Four Horsemen (luta profissional)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
The Four Horsemen
Grupo
Nomes The Four Horsemen
The Horsemen
Yamazaki Corporation
Membros Ver abaixo
Promoções NWA
WCW
Estreia 1985
Separação 1999

The Four Horsemen foi um grupo ("stable") de luta profissional na National Wrestling Alliance (NWA) e, mais tarde, na World Championship Wrestling (WCW). O grupo original consistia de Ric Flair, Arn Anderson, Tully Blanchard e Ole Anderson. Flair e Arn Anderson foram membros constantes em todas as encarnações do quarteto, exceto quando, devido a uma lesão no pescoço, Anderson foi substituído por Curt Hennig.

História[editar | editar código-fonte]

Ric Flair foi originalmente apresentado como um primo da dupla formada por Gene e Ole Anderson, a Minnesota Wrecking Crew na Mid-Atlantic Championship Wrestling na década de 1970. Depois de deixar a Crew, ele se uniu a Blackjack Mulligan e Greg Valentine para enfrentar seu antigo time. Em 1981, quando ele se tornou o campeão mundial dos pesos-pesados da NWA, ele a Crew já haviam se reconciliado, tendo benção da equipe para se aliar a Mulligan e Valentine contra Harley Race, Dick SlaterBob Orton Jr.. Quando Mulligan se aposentou e Valentine foi contratado pela World Wrestling Federation (WWF), Flair passou a procurar por um novo grupo.

Os Four Horsemen originais (1985-1987)[editar | editar código-fonte]

Os Four Horsemen se uniram oficialmente em novembro de 1985, com Ric Flair e seus primos (na história) Ole e Arn Anderson (o último trazido da Continental Championship Wrestling), e Tully Blanchard, da Southwest Championship WrestlingJames J. Dillon como manager. Eles mantiveram rivalidades com Dusty Rhodes (na história, quebrando sua mão e tornozelo), Magnum TA, Barry Windham,The Rock 'n' Roll Express (quebrando o nariz de Ricky Morton), Nikita Koloff (lesionando seu pescoço), e os Road Warriors. Animal e Hawk, dos Road Warriors, Ronnie Garvin e muitos outros lutaram contra Ric Flair pelo título mundial durante esse período de tempo. Eles geralmente detinham a maioria dos títulos da NWA e muitas vezes se gabavam sobre o seu sucesso (no ringue e com as mulheres) em suas entrevistas.

O nome dos Horsemen não foi planejado desde o início. Devido a restrições de tempo, durante as gravações de um programa de televisão, Flair, os Andersons, Blanchard e Dillon tiveram de dar uma entrevista juntos; Arn Anderson havia retornado e o quarteto havia tentado quebrar a perna de Dusty Rhodes em um evento no Omni, em Atlanta, durante o outono de 1985. Foi durante esta entrevista que Arn disse algo para o efeito de "A única vez que tanto estrago havia sido causado por aquele pequeno número de pessoas, você precisaria ir todo o caminho de volta para os Quatro Cavaleiros do Apocalipse!"[1] A comparação e o nome ficaram. No entanto, Arn disse em uma de entrevista para a RF Vídeo que ele, Flair e Blanchard foram tão íntimos quanto qualquer um poderia ser fora do ringue, enquanto eles estavam juntos. Eles viveram os personagens fora da arena, viajando de limusines e jatos. Baby Doll foi valet de Flair por alguns meses em 1986 após ter gerenciado Blanchard no ano anterior.

Lex Luger e Barry Windham (1987-1989)[editar | editar código-fonte]

Arn Anderson (esquerda) e Tully Blanchard, dois membros fundadores dos Horsemen.

Em fevereiro de 1987, o recém-chegado à WCW Lex Luger tornou-se um membro associado do grupo após expressar seu desejo de se tornar um Horseman. Os outros começaram a excluir Ole depois que ele custou a ele mesmo e Arn Anderson os títulos de duplas no Starrcade de 1986, e, eventualmente, ele foi expulso em favor de Luger em março. O fato de que Ole perdeu um show para assistir seu filho Brian lutar foi usado contra Ole, com Blanchard e Dillon questionando a lealdade de Ole e Blanchard chamado Brian de "criança com meleca no nariz".

