser alteradas para usar formas limpas de energia e também para economizar energia. Algumas tecnologias críticas para eliminar as emissões de gases de efeito estufa relacionadas à energia ainda não estão maduras.

A energia eólica e solar gerou 8,5% da eletricidade mundial em 2019. Essa participação cresceu rapidamente, enquanto os custos caíram e a projeção é que continuem caindo. O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (PIMC) estima que 2,5% do produto interno bruto (PIB) mundial precisaria ser investido no sistema de energia a cada ano entre 2016 e 2035 para limitar o aquecimento global a 1,5 °C (2,7 °F). Políticas governamentais bem elaboradas que promovam a transformação do sistema de energia podem reduzir as emissões de gases de efeito estufa e melhorar a qualidade do ar. Em muitos casos, também aumentam a segurança energética. As abordagens políticas incluem precificação de carbono, padrões de portfólio renovável, eliminação gradual de subsídios a combustíveis fósseis, e o desenvolvimento de infraestrutura para apoiar a eletrificação e o transporte sustentável. O financiamento de pesquisa, desenvolvimento e demonstração de novas tecnologias de energia limpa também é um papel importante do governo.

Imagens[editar | editar código-fonte]

Energias sustentáveis:
Darling Wind Farm.jpg
OuarzazateSolar.jpeg
Seaflow raised 16 jun 03.jpg
小浜温泉バイナリー発電所全景.JPG
Gæring.png
Darling National Demonstration Wind
Farm
, Cidade do Cabo,
África do Sul.
Usina solar de Uarzazate
(Marrocos).
SeaGen
(Irlanda do Norte).
Central geotérmica
em Obama Onsen
(Japão).
Bioetanol produzido
através da fermentação
da palha.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]