Saltar para o conteúdo

Peter Drucker: diferenças entre revisões

715 bytes removidos ,  11 de novembro de 2020
m
sem resumo de edição
m (incluir menção a gestão (Português de Portugal))
m
Afirmava que a empresa que conseguir vender o produto/serviço certo, para o cliente correto, com a distribuição adequada, por um preço ajustado e no momento ideal, verá seus esforços de venda reduzirem-se a quase zero, ou seja, a venda tornar-se-á automática em função de a demanda ter sido corretamente equacionada e trabalhada.<ref name="druckerinstitute.com">[http://druckerinstitute.com/WhyDruckerNow.aspx Drucker Institute - ''Why Drucker Now?''] Página visitada em 27 de setembro de 2012.</ref>
 
Presidente honorário da Drucker Foundation e professor de ciências sociais da Claremont Graduate na [[Califórnia]], [[Estados Unidos|EUA]], escreveu muitos artigos e mais de 30 livros. O pensador produziu ao longo de sua carreira uma mistura única de rigor intelectual, popularização, praticidade e profundo conhecimento das tendências cruciais, como definiu Robert Heller, fundador e editor de uma das maiores revistas de negócios inglesas, a Management Today.
 
Pode-se afirmar que não há ''management theory'' (teoria da [[Administração|administração/gestão]]) que não parta da obra de Drucker. Entre seus livros mais recentes figuram Desafios Gerenciais para o Século XXI, Administrando em Tempos de Grandes Mudanças e Sociedade Pós-Capitalista, todos publicados pela editora Pioneira, atualmente Thomson.
Thomson.
 
"A administração é um processo operacional composto por funções como: Planejamento, organização, direção e controle." _ Peter F. Drucker
Setenta anos mais tarde, em meados dos anos 90, Drucker voltaria a ouvir falar de um boom perpétuo do mercado acionário, dessa vez impulsionado pela nova economia. "Senti que já havia estado ali", escreveu em ''Management in the Next Society'', elaborado quase em sua totalidade antes dos atentados de 11 de setembro de 2001 (exceto dois capítulos).
 
Considerado por muitos o maior guru do management de todos os tempos, Peter Drucker escreveu esse novo livro: Managing in the Next Society, lançado inicialmente no Japão, chegando em 2003 ao Brasil. De suas principais idéias – uma das mais surpreendentes é a previsão de que aumentará a [[mobilidade social]], a partir do acesso à educação formal.
 
Outra característica importante será a existência de duas forças de trabalho distintas à disposição dos empregadores: a das pessoas de menos e a de mais de 50 anos de idade. As empresas deverão remunerá-las também de modos diferentes: as primeiras necessitarão de renda constante e emprego estável; as segundas poderão cuidar dos trabalhos temporários.
 
Peter Drucker iniciou com o conceito de "(re)privatizações", que significa a privatização dos serviços públicos, como forma de reduzir a burocracia. O seu segundo conceito pode ser a "gestão por objetivos", ou seja, é um tipo de gestão caracterizada como um método de planejamento e avaliação, baseado em fatores quantitativos. Já o terceiro conceito é a "descentralização das empresas" que ele podia explicar como sendo a divisão de trabalho..
 
== Lista de publicações ==
 
== Peter Drucker e o Brasil ==
Além dos seminários e conferências, Peter Drucker conhecia o Brasil por meio de três grandes ícones nacionais: a fabricante de aviões, [[Embraer]]; a companhia petrolífera [[Petrobras|Petrobrás]] e o ex-presidente Juscelino Kubitschek. [[Ozires Silva]], o ex-presidente da Embraer é quem conta: "Drucker era fascinado pela história da Embraer e de como um país em desenvolvimento, como o Brasil, pôde desenvolver uma indústria de ponta e competirá com as nações mais industrializadas do mundo neste complexo segmento do mercado". Da mesma forma, Drucker considerava extraordinário o desenvolvimento da Petrobrás e seu potencial energético.
 