Durante este tempo, eles enfrentaram Rhodes, Nikita Koloff, os Road Warriors e Paul Ellering em uma série de lutas WarGames. Estes combates foram brutais e acabaram com todos os cinco membros de cada equipe na gaiola tentando fazer alguém desistir por submissão. Durante a primeira luta, no Omni, Dillon sofreu um ombro separado após uma aplicação mal-feita do movimento de finalização dos Warriors, o Doomsday Device. Ele foi substituído nas próximas lutas pelo mascarado War Machine, mais tarde conhecido como o Big Boss Man.

Luger mais tarde foi expulso dos Four Horsemen. Primeiro, ele (Luger) culpou J. J. Dillon por ter perdido o título estadunidense, já que a tentativa de Dillon de fazer com que Luger vencesse sua luta ao trapacear, deu errado. Lex, posteriormente, não permitiu que Dillon vencesse sua luta no Bunkhouse Stampede, como os membros dos Horsemen haviam acordado entre si. Em janeiro de 1988, ele se uniu com Barry Windham contra os Four Horsemen. O par até mesmo derrotou Anderson e Tully Blanchard pelo NWA World Tag Team Championship na edição inaugural do Clash of the Champions. Em abril de 1988, Windham traiu Luger e tomou seu lugar nos Four Horsemen durante uma defesa de título contra Anderson e Blanchard. Este grupo (Flair, Anderson, Blanchard e Windham) é considerada a maior facção em relação à qualidade dos lutadores. Nessa época, todos os membros da facção detinham os principais títulos da NWA: Flair como Campeão Mundial dos Pesos Pesados; Windham como Campeão Estadunidense dos Pesos-Pesados; e Arn e Tully como Campeões de Duplas.

Em setembro de 1988, Arn Anderson e Tully Blanchard deixaram a NWA para se juntar a WWF. Isto os forçou a largar os títulos de duplas, perdendo para o Midnight Express (Stan Lane e Bobby Eaton). Anderson e Blanchard eram conhecidos como os Brain Busters na WWF, com Bobby "The Brain" Heenan como manager.

Flair, Windham e Dillon continuaram a se referir a si mesmos como "Horsemen" e a NWA flertou com a ideia de trazer novos membros. Butch Reed foi contratado para lutar solo com Dillon como o seu manager. Em seguida, em fevereiro de 1989, o irmão de Barry, Kendall Windham, pareceu ter se juntado a eles e ainda levantou os quatro dedos, símbolo do grupo, depois trair Eddie Gilbert durante uma luta de duplas. Em seguida, Dillon deixou a NWA para trabalhar nos escritórios da WWF. O grupo, então deixou de usar o nome de Four Horsemen,contratando Hiro Matsuda como seu novo manager e mudando seu nome para Yamazaki Corporation. Suas grandes rivalidades foram com Lex Luger, Eddie Gilbert, Ricky Steamboat e Sting. Depois de perder o título estadunidense para Luger, Barry Windham deixou o grupo para realizar uma cirurgia após ter sua mão lesionada em uma partida contra o Luger no Chi-Town Rumble. Kendall não foi utilizado como muito mais do que um lutador preliminar. Eles acrescentaram Michael Hayes depois da lesão de Barry e ele rivalizou com Luger, mas o grupo se desfez quando Hayes reformada os Fabulous Freebirds em maio e Matsuda deixou a promoção.

Reforma; Sting e Sid Vicious (1989-1991)[editar | editar código-fonte]

Os Horsemen foram reformados em dezembro de 1989. Flair, Arn e Ole Anderson e Sting formaram o novo conjunto. reformada em dezembro de 1989, na NWA. Tully Blanchard iria retornar, mas falhou em um teste de drogas na WWF. Sabendo disso, a WCW decidiu não recontratá-lo. O grupo era de heróis e rivalizaram com a J-Tex Corporation de Gary Hart, formada por Terry Funk, Keiji Mutoh, Buzz Sawyer e The Dragonmaster. No auge dessa disputa, o grupo voltou a se tornar vilanesco, expulsando Sting por se atrever a desafiar Flair pelo título mundial. Woman logo se tornou aliada de Flair. Eles rivalizaram com Luger, Sting, Rick Steiner, Scott Steiner e El Gigante durante este tempo.

