GNU Linux-libre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
GNU Linux-libre
Versão do sistema operativo Tipo Unix
Freedo, mascote oficial do GNU Linux-libre
Linux-Libre 3.0.66-1 Boot.png
GNU Linux-libre kernel 3.0.66-1 inicializando
Produção Fundação Software Livre América Latina
Linguagem C e Assembly
Modelo Software livre
Lançamento 20 de fevereiro de 2008 (11 anos)[1]
Arquitetura(s) x86, x86-64, MIPS
Núcleo Monolítico
Página oficial www.fsfla.org/ikiwiki/index.pt.html
Estado de desenvolvimento
Ativo

GNU Linux-libre é um núcleo de sistema operacional e um pacote do Projeto GNU[2] mantido a partir de versões modificadas do núcleo do Linux. O objetivo do projeto é remover do núcleo do Linux qualquer tipo de programa que não inclui seu código-fonte correspondente, tem seu código-fonte ofuscado ou que foi publicado sob uma licença privativa.

As porções que não apresentam código-fonte são denominadas "blobs binários" e são sobretudo compostos de firmware privativo, que, ainda que em geral redistribuíveis, não oferecem ao usuário a liberdade para modificar ou estudar seus componentes. O Linux-libre é um exemplo proeminente de software livre.

História[editar | editar código-fonte]

O núcleo Linux começou a incluir blobs binários em 1996.[3] O esforço para removê-los começou em 2006 com as ferramentas "find-firmware" e "gen-kernel" da distribuição GNU gNewSense. Esta tarefa foi levada adiante pela distribuição BLAG em 2007 com o script "deblob", e assim o Linux-libre nasceu.[4][5]

O GNU Linux-libre foi publicado originalmente pela Fundação Software Livre América Latina (FSFLA), e então apoiado pela Free Software Foundation (FSF)[6] como um componente valioso para distribuições GNU/Linux totalmente livres. O Linux-libre tornou-se um pacote GNU em março de 2012.[7] O mantenedor do projeto é Alexandre Oliva.

Remoção de firmware privativo[editar | editar código-fonte]

A cabeça do GNU com Freedo, o mascote do Linux-libre.

Métodos[editar | editar código-fonte]

O processo de remoção faz uso de um script chamado "deblob-main".[8] Este script é inspirado no que é utilizado pelo gNewSense. Jeff Moe fez modificações subsequentes para atingir certos requerimentos e assim permitir o uso pela distribuição BLAG. Há ainda outro script nomeado "deblob-check",[9] que verifica se o arquivo do núcleo ou um patch ainda contém software que suspeita-se ser privativo.

Efeitos[editar | editar código-fonte]

Além do efeito primário desejado de rodar um sistema usando apenas software livre, as consequências práticas da remoção de firmware privativo de dispositivos tem efeitos positivos e negativos.

As vantagens incluem a extração de programas que não podem ser nem auditados em busca de bugs, vulnerabilidades e operações maliciosas (como backdoors), nem consertados pelos desenvolvedores do núcleo do Linux. É factível que o sistema inteiro seja comprometido por conta de um único programa malicioso no firmware, e sem a possibilidade de realizar uma auditoria no firmware provido pelo fabricante, mesmo um pequeno bug pode minar a segurança do sistema.[10]

Por outro lado, a remoção de firmware privativo do núcleo acarreta em perda de funcionalidade em certas máquinas ou em periféricos se não houver um substituto livre disponível. Este problema afeta certas placas de som, vídeo, rede, sintonizadores de televisão e outros aparatos. Quando possível, um firmware substituto é utilizado,[11] como as placas de rede sem fio ath5k e ath9k.[12]

Disponibilidade[editar | editar código-fonte]

O código-fonte e os pacotes pré-compilados do núcleo do Linux sem blobs estão disponíveis diretamente das distribuições que usam os scripts do Linux-libre. O subprojeto Freed-ora prepara e mantém pacotes RPM baseados no núcleo do Fedora.[13] Há também pacotes pré-compilados para Debian[14] e distribuições derivadas como Ubuntu.[15]

Distribuições[editar | editar código-fonte]

O Parabola GNU/Linux usa Linux-libre como seu núcleo padrão.