Em sua primeira visita ao Brasil, ainda nos anos 50, Drucker pôde conhecer o presidente [[Juscelino Kubitschek]] e apoiar sua decisão de construir Brasília, a capital do país. Numa entrevista à revista Exame, Drucker enfatizou a criação da nova capital federal como o acontecimento mais importante no país nos últimos 50 anos. "Brasília criou um Brasil diferente, voltado para seu interior".
 
Otimista com o futuro brasileiro, ele afirmou não concordar com a visão (mais em voga em fins dos anos 90) de que o Brasil havia fracassado em sua ânsia de se tornar uma nação desenvolvida. "Conheço os tremendos problemas brasileiros, mas houve enorme progresso, tanto social como econômico, mas, principalmente, psicológico".<ref>{{Citar web |url=http://www.crasp.com.br/jornal/jornal235/princ1.html |titulo=Cópia arquivada |acessodata=2010-06-23 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20110406180417/http://www.crasp.com.br/jornal/jornal235/princ1.html |arquivodata=2011-04-06 |urlmorta=yes }}</ref>
 
== Fatos relacionados aos livros==
- Leitores dos livros de Peter Drucker:
 
* Os livros de Peter Drucker foram lidos por pessoas como [[Henry Ford]] (fundador da Ford Motor company) que utilizou o primeiro best-seller de 1946 o "Concept of the Corporation" para reconstruir sua fábrica no pós guerra, [[Bill Gates]] (o fundador da Microsoft), [[Andrew Grove]] (ex-presidente da Intel), [[Jack Welch]] (por 20 anos liderou a [[General Electric]]).
 
- Origem do livro "Concept of the Corporation"ː
 
* O executivo [[Alfred P. Sloan|Alfred Sloan]], presidente da [[General Motors]] (na época a maior corporação do mundo), convidou Drucker para que estudasse a companhia. O estudo durou 18 meses e sugeriu algumas mudanças a Sloan mas elas foram rejeitadas. Drucker pregava a autogestão em vez da linha de montagem. Ele criticava pelo aspectos econômicos e humanos pois a linha se movia ao ritmo do operário mais lento e assim os mais rápidos se tornavam improdutivos e frustrados. Esse foi um dos princípios para que os japoneses ganhassem a dianteira no setor automobilístico nos anos 70 passando à frente da General Motors.<ref>http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0856/noticias/ele-vai-fazer-falta-m0078612{{Ligação inativa|1={{subst:DATA}} }}</ref>
 
Mais algumas curiosidades sobre Peter Drucker:
- Falam que ele tinha a liguagem que simplifica, mas não deixando de falar de assuntos de suma importância, ele fazia isso para ter o entendimento de todos sobre suas obras. Descrevem também que ele partia da prática para chegar à teoria, mas considero que ele acabou tendo essa atitude por ter muita bagagem acumulada, já que estudou sobre muitas coisas. Peter falava que não admitia que o diretor da empresa ganhasse mais de 20 vezes o salário mais baixo da organização considerando essa atitude imoral e imperdoável. Dizem também que ele não era rigoroso o suficiente com seus subordinados, isso se deve aos ideais humanistas dele. Os japoneses o admiravam já que também consideravam que as pessoas são um recurso e não um custo para a empresa.
 
== Influenciadores de Peter Drucker ==
Além de inúmeros acréscimos na administração é importante relatar as bases de Peter, isto é, seus influenciadores. Um deles é [[Sigmund Freud]], em quem Peter se baseou para observar as relações psicológicas, humanas e de poder. Peter Drucker foi profundamente influenciado por [[Ludwig von Mises]],{{Carece de fontes}} que também era amigo de seu pai em Viena, o qual passou para Drucker os preceitos de liberalismo econômico que lhe inspiraram a ideologia de um estado com pouca burocracia.
Peter Drucker foi profundamente influenciado por [[Ludwig von Mises]]{{Carece de fontes}}, que também era amigo de seu pai em Viena, o qual passou para Drucker os preceitos de liberalismo econômico que lhe inspiraram a ideologia de um estado com pouca burocracia.
 
{{Referências|col=2}}