Em maio de 1990, Ole tornou-se o manager do grupo, Barry Windham voltou para a WCW e para os Horsemen no NWA World Wide Wrestling de 5 de maio, e Sid Vicious foi adicionado para preencher o grupo no dia 11 de maio, na NWA Power Hour. Eles rivalizaram com os Dudes With Attitudes, que consistia de Sting, Luger, os Steiners, Paul Orndorff e Junkyard Dog. Até o final de 1990, Ole e Woman haviam deixado a NWA. Ted Turner havia comprado a Jim Crockett Promoções, o maior território na NWA, e transformado-a em World Championship Wrestling.

Em outubro de 1990, o campeão mundial da WCW Sting defendeu o título contra Sid Vicious no Halloween Havoc. Durante a partida, Sting e Vicious lutaram nos bastidores. Momentos depois, eles retornaram ao ringue. Sting tentou aplicar um slam em Sid, mas perdeu o equilíbrio e caiu com Sid em cima de si. Assim, Vicious tornou-se o campeão. Foi revelado, no entanto, que os Horsemen haviam atacado Sting durante a briga nos bastidores. Barry Windham, usando a pintura facial e roupas de Sting, entrou na luta fingindo ser o campeão, dando a vitória para Vicious. O Sting real apareceu após a contagem, causando o reinício do combate. O Sting real foi capaz de derrotar Sid e reter o título.

O grupo eventualmente se separou. Em abril de 1991, Sid deixou a WCW pela WWF. Flair foi demitido da WCW no final de maio e foi contratado pela WWF em agosto. Durante uma luta no The Great American Bash contra Lex Luger, Windham se tornou um herói. Anderson formou uma dupla com Larry Zbyszko chamado The Enforcers, parte da Dangerous Alliance de Paul E. Dangerously com Rick Rude, Madusa, Bobby Eaton e Steve Austin. Anderson e Windham rivalizaram durante este tempo, começando com um incidente no Halloween Havoc de 1991, onde Arn e Zbyszko quebraram a mão de Windham na porta de um carro. 

Três Horsemen (1993)[editar | editar código-fonte]

A próxima encarnação foi de maio até dezembro de 1993. Flair retornou e se uniu a Anderson, anunciando um retorno dos Horsemen no Slamboree. Paul Roma tornou-se o terceiro membro, depois de Tully Blanchard e a WCW não conseguirem chegar a um acordo para ele voltar. Ole Anderson agia como consultor, mas fez apenas uma aparição em A Flair for the Gold. Este grupo de Horsemen é considerado por muitos fãs a encarnação mais fraca. Eles eram heróis novamente e rivalizaram com Barry Windham e os Hollywood Blondes (Steve Austin e Brian Pillman). Este grupo acabou devido a um incidente envolvendo Arn e Sid Vicious durante uma turnê na Inglaterra, em outubro, e Paul Roma se unir a Paul Orndorff para formar a dupla Pretty Wonderful. Flair manteve uma rivalidade com o campeão da WCW Big Van Vader.

Reforma e rivalidade com a nWo (1995-1997)[editar | editar código-fonte]