Distribuições nas quais o GNU Linux-libre é o núcleo padrão utilizado:

Distribuições nas quais o Linux é o núcleo padrão mas que propõem o GNU Linux-libre como alternativa:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. blag-announce (20 de fevereiro de 2008). «[blag-devel] linux-libre». Consultado em 4 de novembro de 2014 
  2. Free Software Foundation (2013), Directory.fsf.org, acessado em 5 de janeiro de 2014
  3. «Recupere sua liberdade, com Linux-2.6.33-libre»  FSFLA, 2010.
  4. Alexandre Oliva: Linux-libre and the prisoners’ dilemma FSFLA, 2009.
  5. jebba: BLAG :: View topic - Linux Libre BLAG forums, 2008.
  6. Free Software Foundation. «Linux (BLOB free version)». Free Software Directory. Consultado em 6 de dezembro de 2011. [...] in the interest of freedom, we are providing a link to a version of the kernel in which this proprietary code has been removed so that it is entirely free software 
  7. Oliva, Alexandre (19 de março de 2012). «GNU Linux-libre 3.3-gnu is now available» (Lista de grupo de correio). info-gnu. Consultado em 7 de agosto de 2012 
  8. Fundação Software Livre América Latina. «How it is done» 
  9. «fsfla - Revision 8200: /software/linux-libre/scripts». Fundação Software Livre América Latina 
  10. Delugré, Guillaume (21 de Novembro de 2010). Reversing the Broacom NetExtreme's Firmware (PDF). hack.lu. Sogeti. Consultado em 18 de abril de 2012 
  11. «LinuxLibre:Devices that require non-free firmware». LibrePlanet. 5 de fevereiro de 2011. Consultado em 17 de abril de 2012 
  12. «Uncle Gnufs' World Famous Home Baked Free Kernel Shoppe». aligunduz.org. Consultado em 25 de abril de 2015. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2013 
  13. Fundação Software Livre América Latina. «Linux-libre's Freed-ora project». Freed-ora is a sub-project that prepares and maintains 100% Free RPMs that track Fedora's non-Free kernels 
  14. Millan, Robert (23 de abril de 2009). «Linux-libre for Debian Lenny». [Debian Mailing Lists] Announcements for developers (Lista de grupo de correio). Consultado em 12 de maio de 2009. This is to announce that Debian packages of Linux-libre [...] are now available for Lenny users who want to use them [...] 
  15. Gündüz. «Uncle Gnufs' World Famous Home Baked Free Kernel Shoppe». aligunduz.org. Consultado em 15 de agosto de 2015. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2013 
  16. «Dragora overview». Consultado em 15 de agosto de 2015. Arquivado do original em 4 de fevereiro de 2014  dragora.org
  17. jaromil (10 de setembro de 2008). «[LAT] hello, dyne:bolic -rt and freeeee». [Fundación Software Libre América Latina] Linux-audio-tuning (Lista de grupo de correio). Consultado em 6 de dezembro de 2011 
  18. «musix.ourproject.org/pub/musix/deb/kernel/2.6.26-libre-rt» [Index of musix.ourproject.org/]. Índice de musix.ourproject.org/ [ligação inativa]
  19. Arch Linux (19 de junho de 2014). «AUR (en) linux-libre» 
  20. Fossi (24 de agosto de 2009). «Linux-libre: Resumen del proyecto» [Linux-libre: Project summary] 
  21. O'Kelly (14 de abril de 2009). «Bug 266157» 
  22. «Licenses: Common Setups». 6 de agosto de 2012. Consultado em 15 de agosto de 2015. Arquivado do original em 18 de julho de 2012 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre GNU Linux-libre

Ligações externas[editar | editar código-fonte]