Genoma do Neandertal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Projecto do Genoma do Neandertal[1] consistiu numa colaboração entre o Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva, de Leipzig e a 454 Life Sciences para a sequenciação do genoma do Neandertal (Homo neanderthalensis). O projecto foi anunciado em 2006 e o genoma completo foi publicado a 7 de Maio de 2010 na revista Science.[2]

Os autores do estudo afirmam que o genoma comprova a existência de cruzamentos entre Neandertais e Homo sapiens sapiens modernos logo após a saída dos seres humanos de África entre 50 e 60 mil anos atrás.[3] Um estudo, em 2016, utilizando os registros médicos eletrônicos e dados de ADN associados de mais de 28.000 indivíduos, mostra que o DNA Neanderthal produziu efeitos pequenos, mas significativos, sobre os riscos de desenvolvimento de depressão, lesões de pele, e coagulação sanguínea excessiva[4].

Referências

  1. The Neandertal Genome Project. Acessado em 9 de Maio de 2010.
  2. "A Draft Sequence of the Neandertal Genome" 328 (5979) p. 710 - 722. DOI:10.1126/science.1188021. Visitado em 7 de Maio de 2010.
  3. Genoma de neandertal mostra cruzamento com 'Homo sapiens' , Filomena Alves, Diário de Notícias 7 de maio de 2010. Página acedida em 7 de Maio de 2010.
  4. Neanderthals’ Genetic Legacy - Ancient DNA in the genomes of modern humans influences a range of physiological traits. por Ruth Williams - "The Scientist" (2016)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Genética é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.