Em 1995, Flair e Arn (novamente vilões) aliaram-se ao ex-inimigo de Flair, Vader, para atormentar Hulk Hogan e Randy Savage. Depois de Vader perder para Hogan em uma jaula no Bash at the Beach, Flair entrou na gaiola e o insultou. Vader atacou Flair e Arn veio ao seu resgate. Isso levou a uma luta 2-contra-1 no Clash of the Champions XXXI, onde Vader derrotou Flair e Anderson. Os dois começaram a brigar, com Flair culpando Arn pela derrota e Arn sentindo que sempre tinha que fazer o trabalho sujo de Flair; os dois se enfrentaram no Fall Brawl, com Anderson derrotando Flair após interferência de Brian Pillman. Flair implorou pela ajuda de Sting e, mesmo sem confiar em seu ex-inimigo, Sting concordou. Flair o traiu e reformou os Horsemen no Halloween Havoc com Flair, Arn e Pillman, acrescentando, mais tarde, Chris Benoit. Esta versão dos Four Horsemen rivalizou com Hogan, Savage, Sting e Lex Luger. Flair, eventualmente, fez com que Miss Elizabeth e Woman deixassem Hogan e Savage, se juntando ao grupo pelos próximos seis meses.

No início de 1996, Pillman começou sua infame história de descontrole em uma rivalidade com Kevin Sullivan, líder do grupo Dungeon of Doom. Pillman acabou deixando a WCW, indo para a Extreme Championship Wrestling (ECW), e, eventualmente, para a WWF, em fevereiro. No caminho para o Uncensored, os Horsemen se uniram ao Dungeon of Doom para formar a Alliance to End Hulkamania contra Hogan e Savage. Os dois grupos foram incapazes de coexistir e perderam a luta Tower of Doom.[2] Os Horsemen, em seguida, envolveram-se em uma breve briga com o Dungeon, incluindo uma briga entre Sullivan e Benoit. Nessa rivalidade, Woman, que era realmente casada com Sullivan, o deixou por Benoit, tanto na história quanto na vida real.

Em junho de 1996, no Great American Bash, Flair e Arn Anderson enfrentaram os jogadores de futebol americano Steve "Mongo" McMichael e Kevin Greene. Durante a partida, a então-esposa de McMichael, Debra, foi perseguida para os bastidores por Woman e Miss Elizabeth, mas voltou com uma valise de aço e entregou para seu marido. Mongo abriu a valise para revelar uma camiseta dos Horsemen e dinheiro; depois de pensar, ele fechou a valise e nocauteou Greene com ela, permitindo que Flair derrotasse Greene e vencesse a luta. McMichael foi oficialmente empossado como o quarto Horsemen, e no processo, deu ao grupo mais uma valet em Debra. Alguns rumores diziam que Debra e Woman não se davam bem nos bastidores, o que foi levado à televisão como constante discussões entre as duas, que deveriam ser separadas por Benoit e Mongo. 

Quando a New World Order (nWo) foi fundada no mês seguinte, os Horsemen tornaram-se heróis junto ao resto do elenco da WCW. Em setembro, Flair e Anderson se juntaram a Sting e Lex Luger em uma derrota para a nWo (Hogan, Scott Hall, Kevin Nash, e um falso Sting) em uma WarGames no Fall Brawl quando Luger desistiu após sofrer uma submissão do falso Sting. Isto enfureceu Anderson, e ele rivalizou com Luger durante o próximo mês. Em outubro, dois desenvolvimentos afetaram o grupo. Primeiro, Jeff Jarrett veio a WCW da WWF, e expressou seu desejo de entrar para os Horsemen. Imediatamente, ele ganhou um fã em Ric Flair, para o desgosto dos outros membros. Na semana seguinte, Miss Elizabeth anunciou oficialmente que havia se juntado a nWo.

Flair finalmente deixou Jarrett se juntar ao grupo em fevereiro de 1997. Jarrett começou a disputar com Mongo a atenção de Debra atenção, e, em junho, conquistou o título estadunidense de Dean Malenko com a ajuda de Eddie Guerrero; em julho, ele foi expulso do grupo por Flair, que havia se cansado da instabilidade que Jarrett havia levado aos Four Horsemen. Ele, eventualmente, levou Debra de Mongo. Em represália, Mongo o derrotou pelo título estadunidense.

Em agosto de 1997, Arn Anderson se aposentou devido a uma lesão no pescoço e nas costas. Curt Hennig tomou o seu lugar. No mês seguinte, Hennig se desligou do grupo e juntou-se a nWo. Flair dissolveu o grupo em 29 de setembro de 1997.

