Hominídeo de Denisova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O hominídeo de Denisova é uma possível espécie de hominídeo descoberta na caverna de Denisova, na Sibéria.[1] .

O exemplar encontrado (também chamado mulher X) foi identificado como uma possível nova espécie através da análise de ADN, anunciada em março 2010. Pensa-se que esta nova espécie de Homo viveu entre há um milhão e 40 000 anos, em áreas onde também viviam homens de Neanderthal e Homo sapiens,[2] [3] embora a sua origem se encontre possivelmente numa migração distinta da associada aos humanos modernos e aos homens de Neanderthal.[4]

Uma equipa de cientistas do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva de Leipzig, Alemanha, liderada por Svante Pääbo, sequenciou ADN mitocondrial (mtDNA) extraído de um fragmento de osso proveniente do dedo de uma criança que foi encontrado na caverna de Denisova, nos montes Altai da Sibéria,[3] num estrato datado de 30 a 50 mil anos antes do presente.[5] Na mesma camada em que apareceu o osso, também se encontraram vários artefactos e ferramentas. A análise do mtDNA indica a existência de um antepassado comum entre o hominídeo de Denisova, o Homo sapiens e o homem de Neanderthal que poderá ter vivido há aproximadamente um milhão de anos.[3] [4] O ADN mitocondrial indica que este hominídeo surgiu de uma migração a partir de África distinta da que deu origem ao Homo sapiens e ao homem de Neanderthal e distinta do êxodo anterior do Homo erectus.[4] As estimativas sugerem que os ancestrais dos humanos modernos se separaram de ambos, dos neandertais e dos denisovanos, entre cerca de 553 mil e 589 mil anos atrás, enquanto que as populações de neandertais e Denisovan parecem ter se separado mais tarde, cerca de 381 mil anos atrás[6] .

Também foi observado, em um estudo de 2013, que o genoma dos hominídeos de Denisova inclui um componente derivado de um hominídeo desconhecido que divergiu muito antes da separação entre os seres humanos modernos, homens de Neanderthal e de Denisova.[7]

A evolução e expansão geográfica dos hominídeos de Denisova comparadas a outros grupos

Descoberta[editar | editar código-fonte]

O Caverna Denisova[8] está localizada no sudoeste da Sibéria, nas montanhas de Altai, perto da fronteira com a China e a Mongólia. Leva o nome de São Dinis (Dionisii), um eremita russo que morava lá no século XVIII[9] . O clima frio da caverna Denisova preservou o DNA e, portanto, uma equipe de cientistas liderada por Johannes Krause[10] , do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva em Leipzig, na Alemanha, sequenciou mtDNA extraído do fragmento[11] .

Intercruzamento[editar | editar código-fonte]

Uma comparação detalhada do Denisovan, Neanderthal, e genomas humanos revelou evidências de uma complexa teia de cruzamentos entre as linhagens. Através de tais cruzamentos, 17% do genoma do DNA de Denisova representa a população neandertalense local, enquanto que evidência foi encontrada também de um contributo para o genoma nuclear de uma linhagem antiga de hominíneo ainda a ser identificado, talvez a fonte do mtDNA anomalamente antigo[12] . DNA de Denisovans sugere que eles viviam na Sibéria e eram geneticamente mais diversificados do que os neandertais[13] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Folha: Espécie "fantasma" cruzou com o ser humano, diz estudo
  2. Brown, David (March 25, 2010), "Scientists say they've identified new human ancestor", Washington Post, http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2010/03/24/AR2010032401926_pf.html .
  3. a b c Krause, Johannes; Fu, Qiaomei; Good, Jeffrey M.; Viola, Bence; Shunkov, Michael V.; Derevianko, Anatoli P. & Pääbo, Svante (2010), "The complete mitochondrial DNA genome of an unknown hominin from southern Siberia", Nature Forthcoming, doi:10.1038/nature08976 ,
  4. a b c Katsnelson, Alla (March 24, 2010), "New hominin found via mtDNA", The Scientist, http://www.the-scientist.com/blog/display/57254/#ixzz0j820ioz1 .
  5. Wong, Kate 2010. No Bones about It: Ancient DNA from Siberia Hints at Previously Unknown Human Relative Scientific American, March 24, 2010
  6. The complete genome sequence of a Neanderthal from the Altai Mountains - http://www.nature.com/nature/journal/v505/n7481/full/nature12886.html Acessado em 6 de agosto de 2014.
  7. Prüfer, K.; Racimo, Fe.; Patterson, N.; Jay, F.; Sankararaman, S.; Sawyer, S. "Sequenciamento genético completo de um Neanderthal das [[montanhas Altai]]" (pdf) (em inglês). 2013. Consult. 4 de novembro de 2015.  Ligação wiki dentro do título da URL (Ajuda)
  8. Hirst, K K. "Denisova Cave (Siberia).Altai Mountain Paleolithic Site of Denisova Cave". Consult. 24-3-2010. 
  9. Hirst, K K. "Denisova Cave (Siberia).Altai Mountain Paleolithic Site of Denisova Cave". Consult. 2015. 
  10. Michael Bolus: Laudatio: Dr. Johannes Krause, Preisträger des zwölften Tübinger Förderpreises für Ältere Urgeschichte und Quartärökologie (pdf; 155 kB), In: Mitteilungen der Gesellschaft für Urgeschichte, Band 19, 2010, S. 7–10.
  11. Katsnelson, Alla (24 March 2010), "New hominin found via mtDNA", The Scientist, http://www.the-scientist.com/blog/display/57254/#ixzz0j820ioz1 
  12. Pennisi, Elizabeth (2013), "More Genomes from Denisova Cave Show Mixing of Early Human Groups", Science 340 (6134): 799, doi:10.1126/science.340.6134.799, http://www.sciencemag.org/content/340/6134/799.summary 
  13. Mysterious Group of Extinct Humans Was More Diverse than Neandertals Por Charles Q. Choi (e LiveScience) publicado pela "ScientificAmerican" em novembro de 2015
Ícone de esboço Este artigo sobre Paleontologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.