Irmãs Cajazeiras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Irmãs Cajazeiras
Personagem de O Bem Amado
Origem  Brasil
Sexo Feminino
Espécie Humano
Afiliações Odorico Paraguaçu
Dirceu Borboleta
Vladmir de Castro
Ernesto
Criado por Dias Gomes
Série(s) O Bem Amado
Primeira aparição O Bem Amado
Última aparição O Bem Amado (filme)
Interpretado por Zezé Polessa
Drica Moraes
Andréa Beltrão
Projecto Televisão  · Portal Televisão

As Irmãs Cajazeiras são personagens fictícias da novela O Bem Amado cujos nomes na trama eram Dorotéia (Ida Gomes), Dulcinéia (Dorinha Duval), e Judicéia (Dirce Migliaccio).[1]

Enredo das personagens[editar | editar código-fonte]

As três irmãs, Do, Dulce e Juju, apaixonadas por Odorico Paraguaçu (interpretado por Paulo Gracindo), vivem atrapalhando os negócios da prefeitura de Sucupira e criando polêmicas com o prefeito. Na trama, Dulcinéia inventa que tem um filho com Odorico, alegando que seu marido, Dirceu Borboleta (Emiliano Queiroz), teria feito voto de castidade.

No livro Memória da Telenovela Brasileira pode-se ler o seguinte trecho sobre as personagens:

«O prefeito Odorico Paraguaçu tem como meta prioritária, em sua administração na cidade de Sucupira, litoral baiano, a inauguração do cemitério. De um lado é apoiado pelas irmãs Cajazeiras — Doroteia, Dulcineia, Judiceia (...). De outro tem que lutar contra a forte oposição, liderada por Donana Medrado, a delegada de polícia (...)»[2]

A telenovela e os personagem parodiavam e denunciavam o coronelismo nordestino e os desmandos dos poderes locais.[3]

Referências

  1. SADEK, José Roberto (2008). Telenovela: um olhar do cinema Grupo Editorial Summus [S.l.] p. 151. 9788532304759. 
  2. FERNANDES, (1987). Memória da telenovela brasileira Editora Brasiliense [S.l.] p. 521. 
  3. REIMÃO, Sandra (2004). Livros e televisão: correlações Atelie Editorial [S.l.] p. 147. ISBN: 9788574802336. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre televisão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.