A encarnação final (1998-1999)[editar | editar código-fonte]

A última encarnação veio em setembro de 1998. No Nitro de 14 de setembro, Ric Flair retornou depois de um hiato causado por um desentendimento com o presidente da WCW, Eric Bischoff. Dean Malenko e Chris Benoit passaram a ir até Arn para reformar os Four Horsemen, mas ele negou. James J. Dillon, de volta à WCW, também fez o pedido. Arn o atendeu e reformou os Horsemen com Flair, Mongo, Malenko e Benoit, e Arn como manager. Eles rivalizaram com a nWo e Eric Bischoff.

No início de 1999, os Horsemen tornaram-se vilões novamente. Mongo deixou a luta profissional, e o grupo passou a ser apenas Flair, Arn, Malenko e Benoit. Eles também tinham um árbitro tendencioso para eles, Charles Robinson, a quem os membros dos Horsemen se referiam como "Little Nature Boy" (devido a sua semelhança com Flair). A enfermeira pessoal de Flair, Double D, agiu como valet do grupo e o filho de Ric, David Flair, lutou com eles e usou camisetas dos Horsemen, mas nunca foi um membro oficial. Na história, Ric Flair era o presidente da WCW e havia dado o título estadunidense para David, com os Horsemen o ajudando a manter o cinturão. Eventualmente, Benoit e Malenko deixaram o grupo em protesto ao egoísmo de Flair, formando a Revolution com Shane Douglas e Perry Saturn, efetivamente encerrando os Four Horsemen.

Legado[editar | editar código-fonte]

Os Four Horsemen originais foram inovadores no desenvolvimento e popularização do conceito de grupos vilanescos. No DVD sobre a carreira dos Horsemen de 2007, Jim Ross afirmou que "sem os Horsemen, com certeza não existiria nWo ou DX".

Team Package[editar | editar código-fonte]

Em 2000, o ex-Horsemen Ric Flair e Lex Luger reuniram-se como vilões na WCW pela primeira vez em 12 anos como Team Package, com Elizabeth como valet. Eles, principalmente, rivalizaram com Hulk Hogan e Sting. Esta equipa iria durar apenas até maio, enquanto Vince Russo estava em uma rivalidade com ambos. Flair e Luger iriam se reunir mais uma vez no início de 2001, com Luger tornando-se parte do grupo Magnificient 7 de Flair meses antes do fim da WCW.

Xtreme Horsemen[editar | editar código-fonte]

Xtreme Horsemen foi um grupo de luta profissional da Turnbuckle Championship Wrestling e, mais tarde, Major League Wrestling e do Japão. O grupo acabou em 2004. O grupo foi nomeado em homenagem aos Four Horsemen e foi criado na Turnbuckle Championship Wrestling de Dusty Rhodes. Na Major League Wrestling, o grupo foi formado por Steve Corino, C.W. Anderson, Justin Credible e Simon Diamond, com James J. Dillon como manager. Barry Windham também se juntou ao grupo para uma luta WarGames.

No Sportfest de 2009 da WXW-C4, Steve Corino reformou o grupo com ele mesmo, Papadon, A.C. Anderson e Alex Anthony, com Rob Dimension como manager.

Evolution[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Evolution (luta profissional)

Em 2003, rumores começaram a circular de que Ric Flair (na época trabalhava para a World Wrestling Entertainment) iria reformar os Four Horsemen com Triple H, Randy Orton e Batista. Este grupo foi finalmente formado, mas sob o nome de Evolution, com Triple H como o líder, em vez de Flair. Eles tinham basicamente a mesma função que o grupo original, como vilões dominado os títulos do Raw. O grupo lentamente morreu entre agosto de 2004 e outubro de 2005. Orton foi expulso do grupo depois de conquistar o título mundial cobiçado por Triple H. Em fevereiro de 2005, Batista deixou o grupo depois de vencer o Royal Rumble, em uma história onde Triple H tentou proteger o seu título de Batista. Durante um hiato de Triple H, Flair se tornou um herói. Ao retornar, Triple H atacou Flair com uma marreta, encerrando o grupo. No aniversário de 15 anos do Raw, o grupo se reuniu, com exceção de Orton, que se uniu a Edge e Umaga contra os outros. Triple H, Orton e Batista reuniram o grupo, sem Flair, em 14 de abril de 2014, para uma rivalidade com a Shield. No Raw de 28 de abril, Flair apoiou a Shield na rivalidade.

