Iraqgate

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Iraqgate refere-se a alegações de que os presidentes dos Estados Unidos Ronald Reagan e George H. W. Bush construíram de maneira ilícita as forças armadas do Iraque até a invasão do Kuwait por Saddam Hussein em 1990. As acusações receberam atenção da mídia no início dos anos 1990 e são periodicamente utilizadas até hoje.[1][2]

Por causa de temores de que o Irã revolucionário poderia derrotar o Iraque e exportar a sua revolução islâmica para outras nações do Oriente Médio, os Estados Unidos começaram a dar ajuda ao Iraque durante a Guerra Irã-Iraque, incluindo no valor de vários bilhões de dólares de ajuda econômica, venda de tecnologia de dupla utilização, armamento de origem não estadunidense, inteligência militar, treinamento de operações especiais e envolvimento direto na guerra contra o Irã. [3] [4][5]

Em 9 de junho de 1992, Ted Koppel relatou em Nightline, da ABC, que "as administrações Reagan / Bush, permitiram e frequentemente incentivaram o fluxo de dinheiro, créditos agrícolas, tecnologias de dupla utilização, substâncias químicas e armas para o Iraque." [6] Em 1983, o Iraque foi adicionado ao programa Commodity Credit Corporation (CCC), dirigido pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, que emitia créditos a países para a compra de produtos agrícolas dos Estados Unidos. [7]

Esta política amistosa para com o Iraque seria reexaminada pelo Congresso dos Estados Unidos em 1988, após o gaseamento de milhares de curdos pelo regime de Saddam Hussein. Apesar dessa reavaliação congressional, Reagan e posteriormente Bush continuariam a manter boas relações com o Iraque, inclusive aumentando as ligações financeiras com o país a partir de 1989.[7]

Essa assistência econômica do governo dos Estados Unidos teria permitido que Hussein continuasse usando os recursos para a guerra, que de outra forma poderiam ter sido desviados. Por exemplo, entre 1983 e 1990, o Iraque recebeu cerca de US $ 4 bilhões em garantias de crédito à exportação a partir do programa Commodity Credit Corporation, que teria sido usado para comprar armas ilegalmente.[7]

A mídia apelidaria o escândalo de “Iraqgate” como uma alusão ao caso Watergate. Após quatro anos de investigações, não foi encontrada nenhuma evidência de que o governo agiu ilegalmente.[7]

Referências

  1. Iraqgate--A Case Study of a Big Story With Little Impact by DAVID SHAW - Los Angeles Times
  2. Was 'Iraqgate' a Crime? Or Worse?
  3. Friedman, Alan. Spider's Web: The Secret History of How the White House Illegally Armed Iraq, Bantam Books, 1993.
  4. Timmerman, Kenneth R. The Death Lobby: How the West Armed Iraq. New York, Houghton Mifflin Company, 1991.
  5. Statement by former NSC official Howard Teicher to the U.S. District Court, Southern District of Florida. Plain text version
  6. Koppel, Ted. The USS Vincennes: Public War, Secret War, ABC Nightline. July 1, 1992.
  7. a b c d Iraqgate - Encyclopædia Britannica

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]