Fortune[editar | editar código-fonte]

Fortune era um grupo de luta profissional da Total Nonstop Action Wrestling, formado por Ric Flair em 17 de junho de 2010 como uma versão "reformada" dos Four Horsemen. Flair havia sido vagamente associado com A.J. Styles, Desmond Wolfe, Beer Money, Inc. (James Storm e Robert Roode) e Kazarian desde 5 de abril de 2010, e anunciou que quem desejasse de unir ao grupo Fortune (inicialmente escrito Fourtune) deveria ganhar sua vaga.[3] No dia 11 de julho, na Victory Road, Styles e Kazarian tornaram-se os primeiros membros oficiais da Fortune ao derrotar Samoa Joe e Rob Terry em uma luta de duplas.[4] No dia 29 de julho, no Impact!, Flair anunciou que James Storm e Robert Roode haviam entrado no grupo.[5] No entanto, no dia 12 de agosto, no Impact!, Douglas Williams, que havia ajudado Flair a derrotar Jay Lethal na semana anterior, e Matt Morgan, foram adicionados ao grupo contra EV 2.0, formada por ex-membros da Extreme Championship Wrestling (ECW).[6]  Desde então, o grupo se fundiu ao Immortal de Hulk Hogan e Eric Bischoff, mas os traiu meses depois. Flair deixaria a Fortune e continuaria associado ao Immortal.

Four Horsewomen[editar | editar código-fonte]

O grupo passou a ser invocado pelas lutadores de artes marciais mistas Ronda Rousey, Shayna Baszler, Jessamyn Duke e Marina Shafir, que nomearam a si mesmas de "The Four Horsewomen" ("As Quatro Cavaleiras") em 2013, com a bênção de Anderson e Flair.[7] Depois de Bethe Correia derrotar Duke, ela simbolicamente levantou quatro dedos antes de abaixar um. Ela fez isso novamente ao derrotar Baszler. Como Shafir não está no UFC, estas duas vitórias definiram cenário para uma luta entre ela e Rousey (a "Ric Flair das Four Horsewomen") no UFC 190.[8] Rousey derrotou Correia em 34 segundos.[9]

O grupo foi apresentado na primeira fila durante o WrestleMania 31, onde Rousey se envolveu em um segmento com The Rock, Triple H e Stephanie McMahon.[10]

Quatro lutadoras do NXT, Charlotte (filha de Ric Flair), Bayley, Becky Lynch e Sasha Banks se referiram como "The Four Horsewomen". Elas posaram juntas com os quatro dedos levantados no NXT TakeOver: Brooklyn, após Bayley derrotar Banks.[11]

Membros[editar | editar código-fonte]

Encarnações[editar | editar código-fonte]

Os Horsemen originais (1985-1989)[editar | editar código-fonte]

Yamazaki Corporation (1989)[editar | editar código-fonte]

Reforma (1989-1991)[editar | editar código-fonte]

  • Heróis (1989-1990): Ric Flair, Ole Anderson, Arn Anderson, Sting
  • Vilões (1990-1991): Ric Flair, Barry Windham, Arn Anderson, Sid Vicious, Woman (valet), Ole Anderson (manager)

Reunião (1993)[editar | editar código-fonte]

  • Heróis (1993): Ric Flair, Ole Anderson (apenas uma noite), Arn Anderson, Paul Roma, Fifi (valet)

Reforma e rivalidade com a nWo (1995-1997)[editar | editar código-fonte]

Encarnações finais (1998-1999)[editar | editar código-fonte]

  • Tweeners (1998-1999): Ric Flair, Arn Anderson (manager), Chris Benoit, Dean Malenko, Steve "Mongo" McMichael
    • Membros associados: James J. Dillon
  • Vilões (1999): Ric Flair, Arn Anderson (manager), Chris Benoit, Dean Malenko, Charles Robinson (árbitro), Double D (valet)

Na luta profissional[editar | editar código-fonte]

  • Temas de entrada
    • "Also Sprach Zarathustra", 1º tema (1985-1989)
    • "The Creeper", 2º tema
    • "Brain Decay", 3º tema (1990)
    • "Charge", 4º tema" (1991)
    • "Groover", 5º tema (1993)
    • "Cost", 6º tema (1995-1997)
    • "The Four Horsemen Theme", 7º tema (1998-1999)

Títulos e prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Rivalidade do Ano – vs. The Super Powers e The Road Warriors (1987), Ric Flair vs. Lex Luger (1988 e 1990), Ric Flair vs. Terry Funk (1989)
  • Manager do Ano – James J. Dillon (1988)
  • Luta do Ano – Ric Flair vs. Dusty Rhodes (1986), Ric Flair vs. Ricky Steamboat (1989)
  • Lutador Mais Odiado do Ano – Ric Flair (1987)
  • Lutador do Ano – Ric Flair (1985, 1986, 1989)
  • PWI colocou Ric Flair na # 2 posição dos 500 melhores lutadores individuais da história em 2003.
  • Melhor Vilão – Ric Flair (1990)
  • Melhor em Entrevistas – Arn Anderson (1990), Ric Flair (1991, 1994)
  • Rivalidade do Ano – Ric Flair vs. Terry Funk (1989)
  • Luta do Ano – Ric Flair vs. Barry Windham (1986), Ric Flair vs. Sting (1988), Ric Flair vs. Ricky Steamboat (1989)
  • Mais Carismático – Ric Flair (1993)
  • Melhor Lutador – Ric Flair (1986, 1987, 1989)
  • Lutador Favorito dos Leitores – Ric Flair (1985-1993)
  • Lutador do Ano – Ric Flair (1985, 1986, 1989, 1990)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Flair, Ric (2005). Ric Flair: To Be the Man World Wrestling Entertainment [S.l.] p. 142. ISBN 0-7434-9181-5. 
  2. prowrestlinghistory.com (March 24, 1996). «WCW Uncensored Results (1996)». 
  3. Martin, Adam (2010-06-15). «Spoilers: TNA Impact TV tapings for June 17». WrestleView. Consultado em 2010-06-15. 
  4. Caldwell, James (2010-07-11). «Caldwell's TNA Victory Road PPV results 7/11: Ongoing "virtual time" coverage live on-site from Orlando – four-way TNA Title match, Flair vs. Lethal». Pro Wrestling Torch. Consultado em 2010-07-11. 
  5. Keller, Wade (2010-07-29). «Keller's TNA Impact report 7/29: Tommy Dreamer announces new name for ECW faction, Hulk Hogan addresses situation». Pro Wrestling Torch. Consultado em 2010-07-30. 
  6. Bishop, Matt (2010-08-12). «TNA's 'The Whole F'n Show': Beer Money, Machine Guns put on match of year candidate; Fortune makes statement». Slam! Sports. Canadian Online Explorer. Consultado em 2010-08-13. 
  7. "Shayna Baszler on 'Four Horsewomen' Haters: Ric Flair and Arn Anderson gave their blessing", by Ariel Helwani, MMAFighting.com
  8. "Year in the making, Rousey to face Correia at UFC 190", by Dave Deibert, PostMedia News
  9. "Ronda Rousey Face-Plant KOs Bethe Correia, Retains UFC Women’s Bantamweight Title", by Brian Knapp, Sherdog.com
  10. "Ronda Rousey judo tosses Triple H, beats up Stephanie McMahon at Wrestlemania 31", by Marc Raimondi, MMAFighting.com
  11. "On the Line With Bayley", by Alex Obert, Journey of a Frontman
  12. «The Four Horsemen». World Wrestling Entertainment. Consultado em 2012-01-09. 

Leitura aprofundada[editar | editar código-fonte]

Biografias

Ligações externas[editar | editar código-fonte]